Clebel Cordeiro se torna réu em processo movido pelo Ministério Público Federal

1

A Justiça Federal recebeu, nesta terça-feira (20), denúncia que o Ministério Público Federal (MPF) ofereceu contra o prefeito de Salgueiro (PE), Clebel de Souza Cordeiro, pelos crimes de invasão de terras da União, furto de água de canal do Rio São Francisco e desmatamento de área de preservação permanente. 

Ontem (19), o gestor renunciou ao acordo de não persecução penal proposto pelo MPF em agosto. Com isso, hoje (20), a Justiça Federal recebeu a denúncia do MPF, e o prefeito tornou-se réu no processo. O responsável pelo caso é o procurador da República Rodolfo Lopes. 

De acordo com as investigações, Clebel Cordeiro substituiu cercas e piquetes de demarcação instalados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), órgão federal que administra as obras da transposição do Rio São Francisco, e ocupou irregularmente cerca de 2,3 hectares de terras da União. O objetivo foi chegar à área em que fica o braço do Reservatório Mangueiras, de onde era captada água para irrigação de plantios na propriedade particular do prefeito. Ele também foi responsável por desmatamento na área de preservação permanente em torno do reservatório, contribuindo para contaminação da água que será levada a milhões de pessoas por meio dos canais da transposição do Rio São Francisco. 

Clebel Cordeiro foi preso em flagrante pela Polícia Federal (PF), em dezembro do ano passado, durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão requisitado pelo MPF. A ocupação irregular das terras ocorria desde 2018. A área rural havia sido desapropriada em 2007 pela União, que pagou indenização a vários proprietários, inclusive ao próprio prefeito. 

Caso seja condenado pela Justiça Federal, a pena aplicada a Clebel de Souza Cordeiro pode chegar a 14 anos de reclusão. O MPF também requer que a Justiça condene o gestor ao pagamento de multa de 100 salários-mínimos, estimada como o valor mínimo para reparação dos danos causados.

1 COMENTÁRIO

  1. Esse MPF deveria resolver a questão da fuligem da Agrovale, mas não resolve por quê?
    A gente imagina, mas não tem como provar. Então, nao posso dizer.
    Vengonha e decepção

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome