Comunitário critica “caos” no sistema de abastecimento em Afrânio e cobra do poder público

5

Inconformado com a constante falta d’água em Afrânio (PE), Sertão do São Francisco, o comunitário Alonso Cavalcanti solta o verbo contra a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e também contra o poder público.

Confiram:

Um problema que não parece ter fim, a escassez de água potável em uma cidade que fica a pouco mais de 100 km de um dos principais rios do país. Bairros e ruas da cidade que completaram 30 dias com as torneiras secas, e a resposta da Compesa para a população é sempre a mesma: o sistema adutor está quebrado, queimou uma bomba e solução e água que é bom nada.

As gestões municipais de Afrânio e Dormentes, que são as cidades beneficiadas pelo sistema adutor Maria Tereza Coelho, que sempre foram aliadas do governo estadual, não fazem cobranças mais enérgicas contra o governo estadual, que é quem controla a Companhia. Audiências públicas foram feitas e até agora nada; a justiça também não parece agir com vigor e nem mesmo o abastecimento com caminhões-pipas a Compesa faz.

A pergunta que fica é: até quando será assim? e se fosse uma empresa privada, a justiça e o Estado não já a teriam multado e processado?

Alonso Cavalcanti/Comunitário

5 COMENTÁRIOS

  1. Falta de reespeito para com a população, pior é vermos ainda falar em expandir essa água para o interior, como? se não está nem chegando em Afranio e Dormentes, água é um direito de todos, porém para expandir terão que aumentar a tubulação, mas tirar de onde não tem é um crime.

  2. Falta de reespeito para com a população, pior é vermos ainda falar em expandir essa água para o interior, como? se não está nem chegando em Afranio e Dormentes, água é um direito de todos, porém para expandir terão que aumentar a tubulação, mas tirar de onde não tem é um crime.

  3. Falta de reespeito para com a população, pior é vermos ainda falar em expandir essa água para o interior, como? se não está nem chegando em Afranio e Dormentes, água é um direito de todos, porém para expandir terão que aumentar a tubulação, mas tirar de onde não tem é um crime.

  4. Concordamos em gênero, número e grau com o Pablo, primeiro falta comprometimento da COMPESA com os Municípios, depois faltam as ações dos políticos locais e ou regionais. Agora imaginem o Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba , que estão a mais de 400 e 600 Km recebendo água do Chicão? vão reclamar de quem quando a água nao chegar? transposição é uma tremenda enganação, mesmo porque começou sem qualquer projeto, atropelaram tudo quanto era norma e ou orientação técnica, nunca existiu um projeto de pré-viabilidade, viabilidade e os outros nem se fala, coisas de Brasis e todos vamos ver esses canais totalmente abandonados, basta tão sòmente que o Governo Federal deixe de pagar a conta de energia, não estamos nem falando dos custos com pessoal para a administração dessa obra insustentável, isso mesmo, essa obra não se sustenta, muito mais proveitosa do que ela, seria o Canal do Sertão Pernambucano, aí sim, Afrânio, Dormentes, Santa Filomena, Ouricuri, Trindade, Araripina, Bodocó, Ipubi e o entornos desses Municípios teriam água não apenas para o consumo humano, mas também para irrigar, e olha que tem muitas terras boas.

  5. É LAMENTÁVEL MEU AMIGO !

    LAMENTAVELMENTE, CONVERSAR COM EDUCAÇÃO E RASGAÇÃO DE SEDA NÃO RESOLVE NADA. A POPULAÇÃO É PASSIVA. SE JÁ TIVESSEM FECHADO A BR 407 PERMANENTIMENTE , TERIAM MAIS INTERESSE EM RESOLVER.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

15 − seis =