Depois de divergências explícitas, bancada governista mostra força na Casa Plínio Amorim

por Carlos Britto // 03 de outubro de 2017 às 17:33

A coesão da bancada governista na Casa Plínio Amorim, durante a votação dos projetos de lei do Executivo Municipal, chamou a atenção nos bastidores da Câmara Municipal, durante a sessão plenária de ontem (2).

Uma fonte disse a este Blog que, se alguém tinha dúvida que a bancada do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), não estava articulada e vivia às turras, ficou de queixo caído.

Dos mais de 15 integrantes da bancada que votaram nos quatro projetos de lei enviados pelo socialista (e todos aprovados), apenas o vereador Ronaldo Cancão (PTB/foto) falou em defesa do governo. Os demais se fecharam em copas e apenas respaldaram a matéria.

Depois de divergências explícitas, bancada governista mostra força na Casa Plínio Amorim

  1. Petrolina de futuro disse:

    Já tá comprovado que estes vereadores da situação não são vereador do povo que votaram neles são vereadores de Fernando Bezerra e Miguel coelho eles voto no projeto que o prefeito mandar

  2. Cego às avessas disse:

    Na época de Lóssio choviam denúncias de supostas “malas pretas” circulando entre os vereadores para aprovação de projetos, agora com Miguel essa sintonia se deve a quê? O pior desses no governo é que iremos pagar mais caro pelo IPTU. Já vou procurar um contador e um advogado para buscar uma brecha para não pagar mais caro, já não basta os outros impostos que tenho que pagar. Não sou obrigado a pagar pela farra dos outros, até por que não utilizo serviço público algum, tenho plano de saúde, minha aposentadoria é privada e minha segurança é a .40 que eu ando com ela no carro, pois polícia não serve para nada. Aconselho aos demais a sonegar também, pois imposto é roubo e sonegar é legítima defesa, afinal ninguém aqui firmou qualquer contrato com o governo.

  3. Ana Luisa disse:

    E o concurso da Câmara Municipal prometido há tanto tempo? Não vai haver mais?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *