Comunitário mostra-se indignado com Coelba em Curaçá

0

Em contato com o Blog, o leitor Laerte Valentim critica duramente a Coelba em Curaçá, no Norte da Bahia, devido à falta de manutenção no sistema de energia solar da comunidade rural de Varjota. Segundo o leitor, o “descaso” da empresa estaria prejudicando, sobretudo, idosos daquele lugar.

Confiram:

coelbaDiante do grande acesso que possui o Blog do nobre comunicador, venho por meio deste relato expressar minha indignação referente ao fornecimento dos serviços pela Coelba.

No município de Curaçá (BA) há uma comunidade chamada Varjota, a qual há alguns anos foi contemplada pela referida empresa com kit de energia solar (energia fotovoltaica) composto por placa solar, bateria e um inversor. Para utilização deste kit a família precisa pagar uma taxa mensal que fica em média de R$ 7 (sete reais). Quando há problemas de manutenção nos aparelhos, é solicitado ao preposto da Coelba em Curaçá, e a mesma não comparece para realização da manutenção. E quando comparece, não resolve e a família tem de esperar meses para que o problema seja resolvido.

Prezado comunicador, há uma família em especial que vem solicitando à Coelba a manutenção de seu aparelho e a mesma ainda não resolveu o problema. A família é composta por duas mulheres idosas (80 anos e 75 anos) e elas estão há mais de dois meses sem energia.

A Coelba em Salvador foi comunicada no dia 04/04/2014, através do número 0800-071-0800, e com protocolo de número 40002825514. Quero ressaltar que o preposto local foi comunicado um mês antes e nada fez. A empresa em Salvador disse que faria o atendimento no prazo de nove dias corridos e já se passaram mais de trinta dias e o atendimento ainda não foi feito. As duas senhoras estão em casa, à luz de candeeiro, e continuam pagando suas taxas de energia. De acordo com as resoluções da Aneel, o atendimento a pessoas idosas e com problemas de saúde é prioritário.

A partir de agora, diante desses problemas, a comunidade reunida com outras associações solicita da Coelba que instale na comunidade energia de corrente contínua, ou seja, energia convencional. A comunidade realizou uma reunião no dia 03/05/2014 e a Coelba não compareceu e nem enviou resposta.

Juntamente com a comunidade, esperamos resposta da empresa citada, além de respeito por pessoas idosas, as quais pagam suas contas e não têm os serviços prestados como rege nos contratos.

Laerte Valentim/Comunitário

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

cinco − 1 =