Chuva durante a madrugada traz transtornos a população de Petrolina

por Carlos Britto // 11 de abril de 2009 às 17:30

Voltou a chover com intensidade na madrugada deste sábado (11) na região. De acordo com a Defesa Civil de Petrolina, quatro famílias – sendo três oriundas do bairro Dom Avelar e uma do São Joaquim – serão encaminhadas para o Ginásio de Esportes Osvaldo do Flamengo, que vai funcionar como um abrigo temporário. As casas destas pessoas foram invadidas pelas águas das chuvas que têm caído na região nos últimos dias.

“É uma situação complicada, muitas áreas de Petrolina sofrem com as chuvas prolongadas porque não disponibilizam de um sistema adequado de escoamento. Há de se registrar que tem uma família no Parque Jatobá que a casa está totalmente alagada, mas eles resistem a deixar o imóvel com medo de serem saqueados. Estamos viabilizando umas barracas junto ao Exército para ver se ajudamos esta família”, explica o diretor Executivo da Defesa Civil de Petrolina, Jenivaldo Santos.

Outras áreas atingidas pelas chuvas foram os bairros Vale do Grande Rio, Jardim Petrópolis, Santa Luzia. “Já acionamos a secretaria de Infra-Estrutura do município para ver essa questão da drenagem, mas isso não é uma coisa que se resolve da noite para o dia. A Lagoa do São Joaquim subiu, não teve como escoar, acumulou e alagou algumas casas. Nas proximidades da escola do bairro Dom Avelar, também se acumulou muita água”, frisa Santos.

Somente no bairro Gercino Coelho, região central da cidade, o laboratório de Meteorologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco registrou precipitação de 67,4 milímetros. “Ainda estamos coletando os dados e há locais em que pode ter chovido mais do que isso. A previsão é de que as chuvas continuem pelos próximos dias. Até o fim de abril a região deve registrar precipitações pluviométricas”, destaca o meteorologista e professor da Univasf, Mário Miranda.

O dono de um restaurante no bairro do Jatobá, Graciano Cavalcanti Coelho, reclama da inércia da administração pública quando o assunto diz respeito ao sistema de escoamento da cidade. Um dos acessos ao estabelecimento comercial dele está alagado. “Quem quiser vir para essa área vai ter que desviar pela localidade do Carneiro, aumentar mais uns três quilômetros de estrada. Na realidade a gente se chateia porque isso não é coisa nova, existem estudos de topografia, conhecimento do problema e toda vez que chove a situação permanece a mesma. É importante que as soluções saiam do papel”.

Além das casas alagadas em alguns bairros da cidade, o petrolinense se deparou com ruas enlameadas. Motoristas e pedestres tiveram que redobrar a atenção com os buracos encobertos por poças de água em algumas vias públicas da cidade.

Fonte: JC Online

Chuva durante a madrugada traz transtornos a população de Petrolina

  1. JUDAS disse:

    Prezado Primo Graciano.
    Você sabe muito bem de que , quando as coisas são mau feitas e por puro interesse politico a população é quem realmente sofre.
    o senhor sabe por que isso acontece ? Sabe não ? vou explicar :
    O senhor se lembra de uma tal de passagem que fizeram entre o condominio parque Jatobá e o matadouro, que disseram que era pra ajudar o acesso dos moradores da ilha do Jatobá ? Pois bem:
    Aquilo ali foi feito sem nenhum estudo topografico.
    O senhor sabe quem foi que mandou fazer ? Sabe não ? foi seu amigo
    Cesar . lembrou ?
    Aquela inundação não só prejudica você, como também a todos os moradores do parque jatobá e bairros vizinhos.
    Logo,logo quando a agua secar, eu vou aí no seu restaurante tomar
    umas cervejinhas .

  2. Mara disse:

    Em Petrolina é assim o que é bom tem pai, FBC, OC aparece logo com a paternidade. O que é ruim atribui ao políticos, a camar de vereadores etc, etc menos a eles

  3. Opara disse:

    Que as chuvas em Petrolina causam transtorno, isso ninguém tem a menor dúvida. Agora, a choradeira é muito maior do que os problemas apresentados. Em outras cidades, do porte de Petrolina, a calamidade é infinitamente maior. Isso porque nós temos o rio São Francisco que recebe grande parte das águas da chuva, por gravidade. A medida que a cidade vai crescendo, aumenta também os transtornos, porque grande parte das águas que antes se infiltrava no solo, agora corre por sobre o concreto das pistas e calçamento. Os problemas podem ser diminuídos com a intervenção de obras, mas jamais sanados, pois o homem nunca vai conseguir substituir a natureza. Enquanto ao sr. Jenivaldo, demorou para buscar apoios às pessoas que precisam de abrigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *