Coluna da Folha: Danilo roda o Estado, assegura dinheiro em caixa e defende Paulo Câmara

por Carlos Britto // 26 de outubro de 2022 às 07:00

Foto: Ascom/divulgação

Se tem alguém de astral alto, mesmo com o revés da eleição, é o deputado federal Danilo Cabral (PSB), que ainda está correndo pelo Estado. Só ontem Danilo andava pelo Agreste, passando por Garanhuns, Alagoinha, Tacaimbó, São Caetano e Jataúba.

Vou visitar 25 municípios que representam simbolicamente os 885.994 pernambucanos e pernambucanas que me confiaram seus votos para dizer obrigado”, concluiu.

Danilo diz ainda que a próxima governadora receberá um Estado com um caixa de R$ 3 bilhões para investimentos a disposição para investimentos. “Quem assumir o governo do Estado não terá do que reclamar.  Não poderá usar a atual gestão como desculpa de dizer que a casa está desarrumada. Apesar das crises, o Estado está em condições de dar um novo salto de desenvolvimento”, afirmou.

Ele ainda defende o legado de Paulo Câmara, afirmando que o governador tem o carinho do pernambucano.

Prefeitos, lideranças políticas falam sobre o reconhecimento do trabalho do governador no enfrentamento das crises que assolaram o país e das entregas que fez em todos os municípios. Mas o povo entendeu de outra forma”, comentou Danilo.

PT apoia PSDB

Após a declaração pública de lideranças do Partido dos Trabalhadores de Petrolina declararem apoio à candidata do PSDB ao Governo de Pernambuco, Raquel Lyra, a Executiva Municipal da legenda emitiu nota reiterando o empenho na candidatura de Marília Arraes (SD) ao governo do Estado e a Lula. “A posição individual de militantes do partido, em qualquer posição que esteja ou ocupe no partido, não sobrepõe a decisão da maioria, tomada pelas instâncias partidárias. Reforçamos que as forças do campo democrático e popular estão unidas em Petrolina, na luta contra a extrema-direita e seus aliados. Nessa luta, todas e todos estão com Marília Arraes para governadora e Lula presidente”, diz o documento.

‘Teje’ solto

A partir de hoje nenhum eleitor pode ser preso ou detido. Isso vale até 48 horas após a finalização do segundo turno das eleições 2022. A exceção é válida apenas para flagrantes em delito ou em sentença criminal por crime inafiançável. A outra exceção é se a pessoa impedir o direito de transitar de outro cidadão, prejudicando o livre exercício do voto. De acordo com o Artigo 236 do Código Eleitoral, membros das mesas receptoras e fiscais de partido também não poderão ser detidos ou presos durante o exercício de suas funções, “salvo caso de flagrante delito”.

Acertando

Os deputados estaduais pernambucanos aprovaram a criação de duas matérias importantes para a saúde da população: o Projeto de Lei 3.554/2022, que prevê atenção especial com a adoção de cuidados paliativos no tratamento de pacientes em fase terminal; e o 3.263/22, que apresenta medidas para prevenir, identificar e controlar a trombofilia gestacional. Na reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), também ficou definida a realização de uma audiência pública para discutir a possibilidade de assegurar às pessoas com Síndrome de Down, TEA ou doenças raras a gratuidade, com direito a um acompanhante, em eventos culturais e esportivos do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.