Comerciantes informais de frutas e verduras de Petrolina passam a trabalhar em área exclusiva nas imediações do Mercado do Turista

1
(Foto: Divulgação)

Cerca de 30 comerciantes informais de frutas e verduras de Petrolina passaram a trabalhar em uma área exclusiva num antigo ponto de transporte alternativo na Rua João Amorim de Araújo, nas imediações do Mercado do Turista, Centro da cidade. A ação, promovida através de diálogo com a Associação de Feirantes, Ambulantes, Barraqueiros e Camelos de Petrolina (Afeabacap), faz parte do programa ‘Calçada Livre’, que visa a conscientizar a população sobre o uso das calçadas no município.

O novo espaço recebeu os serviços de limpeza, poda de árvores, pintura de meio-fio e melhoria na iluminação pública, o que vai permitir que a venda de produtos seja feita até depois das 18h. O trabalho de melhoria do local para o desenvolvimento das atividades comerciais é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (Seinfra) e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS), responsável pelo ‘Calçada Livre’.

Dentro do prazo de um mês, a expectativa é que as caixas e carrinhos de frutas deem lugar à estruturas padronizadas de trabalho para os comerciantes. O secretário da SEDURBS, Giovanni Costa, avalia a iniciativa como mais uma ação rumo ao ordenamento público no centro da cidade. “Demos um passo importante nesse sentido. A nossa expectativa é continuar planejando outras ações para que possam ser feitas também com os outros segmentos, como o de eletroeletrônicos e acessórios que ainda se encontram ocupando parte das calçadas da cidade. Como o nosso prefeito Miguel Coelho nos recomendou, o Calçada Livre deve garantir a acessibilidade necessária para a Livre circulação de pedestres”, destaca.

Fiscalização

Dentro do acordo firmado com Prefeitura de Petrolina, os comerciantes informais de frutas e verduras cadastrados e a Afeabacap, a partir de ontem (10), ficam proibidos de vender produtos nas calçadas da cidade. Caso seja necessário, a Guarda Civil Municipal (GCM) pode ser acionada para apreender equipamentos e mercadorias, a fim de garantir o cumprimento do acordo.

1 COMENTÁRIO

  1. Quem tem comércio e mora neste beco tá lascado a sujeira vai ser grande ,fora a paz que vão perde como este pessoal ,sinal que vai ter muito trombadinha ai disfarçado para meter a mão grande,deveria colocar este pessoal lá perto do estádio e ponto final,quem não quisesse segui-se seu destino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome