Dia dos Namorados: O amor vem pra cada um

3

Valentines-day-valentines-day-22236757-2560-1600

O pessoal da redação do Blog provoca para que eu termine a noite do trabalho escrevendo sobre o Dia dos Namorados. Brinco e faço charme dizendo que dia de namorar é todo dia, que isso é data do comércio… Mas não é verdade. Dia dos Namorados mexe com a gente e mexe com força.

Todo mundo gosta ou já curtiu sentir a emoção de namorar. Mesmo os namorados que já casaram e que a vida lhes depositou as responsabilidades. Namorados serão sempre, mesmo com o sentimento abrandado e com o fogo da paixão transformado em amor responsável, amor com amizade e entrega.

Você já viveu um grande amor? Sente um frio na espinha quando lembra, ouve a voz ou quando o encontro é inesperado? Você lembra dessa pessoa quando vê a lua, uma cena legal, um cabelo diferente ou em qualquer situação inusitada?

Você é capaz de se emocionar ouvindo uma música que lembre vocês dois ou que nem lembre, mas que você gostaria de ouvir ou viver esse momento ao seu lado? Se a resposta foi sim para todas as alternativas, o Dia dos Namorados também já lhe fez tremer e a sua capacidade de amar permanece em alta.

Quem ama ou já amou, passou por tudo isso e vai continuar passando. E isso é bom demais.

Tem namorado de todo tipo, que namora há um tempão, que namora há uns dias, uns minutos e até quem namora só do seu lado.

Pobre coração o dos apaixonados. Sofre quando o outro não liga, e também sofre quando este quase sai pela boca quando liga.

Outro dia encontrei uns amigos em uma noite no Barretus e falamos sobre isso. Como é bom sentir saudade, sentir falta e viver a emoção do reencontro. Esse “sofrimento” gostoso é bom demais, mesmo quando o casal briga. Claro, se não tiver jeito, não tiver volta, é outra dor.

Falo da dor gostosa, da briga de amor, do desentendimento que vem e vai embora porque a relação é mais forte, o sentimento é mais forte….

Beijar na boca, pessoal, isso é que é bom. O resto…é o que vem depois do beijo.

Deixo a letra da música ‘Jura Secreta’, de Abel Silva e Suely Costa, que fala de uma história de amor que merece ser vivida.

” Só uma coisa me entristece
: o beijo de amor que não roubei
. A jura secreta que não fiz
. A briga de amor que não causei

Nada do que posso me alucina, tanto quanto o que não fiz
. Nada do que eu quero me suprime
, de que por não saber ainda não quis.

Só uma palavra me devora
, aquela que meu coração não diz
. Só o que me cega, o que me faz infeliz
…É o brilho do olhar que não sofri
.”

Durmam muito bem.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome