Comandante do CPRN afirma que incidentes com foliões no Carnaval de Juazeiro “foi fato isolado” e diz que inquérito vai apurar agressões

4

O Comando de Policiamento Regional Norte (CPRN) realizou na manhã desta terça-feira (30), no auditório do Grande Hotel de Juazeiro (BA), uma coletiva de imprensa para avaliar o resultado do planejamento de segurança feito para o Carnaval 2018 na cidade. Mas o comandante da corporação, Coronel Anselmo Bispo, não escapou dos questionamentos acerca de incidentes envolvendo alguns foliões, entre eles uma estudante da Uneb, que foi agredida por um PM porque teria questionado a forma truculenta de abordagem da polícia.

Um grupo de estudantes da Uneb chegou, inclusive, a divulgar uma nota de repúdio contra a atitude do PM. O comandante do CPRN enfatizou que desde o domingo (28) abriu os procedimentos de praxe, ouvindo as possíveis vítimas. “Hoje já identificamos as patrulhas, como disse anteriormente, e afastamos os envolvidos diretamente nas agressões”, afirmou.

Antes da conclusão do inquérito, o coronel afirmou que dará o direito “à defesa e ao contraditório” dos PMs flagrados, até porque tomou conhecimento, através de vídeos, de dois policiais também agredidos – um foi ferido no rosto e outro quebrou o pé.

“Fato isolado”

Anselmo Bispo disse, no entanto, que isso se tratou de um “fato isolado”. Ele ressaltou que durante a folia foram empregados quase 2 mil homens e mulheres da PMBA, e a ação de quatro ou cinco policiais não poderia ofuscar o brilho da atuação do agrupamento.

Estes que agiram dessa forma sabem, e já sabiam antes, dos riscos que corriam ao serem alcançados pela lei. Não é pelo coronel, nem pelo Juiz ou promotor é pela lei. E serão alcançados, não tenham a menor dúvida. não podemos, depois de milhões aplicados no carnaval, com milhares de pessoas envolvidas e centenas de dias planejando em dias de pouco sono, pouco alimento, de extrema tensão ao final de um evento de sucesso a gente ter que explicar a ação isolada de um percentual que dá para medir de queixas”, afirmou o Coronel.

O comandante também destacou o menor número de ocorrências policiais no evento. “Não tivemos homicídios, nem no circuito nem no entorno. Não tivemos apreensão de arma de fogo e nenhum disparo sequer no circuito. Não tivemos roubo ou furto de veículos. Então, temos muito mais a comemorar e agradecer”, finalizou.

4 COMENTÁRIOS

  1. Comemorar? Um homem da um soco em uma mulher, a deixa desmaiada e vai embora, é pra comemorar? Sr. Comandante me desculpe, mas em uma situação como essa seria tentativa de homicídio ou lesão corporal grave? Isso não é motivo para cadeia? Sem falar na omissão de socorro.

  2. O Comandante tem que apoiar a tropa, pois a mesma é a que está no campo batalhando para manter a paz. Então Comandante, fique do lado da tropa por que o Sr sabe o quanto os policiais já são massacrados …

  3. A ação de 4 ou 5 policiais não pode comprometer toda a atuação da Polícia em garantir a segurança do evento. Por outro lado, a penalização dos responsáveis é essencial como prova de que tal comportamento não é tolerado, respondendo a sociedade e servindo de exemplo para aqueles profissionais que confundem o papel do policial ou mesmo se acham acima da lei

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

4 − 4 =