Culto ecumênico marca encerramento de atividades do Hospital de Campanha de Juazeiro

por Carlos Britto // 01 de junho de 2022 às 07:51

Foto: Ascom PMJ/Sesau divulgação

O Hospital de Campanha da Prefeitura de Juazeiro (BA) teve suas atividades encerradas ontem (31/05) pela Secretaria de Saúde (Sesau). A unidade que foi criada para atender pacientes com Covid-19, realizou mais de 12.300 atendimentos, de janeiro de 2021 até maio de 2022. A decisão foi tomada pela gestão municipal após o índice de ocupação de leitos ficar zerado por vários dias e vacinação avançar na cidade. A partir de agora, o atendimento de síndromes gripais leves acontece nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), enquanto os casos mais severos serão encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). As gestantes continuam sendo atendidas na maternidade.

A prefeita Suzana Ramos participou da cerimônia simbólica de encerramento do Hospital de Campanha e se emocionou ao relembrar todo o trabalho desenvolvido pelas equipes da unidade em um momento tão importante de pandemia. “É um momento de emoção. Não que a pandemia tenha acabado, mas diminuiu e o hospital zerou as internações. A gente sabe o quanto lutamos nesse período para salvar vidas. Toda essa equipe é de heróis que colocaram suas vidas em risco. A missão foi cumprida. A palavra deste momento é gratidão“, disse a prefeita.

Para o secretário municipal de Saúde, Fernando Costa, um ciclo importante se fecha com o sentimento de dever cumprido. “Hoje estamos fechando um ciclo no qual a população de Juazeiro está vencendo a pandemia da Covid-19. Este culto ecumênico celebra esse fechamento de ciclo e é também uma forma de respeito a todos que foram tratados aqui, inclusive aqueles que nos deixaram, bem como os profissionais que estiveram na linha de frente deste Hospital de Campanha“, destacou. Também estiveram presentes o secretário de Saúde, Fernando Costa, as equipes do hospital e a vereadora Neguinha da Santa Casa.

O culto ecumênico foi celebrado pelo pastor Teobaldo Pedro de Jesus e pelo padre da Paróquia Santo Antônio, Marcos da Silva Santos, o qual esteve na unidade fazendo uma benção quando a pandemia estava no pico.

Quem passou pelo Hospital de Campanha relembra o quanto a unidade foi importante. Maria Auxiliadora Campelo ficou alguns dias internada no local, junto à sua família. Na memória, somente gratidão. “Meu sentimento hoje e sempre vai ser de gratidão porque tive toda minha família internada aqui no pior momento que foi no início da pandemia. Minha mãe com 89 anos, minha irmão com 61 anos que passaram 15 dias aqui. Tenho gratidão pelos profissionais que todos têm que não nos deixou faltar nada. Para mim, não existe melhor assistência do que o Hospital de campanha de Juazeiro“, ressaltou a ex-paciente.

Readequação

Quando assumiu a gestão, a prefeita Suzana Ramos realizou uma readequação do Hospital de Campanha, o qual não oferecia estrutura adequada para o tratamento dos pacientes. A unidade não tinha separação entre pacientes positivados e pacientes em avaliação, sem qualquer espaço para um acolhimento humanizado ou uma recepção que pudesse encaminhar os doentes para triagem.

A atual gestão reestruturou toda a unidade de atendimento aos pacientes com suspeita de Covid-19 e construiu áreas de separação entre os leitos, importante para evitar contaminação entre as pessoas durante a avaliação médica. A sala vermelha que era para o atendimento a pacientes mais graves foi equipada com respiradores. A Sesau criou uma recepção para o acolhimento dos pacientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.