Comunitário de Petrolina critica “caos” no trânsito na rua onde mora

por Carlos Britto // 19 de julho de 2012 às 14:30

Mais uma reclamação sobre desrespeito à sinalização de trânsito em Petrolina nos é enviada pelo leitor Carlos Couto.

Ele mora na Rua Aristarco Lopes e critica duramente a falta de providências das autoridades responsáveis pelo “caos”, segundo ele, em que se transformou a rua por conta do problema.

Confiram:

Solidarizo-me com a leitora Patrícia Nogueira, que escreveu um artigo sobre o desrespeito à sinalização na Rua Orocó, sem que a EPTTC tome nenhuma providência, porque não é de hoje que essa empresa o que menos faz é cuidar do trânsito na nossa cidade.

Os moradores da Rua Aristarco Lopes sofrem o mesmo problema que o descrito pela leitora, na entrada da rua, próximo à Fundação Nilo Coelho. Ali, como em todas as calçadas, praças e canteiros de Petrolina, a secretaria de (Des)ordem Pública permitiu a instalação de uma barraca de acarajé.

Por conta disso, todas as noites os frequentadores do local estacionam nas duas laterais da rua, sendo que existem placas indicando o estacionamento proibido naqueles locais, uma vez que a rua é estreita naquele ponto, até chegar à praça da Igreja Matriz. Mas essa sinalização é ignorada por todos.

Cria-se a maior confusão, porque a rua, além de ser mão dupla, estacionam carros dos dois lados. Inclusive já aconteceram acidentes nesse cruzamento por conta da bagunça que fica o trânsito naquele local.

Nos sábados então, a situação fica caótica, porque além dos frequentadores da tal barraca, adicionam-se os veículos das pessoas que frequentam a Igreja Matriz. Estamos vendo o dia de alguém estacionar o veículo em cima da escadaria da igreja, porque é o único local que ainda não tentaram colocar um carro. Vários moradores já fizeram reclamações à EPTTC, pedindo que intensificasse a fiscalização no período noturno naquele local, mas nada muda.

Outro dia liguei para a EPTTC e um atendente disse que esse problema teria que ser reclamado junto à Secretaria de Ordem Pública. Nessa tal secretaria já ligamos inúmeras vezes para falar com o secretário ou algum fiscal ou responsável, mas sempre ouvimos a mesma conversa – o secretário encontra-se em reunião. Deixo aqui o meu manifesto e mais uma vez um pedido ao senhor gerente ou superintendente da EPTTC (se é que existe um), que intensifique a fiscalização noturna naquele local, para melhorar a vida de nós, moradores, que apenas queremos chegar ou sair das nossas residências em paz e sem confusões no trânsito, que trava quase na porta de nossas casas.

Grato,

Carlos Couto/Morador – Rua Aristarco Lopes – Centro Petrolina

Comunitário de Petrolina critica “caos” no trânsito na rua onde mora

  1. rui disse:

    e agora que ficara dificil falar com o secretario pois o mesmo esta fazendo politica para o prefeito. essa secretaria só serve para ele pois o mesmo deixou escritorio de advogacia para ficar na pasta sinal que nessa secretaria paga melhor do que em seu escritorio

  2. P3 disse:

    Para resolver tal situação, basta que os guardas de trânsito (duplas) que ficam nas faixas de pedestres, sejam deslocados para essas ruas, que seja incluída a Rua Augusto Carlos Brandão, tá cheia de donos da rua, não respeitam a sinalização, desculpe-me a expressão tá uma zona.

  3. cidadã disse:

    Como também sou moradora desta região, confirmo o caos descrito. Mas a situação de estacionamento nesta rua e em outras no entorno, piorou muito, também durante o dia, depois que a praça da 21 foi incluída na Zona Azul (ô nome correto, pura zona mesmo!!!)

    1. Moradora da Rua Dr. Manoel Borba disse:

      Além da zona também na rua Dr. manoel Borba, a Igreja Matirz está triste com esta barraca com pessoas sentadas em um tronco de madeira outras em cadeira de balanço, na ponta da calçada, impedido passagem ou melhor, jogando as pessoas contra motos e carros nos sentidos indo e vindo escola Dom Malan.
      Mais respeito!!

  4. Julio Cesar disse:

    Meu amigo, só me responda o que tem a ver a barraca de acarajé com a falta de de educação dos motoristas dessa cidade. Quanto a fiscalização, não digo nada. Realmente é precária, mas isso é uma deficiência operacional da EPTTC, assim como acontece com o 5º BPM. Sei que não é fácil implementar fiscalização de trânsito onde a quantidade de agentes é insuficiente. Mas sei mais ainda da minha e da nossa consciência que deve ser voltada para o bem estar de todos e, infelizmente, NÓS como cidadãos, sempre buscamos de uma forma geral, algo que nos dê vantagem sempre: seja num estacionamento mais próximo, seja numa “pequena” contra-mão. Tudo não passa de conscientização. Nossas ruas, principalmente ali naquela área da Igreja Matriz, são consequência de projetos antigos, da fundação da nossa cidade. A própria igreja quando construída não possuía tantos fieis e frequentadores como nos dias de hoje não. Portanto, vamos reclamar das coisas erradas, mas vamos ser coerentes com as nossas reivindicações. Prefiro um agente de trânsito regulamentando uma faixa de pedestre o que fiscalizando carros estacionados em local proibido. Afinal, na faixa de pedestres pode se garantir mais segurança a vida humana. Quem tiver seus carros que procure se adequar às normas de trânsito (CTB). Portanto, deixemos de brio e nos atentamos ao que é mais importante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Últimos Comentários

  1. Srs leitores e, redatores deste conceituado meio de comunicação. Aproveitando para parabenizar, pela matéria postada, pois, é história e é…