Canudos: Falsa médica é presa por exercício ilegal da profissão

0

medicaUma médica de 31 anos foi presa por exercício ilegal da profissão na noite do sábado (15), no município de Canudos, norte da Bahia. De acordo com a Polícia Civil (PC), ela usava o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) de uma médica de Salvador, sem a autorização da profissional. As informações foram passadas na manhã deste domingo (16), pelo delegado Paulo Jason Mello Falcão, titular da Delegacia de Euclides da Cunha, responsável pela região.

Segundo o delegado, a polícia chegou até a suspeita após receber uma denúncia da dona do registro, que ficou sabendo da atividade criminosa da mulher por colegas de profissão. A falsa médica foi presa em flagrante no Hospital Municipal Canudos, onde trabalhava há alguns meses. A Prefeitura de Canudos ainda não se manifestou sobre o assunto.

Conforme Falcão, no momento da prisão, a mulher confessou que não possuía registro no CRM, mas disse que tinha se formado em medicina na Bolívia. Com a falsa profissional a polícia apreendeu algumas receitas assinadas por ela, se passando pela médica licenciada, além de um carimbo com o nome da profissional, informou o delegado.

De acordo com o delegado, ainda durante a prisão, a falsa médica contou que era natural da cidade de Mantena, em Minas Gerais, e que morava na Bahia há quatro meses. A mulher foi encaminhada para a Delegacia de Euclides da Cunha, onde está à disposição da Justiça. Ela foi autuada por exercício ilegal da medicina e por falsa identidade.

Investigação

Ainda segundo o delegado Paulo Jason Mello Falcão, a PC irá investigar se há relação entre a falsa médica e um homem de 40 anos, que também foi preso por exercer a medicina ilegalmente no município de Quijingue, na região de Euclides da Cunha, na sexta-feira (16). Conforme as informações repassadas pelo delegado Equiber dos Santos Alves, titular de Quijingue, o falso médico trabalhava no Hospital Municipal da cidade, há quatro meses, com registro do CRM de um médico licenciado, que não sabia da situação. No momento da prisão, o suspeito também disse que era formado em uma universidade da Bolívia.

Assim como a mulher presa em Canudos, o suspeito foi autuado por exercício ilegal da medicina e por falsa identidade. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Quijingue, onde está à disposição da Justiça. (fonte: G1-BA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome