Coluna da Folha

0

Em Granito, prefeito luta para permanecer candidato

O prefeito de Granito, no Sertão do Araripe, João Bosco Lacerda (PT), vem enfrentando um problema atrás do outro. João é candidato à reeleição, pela Frente Granitense – composta por PT, SD, MDB e PDT, e tem Thaylan Geraldo como candidato a vice, e recebeu uma segunda bronca para resolver na Justiça. A primeira foi em 2019, quando foi condenado em primeira instância pela Justiça Federal por improbidade administrativa, correndo o risco de perder o cargo e o direito de concorrer à reeleição.

A segunda bronca chegou recentemente, após ter sido processado no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), pela Caixa de Assistência à Saúde dos empregados da Codevasf. O julgamento dos recursos da primeira condenação em primeira instância, por improbidade administrativa, estava marcado para o mês de maio deste ano, mas devido à pandemia, os representantes jurídicos do prefeito solicitaram o adiamento. No entanto, a qualquer momento o julgamento em segunda instância poderá ser remarcado.

João foi condenado, segundo a Justiça, por uma série de irregularidades referentes à administração e aplicação de recursos federais provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), praticadas durante o mandato de 2004 a 2008. Agora, o prefeito está sendo novamente processado pelas suas atividades enquanto esteve à frente da Codevasf.

Apesar do desgaste, até o momento o prefeito continua candidato à reeleição no município de Granito e segue normalmente a sua candidatura.

Sem fogos

O Ministério Público Eleitoral recomendou aos candidatos a prefeito, aos partidos e as coligações dos municípios de Pesqueira e Poção, que se abstenham e desautorizem seus apoiadores e correligionários a soltarem qualquer tipo de fogos de artifício durante o período eleitoral, que possam causar dano à vida, à saúde das pessoas, danos materiais, perturbação do sossego ou poluição sonora.

O povo de casa

Em Santa Maria da Boa Vista, o candidato à reeleição, Humberto Mendes (PSB), foi alvo de críticas por atos da sua própria militância. Ele foi criticado por não respeitar as normas de prevenção à Covid-19 ao permitir aglomeração em frente a uma emissora de rádio da cidade e por supostamente haver cargos comissionados da prefeitura na mobilização. A assessoria do candidato desmentiu.

Guia eleitoral

A propaganda eleitoral gratuita tem início nesta sexta-feira (9) e segue até 12 de novembro, para os municípios que terão apenas primeiro turno. Em Ouricuri, teve candidato a prefeito que ficou sem tempo de rádio. Júlio Macedo (PSTU) foi o único que não recebeu tempo.

Para o segundo turno

Em Petrolina, o candidato a prefeito pelo PT, Odacy Amorim, com apoio do deputado federal Gonzaga Patriota (PSB), vem apostando todas as fichas em um possível segundo turno. “Se não for no primeiro turno, vamos garantir a vitória de Odacy no segundo”, disse Gonzaga, durante evento com petista.

Arquivou

Em Iguaracy, o Ministério Público de Contas arquivou denúncias da oposição da cidade, de que o município havia feito a aquisição de insumos para a pandemia e usado recursos da Covid com sobrepreço. O procurador Ricardo Alexandre definiu por não haver necessidade de abertura de processo em nenhuma das denúncias, determinando seu arquivamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome