CNBB manifesta preocupação com a PEC 241: “Retrocesso”

5

cnbbEm nota enviada à imprensa, a Comissão Episcopal Pastoral Para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, juntamente com bispos referenciais das Pastorais Sociais da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), manifestou preocupação com a PEC 241, que cria um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos. A PEC foi aprovada em primeiro turno pela Câmara dos Deputados, no dia 10 de outubro. A comissão classifica a proposta como um “retrocesso”.

Acompanhe:

Nós, Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, e bispos referenciais das Pastorais Sociais, da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil, reunidos em Brasília, nos dias 18 e 19 de outubro de 2016, manifestamos nossa preocupação com o cenário de retrocessos dos direitos sociais em curso no Brasil.

Entendemos que as propostas de reforma trabalhista e terceirização, reforma do Ensino Médio, reforma da Previdência Social e, sobretudo, a Proposta de Emenda Constitucional, PEC 241/2016, que estabelece teto nos recursos públicos para as políticas sociais, por 20 anos, colocam em risco os direitos sociais do povo brasileiro, sobretudo dos empobrecidos. 

Em sintonia com a Doutrina Social da Igreja Católica, não se pode equilibrar as contas cortando os investimentos nos serviços públicos que atendem aos mais pobres de nossa nação. Não é justo que os pobres paguem essa conta, enquanto outros setores continuam lucrando com a crise. 

Afirmamos nossa solidariedade com os Movimentos Sociais, principalmente de trabalhadores e trabalhadoras, e com a juventude, que manifestam seu descontentamento com as propostas do governo, bem como todas as organizações que lutam na defesa dos direitos da população.

Encorajamos as Pastorais Sociais a participarem, com os demais movimentos e organizações populares, na defesa das conquistas sociais garantidas na Constituição Federal de 1988, na qual a CNBB tanto se empenhou no final da década de 1980. Não desanimemos diante das dificuldades. Somos povo da esperança!

Com compromisso profético, denunciamos, como fez o Profeta Amós: “Eles vendem o justo por dinheiro, o indigente, por um par de sandálias; esmagam a cabeça dos fracos no pó da terra e tornam a vida dos oprimidos impossível” (Am 2,6-7). 

O Espírito do Senhor nos anima no serviço da Caridade, da Justiça e da Paz. Com Maria cantamos a grandeza de Deus que “derruba os poderosos de seus tronos e exalta os humildes; enche de bens os famintos e manda embora os ricos de mãos vazias” (Lc 1, 51s).

Brasília, 19 de Outubro de 2016. 

Dom Guilherme Werlang
Bispo de Ipameri – GO
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para
o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz

5 COMENTÁRIOS

  1. “”Com base na análise de extratos bancários, a CGU informou que R$ 54.734,53 destinados à Vigilância de Saúde foram desviados para compra de passagens, fornecimento de alimentações e diárias – despesas consideradas “inelegíveis”.

    Em pagamentos para compra de óleo de soja, foi constatado superfaturamento de R$ 33.348,00 e sobrepreço de R$ 32.598,00. Por fim, o relatório cita também conluio em processo licitatório para a aquisição de 300 caixas de larvicida, e a ausência de contratação de Agentes de Endemias.

    Os recursos foram descentralizados ao Estado entre janeiro e fevereiro deste ano. A fiscalização em campo ocorreu entre os dias 21 e 23 de março.

    De acordo com o último boletim semanal da Célula de Vigilância Epidemiológica, divulgado na última sexta-feira, 14, o Ceará já possui 32.975 casos confirmados de dengue e outros 49.066 casos suspeitos, em 2016. A capital cearense acumula 18.062 casos, e concentra 54,7% das ocorrências de todo o Estado.”” (http://agenciapatriciagalvao.org.br/especial-zika-virus/conteudos-referenciais/cgu-identifica-desvio-de-verbas-de-combate-dengue-em-12-estados/)

    O Ministério da Educação (MEC) descobriu um desvio de R$ 1,2 bilhão em recursos que deveriam ser aplicados no ensino básico. Em 2009, 21 estados deixaram de repassar parte das verbas para o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), principal mecanismo de financiamento da rede pública de ensino. Parte dos recursos foi utilizada pelos estados para custear outras atividades, como informa reportagem do jornal “O Globo” desta segunda-feira (10). (http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/mec-descobre-desvio-de-r-12-bilhao-em-verbas-para-educacao-basica-0b98b4q7ss1dn4kgwnwac1r2m)

    A CNBB se preocupou com isso tb?

  2. PARA QUEM NÃO SABE, A ATUAL CNBB NADA MAIS É QUE O BRAÇO COMUNISTA-PETISTA NA iGREJA CATÓLICA. UMA ESPÉCIE DE MST DE BATINA, e que há muito perdeu a credibilidade até da comunidade católica.

  3. Decreto contra o comunismo é uma designação popular de um documento da Igreja Católica, publicado pelo Santo Ofício no dia 1 de Julho de 1949, durante o pontificado do Papa Pio XII. Este documento confirmou a excomunhão automática ipso facto (ou latae sententiae) de todos os católicos que, em obstinação consciente, defendiam abertamente o comunismo e colaboravam com organizações comunistas e afins. Além deste célebre documento de 1949, outros decretos contra o comunismo também foram publicados pelo Santo Ofício entre as décadas de 1940 e 1950
    Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Decreto_contra_o_Comunismo

  4. Por causa disso e outras merdas da Igreja Catolica, aviso que deixarei de ser catolico. Nao frenquento igreja que se mistura com politica ainda mais , sabendo que o projeto petista é comunista. Fiquei com nojo disso, da pedofilia e falta de moral de todo jeito da Igreja Catolica e das Evangelicas tambem. Fiquei com nojo de religiao.Nao frequentarei mais .Serei espiritualistaa sem vinculos. A Igreja se meteu onde nao deveria que foi na politica!!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome