Diante de ministro, Simão destaca potencial de Petrolina para agronégocio

por Carlos Britto // 20 de outubro de 2022 às 09:50

Foto: Ascom PMP/divulgação

O prefeito de Petrolina, Simão Durando Filho, destacou ontem (19), durante realização do evento ‘Agronordeste: resultados e perspectivas para o semiárido’, o papel da Capital do São Francisco nesse segmento. O encontro, promovido pelos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); da Ciência, Tecnologia e Inovações; da Educação e da Infraestrutura, aconteceu em parceria com o Sebrae, Banco do Nordeste e Senar.

O evento teve participação do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, e faz parte do plano Agronordeste que promove assistência técnica, capacitação, apoio à inovação e ao empreendedorismo; crédito, organização e formalização da produção. Na ocasião, também foram feitas entregas de títulos da reforma agrária pelo Incra, de certificados a alunos do Programa Agroresidência e de títulos de crédito fundiário.

Em seu discurso, Montes não escondeu a admiração pelo desenvolvimento de Petrolina. “Eu estou impressionado com essa cidade, uma orla totalmente reformada, as avenidas novas, sem falar na qualidade de vida. Como é bom poder entrar em uma cidade como essa. Eu fui prefeito de um município com o porte de Petrolina e sei distinguir uma boa administração, e Petrolina tem uma gestão séria. Parabéns a você e ao seu grupo político”, frisou.

Simão Durando destacou os avanços do agronegócio no município, reforçando a importância do trabalho em parceria com o governo federal. “Petrolina é um exemplo a ser seguido de como se transforma uma região e se permite que a população viva da riqueza que é gerada. Tudo isso graças a uma política forte e de homens apaixonados pela nossa terra. A gente só tem o que comemorar com esse desenvolvimento. Sabemos que fizemos muito, mas vamos fazer muito mais”, concluiu.

Diante de ministro, Simão destaca potencial de Petrolina para agronégocio

  1. otavio disse:

    REFORMA AGRÁRIA? em 2012, no 1º Governo Dilma, testemunhei como não se deve fazer REFORMA AGRÁRIA, o governo da época, do PT diga-se de passagem, deu um CALOTE nos antigos moradores onde ainda está sendo implantado o Projeto Pontal, isto é, rasgou o ACORDO feito em AUDIÊNCIA PÚBLICA, no Povoado de Uruás, acordo esse claro, que quem vendesse as suas terras para a implantação do Projeto Pontal, teria acesso a um lote de Pequeno Produtor, sem que precisasse passar por qualquer processo seletivo. Esse ACORDO foi feito antes do início das obras, mas com a chegada do PT ao PODER em 2003, o Projeto ficou parado e somente em 2012 resolveram dar andamento as obras que já estavam com 50% concluídas desde 2003, mas com um adendo, aqueles que tinham vendido as suas terras, não mais teriam o direito de acesso a um lote, pois o Governo Licitaria todo o Projeto para uma só Empresa. E dessa forma, uma só Empresa de Comunicação e Publicidade comprou o Projeto, mas como não era do ramo, 4(quatro) anos depois devolveu para o Governo e assim o Governo do PT fez uma DESREFORMA AGRÁRIA, tomou os direitos dos pequenos proprietários e construiu um grande latifúndio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.