Combate à mosca da fruta reúne produtores e instituições em Juazeiro

por Carlos Britto // 05 de agosto de 2021 às 09:28

Foto: divulgação

A meta de tornar o Vale do São Francisco zona livre da mosca da fruta reuniu representantes do agronegócio nesta quarta-feira (4), no Centro de Excelência em Fruticultura, em Juazeiro (BA). O evento, que foi articulado pelo presidente da Associação Brasileira de Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas), Guilherme Coelho, contou com a participação de Carlos Goulart, diretor de Sanidade Vegetal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) – além de produtores e representantes de instituições ligadas ao segmento na região.

Na ocasião o presidente da Abrafutas salientou que a mosca das frutas não é só um problema para quem exporta, mas também para quem vende no mercado interno. “Nosso trabalho inicial é fazer com que todos os produtores entendam a necessidade de se adotar técnicas e medidas de manejo. O Vale é referência em fruticultura, mas ainda está atrasado no enfrentamento dessa praga. Muitas regiões já são zonas livres da mosca das frutas e não podemos descansar enquanto não atingirmos esta meta aqui“, destacou Guilherme Coelho.

O representante do MAPA pontuou que o departamento de Sanidade Vegetal do Ministério conta com 12 programas de erradicação de pragas voltados para a fruticultura. Segundo ele, a situação da mosca das frutas no Vale do São Francisco é um problema que o Governo não consegue resolver sozinho. “Existem as medidas que o Ministério quer fomentar, como monitoramento, controle cultural, controle químico e controle biológico. Mas isso deve ser feito em conjunto com órgãos estaduais e produtores. É fundamental uma associação como a Abrafrutas liderar esse processo que vai trazer resultados para todo o coletivo“, afirmou Carlos Goulart.

O evento contou com representantes da Adagro, Embrapa, Codevasf, Univasf, Adab, Sebrae-PE, Sebrae-BA, Senar, CNA, DINC, Valexport, Governo do Estado da Bahia, Governo do Estado de Pernambuco e representantes do setor privado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *