Com ampla maioria, Aécio é eleito presidente nacional do PSDB

3

aecio_neves/Foto: Ed Ferreira/EstadãoCom 97,3% dos votos dos integrantes do partido, o senador Aécio Neves (MG) foi eleito ontem (18) presidente nacional do PSDB. A convenção nacional da legenda oposicionista lotou o centro de convenções de um hotel de Brasília. Segundo a assessoria da sigla, entre governadores, parlamentares, prefeitos e militantes, cerca de 4 mil tucanos compareceram ao evento partidário.

Potencial candidato do PSDB à Presidência da República em 2014, Aécio obteve 521 dos 535 votos dos delegados eleitos para escolher o sucessor do deputado federal Sérgio Guerra (PE) no comando do partido. O presidente do PSDB tem como função liderar as ações da sigla em época de eleição, administrar divergências internas e articular alianças nacionais e regionais.

Num discurso de 25 minutos, Aécio agradeceu a presença da militância e o voto de confiança para que ele conduza o partido em meio à eleição presidencial de 2014. Ovacionado pelos correligionários, o parlamentar mineiro teceu uma série de críticas à administração petista no governo federal e avaliou as dificuldades que a oposição irá enfrentar na tentativa de derrotar Dilma nas urnas.

Queremos tirar o país das garras de um partido político que se esqueceu de suas origens e da sua história. (…) Não será fácil a nossa missão, mas está longe de ser impossível. Não vamos enfrentar apenas um partido, mas um partido que se encastelou no poder”, afirmou. “Hoje, vocês podem imaginar, é um dia diferente. Hoje, presidente Fernando Henrique, não realizamos apenas mais uma convenção. Hoje, nós nos reencontramos com a nossa história”, disse.

A eleição que alçou Aécio ao principal posto do PSDB reuniu os principais expoentes da legenda, inclusive o ex-governador paulista José Serra, um dos principais rivais do novo presidente do PSDB, e o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Aliados históricos, DEM e PPS também prestigiaram o evento.

Campanha

Fernando Henrique Cardoso ficou sentado à direita do senador mineiro, na primeira fila do palco reservado aos dirigentes, durante todo o evento. Já na cadeira posicionada à esquerda de Aécio estava o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, tucano que administra o estado mais populoso e rico do país.

Ainda que, oficialmente, a eleição tucana fosse apenas um evento de troca de comando interno, ela ganhou ares de campanha eleitoral para a corrida pelo Palácio do Planalto. Praticamente, todos os oradores aproveitaram os holofotes para defender a candidatura de Aécio para a sucessão da presidente Dilma Rousseff e criticar a gestão do PT. (Fonte: Estadão)

3 COMENTÁRIOS

  1. Esse para ganhar de Dilma vai ter comer muito pão de queijo.Quero ver qual será o seu discurso? onde tantos os pobres quantos os ricos, estão se dando bem com o modelo de desenvolvimento econômico e social, que foi implantado por LULA nesse país.

  2. Agora vai, com Aécio Neves, candidato à Presidência da República, à História é outra. Um político articulado, equilibrado, que irá sacudir a base política da Dilma Rousseff & Cia.

  3. Cuidado para não comprarem gato por lebre, vejam reportagem da Folha de hoje:

    Bandeiras de Aécio se desgastam em Minas

    Após dez anos de gestão do PSDB em Minas Gerais, ao menos duas bandeiras do partido sofrem desgaste: o combate à desigualdade regional e à criminalidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome