Deputados juazeirenses mal avaliados pela população

por Carlos Britto // 13 de maio de 2009 às 10:00

O presidente da Juventude Socialista de Juazeiro, Gleydson Neves esteve no Programas Sem Fronteiras, na manha desta quarta-feira (13),  divulgando um projeto que o PTB está desenvolvendo para reunir todos os deputados, independente das diferenças partidárias, para discutir melhorias para Juazeiro.

O apresentador Geraldo José declarou que apesar de louvar a iniciativa não acredita que ela trará resultados. “Me digam quando foi que as lideranças daqui  resolverem sentar a mesa e discutir o desenvolvimento de Juazeiro? Nunca! Porque todos são extremamente vaidosos e egoístas”, disparou Geraldo.

Os ouvintes da rádio Juazeiro parecem coadunar com a opinião do apresentador. Uma enxurrada de mensagens de insatisfação com os deputados da região chegava ao estúdio sem parar. Os juazeirenses criticaram principalmente a lentidão na reabertura do Hospital Regional e a situação da reforma da Ponte Presidente Dutra do lado baiano.

Deputados juazeirenses mal avaliados pela população

  1. Ligia disse:

    Britto, concordo com o desabafo de Geraldo José. Acho que ele verbalizou o que a população sente! Independente de votar em A, B ou C (e sou dos que votam em filhos da terra), a população precisa mesmo de iniciativas como essa que provoquem esses deputados que só se preocupam em nos pedir votos e se acham credores dos mesmos!

  2. Monica passos disse:

    Elegemos tres deputados estaduais, dois ligados ao governo, acontece que os que hoje sao ligados ao governo sao inertes, e o que é oposição nao existe, nao fala, nao age, nao anda em Juazeiro cidade que lhe deu mais de vinte mil votos, ou seja nossa cidade precisa repensar, analisar e mudar isto tambem, dois repetentes e um carnavalesco nato, que so quer o mandato para fazer uso de suas benesses, Juazeiro lhe respondera, esse menino nao serve nem para vereador.

  3. Arnaldo Campos disse:

    Muito boa as colocações do apresentador. Os deputados so aparecem em época de eleição! Como Geraldo alertou o Regional só será inaugurado no ano que vem! O governo do Estado simplismente abandomou Juazeiro e os deputados com essa imobilidade não ajudam em nada.

  4. Bento Gonçalves disse:

    O pior é que nao ha perspectiva de mudança…pq são politicos populistas, e que se beneficiam da postura acritica dos seus eleitores…vejam, logo logo aparece alguem aqui babando ovo de alguns deles, ninguem entra pra elogiar e reconhecer os defeitos do politico, so falar bem. E é por causa disso q todo mundo se lasca, politicos populistas e eleitores babões, acríticos, por mais q seus “idolos” sejam repletos de defeitos

  5. Vera Lúcia disse:

    O que há de mais nojento na política juazeirense é ver que essa inércia é inconteste, mas basta essas lesmas políticas se colocarem sorrindo em um outdoor e muitos eleitores acham que estão sendo lembrados pelos sanguessugas.
    Por isso, estão no poder há tantos anos , e Juazeiro fica no esquecimento.

  6. Marcelo Araújo disse:

    Parabéns a idéia Gleydson, conte com seu primo aqui do outro lado do rio.

  7. Manoel Carlos disse:

    Concordo com o Geraldo, principalmente quando ele fala que os deputados são vaidosos e egoísta. A prova é que assim que tomam pose do cargo de deputado, mudam-se para Salvador. Ou sejam, pensam somente neles, e acham que a elevação do seu status o leva a morar na capital e não em interior. Uma visão individualista e egoísta, pois quem o elegeu foi o povo daqui, e não de Salvador.

    A justiça do trabalho deveria proibir a candidatura desse tipo de gente. Eles tinham que provar que moram MESMO na cidade. E não um registro de imóvel ou uma mera conta de luz e água que prova facilmente que ele tem residência na cidade. Tinha que MORAR de fato.

    Mas enquanto existir o povo ignara que não tem coragem de MUDAR e votar em outro candidato, nem que seja para testar, esses senhores envelhecerão nessa vida de não fazer nada.

    E continuarão a se arvorarem pensando que são grandes homens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *