Começa em Juazeiro 2ª Clínica de Profilaxia e Reabilitação para PMs da Região Norte

0
Foto: Bruna Gracielle/Ascom CPRN

Um grupo de 15 policiais militares de Juazeiro (BA) estão servindo de pacientes voluntários da 2ª Clínica de Profilaxia e Reabilitação para PMs da Região Norte, que começou no último dia 8/07. Além dessa turma, profissionais nas áreas da Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição e Psicologia também estão fazendo parte.

Antes do início da clínica, todos os profissionais realizaram exames e avaliações médicas para serem autorizados a iniciarem as atividades físicas. Além do efetivo de instrutores da Polícia Militar da Bahia (PMBA), a coordenação da clínica tem buscado parcerias com universidades, institutos, profissionais e estudantes do Vale do São Francisco, visando a enriquecer ainda mais as aulas práticas e teóricas, para proporcionar aos participantes a melhor estrutura possível, e que assim, seus objetivos sejam alcançados com excelência.

As aulas práticas e avaliações físicas estão sendo ministradas no 3º Batalhão de Ensino Instrução e Capacitação (BEIC), Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT) Norte, Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e na Associação Beneficente Educacional Recreativa dos Praças da Polícia Militar e Bombeiro Militar da Região Norte (ABERPPMBM).

Já as aulas teóricas acontecem em salas de aula do 3º BEIC, além da Unidade Básica de Saúde (UBS) do próprio Batalhão, de segunda à sexta-feira. No último dia 12/07 houve uma caminhada de abertura oficial da clínica com a presença do Comandante do Policiamento da Região Norte (CPRN), coronel Anselmo Bispo (foto), acompanhado de seu staff, além de alguns participantes da 1ª Clínica que também foram prestigiar, instrutores que compõem a clínica e outros oficiais e praças do orgânico do CPRN.

Diagnósticos

Vale destacar, ainda, a visita do subcomandante do CPRN, Tenente-Coronel Mendonça, na primeira aula teórica com a psicóloga, além das avaliações nutricionais, físicas e antropométricas que já foram realizadas e servirão de parâmetros para mensurar a evolução de cada participante. Já foi possível perceber que os pacientes vêm de um longo período de sedentarismo, apresentando obesidade e outras doenças associadas. No entanto, durante todo o processo, as expectativas são de que todos sairão da clínica com uma notória melhoria da qualidade de vida. Os participantes da iniciativa vão servir de multiplicadores do conhecimento adquirido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome