Delegada presa por fazer gato´ na linha telefônica.

por Carlos Britto // 08 de fevereiro de 2009 às 11:09

A delegada de Polícia Civil Marta Carneiro da Silva Costa, que há pouco mais de dois meses trabalha no município de Souto Soares (a 484 quilômetros de Salvador, na Chapada Diamantina), foi presa na última quinta-feira, à tarde, na sede da 13ª Coordenadoria Regional de Polícia (Seabra), que engloba Souto Soares, acusada de crime de peculato (quando o funcionário público apossa-se de bem ou valor valendo-se do cargo que ocupa).   Marta Costa tinha na casa dela, segundo a acusação, uma extensão telefônica da linha da delegacia em que trabalha, além de um aparelho de televisão que também seria de uso exclusivo na unidade.

Transportada para a Corregedoria de Polícia Civil (Correpol), em Salvador, ela foi autuada em flagrante, ontem, pelo delegado corregedor José Carlos Santos. Deverá responder, também, à acusação de improbidade administrativa, em processo administrativo disciplinar (PAD), disse o corregedor-chefe, delegado Jorge Monteiro.   Depois de uma noite detida na sede da 13ª Coorpin, ontem, depis de prestar depoimento na Correpol, ela foi levada para a Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Derca), em Pitangueiras, no bairro de Brotas, onde há celas tidas especiais, e cuja carceragem está abrigando apenas presas. Não haveria vagas na sede da Correpol (as oito celas individuais já estão ocupadas por onze presos), afirmou Monteiro.

Denúncia –  Marta Costa foi denunciada por moradores de Souto Soares, ao promotor de Justiça local, Oto Almeida, assim que os desvios da linha e da televisão tornaram-se assunto de buxixos na cidade, relatou Monteiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *