Campanha educativa do MP Eleitoral em Pernambuco busca conscientizar através do cordel

0

O promotor rochedo, a candidata legal e o eleitor sabido. É com esses três personagens que o Ministério Público Eleitoral em Pernambuco (MPE-PE) apresenta a campanha educativa ‘Pelejando por uma eleição mais justa’, lançada nesta terça-feira (15). Usando versos rimados, com vocabulário típico do estado, e elementos gráficos característicos da literatura de cordel, a campanha busca dialogar com os cidadãos de maneira informal e bem humorada, para estimular sua participação na fiscalização do processo eleitoral e promover o voto responsável e consciente, além de orientar os candidatos sobre o que pode e o que não pode durante a disputa.

A campanha conta com spots de rádio, publicações para redes sociais, aplicativos de mensagens e até figurinhas para WhatsApp. Estão sendo abordados, inicialmente, cinco temas: identificação e estímulo à denúncia de propaganda eleitoral antecipada (este ano, a campanha eleitoral só começa em 27 de setembro); a importância do distanciamento social e do uso de máscaras nos atos de campanha e pré-campanha; a atenção contra a disseminação de notícias falsas (as chamadas fake news); o combate à distribuição de bens em troca de votos e a importância da participação das pessoas na fiscalização do processo eleitoral. Todo o material está reunido em uma página na internet, onde a população poderá baixar os arquivos e se engajar na peleja por uma eleição mais justa.

O procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, chefe do Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE), entende que o país está diante do maior desafio da Justiça Eleitoral de todos os tempos: proteger o direito de votar e ser votado em plena pandemia. “O Ministério Público Eleitoral, formado pelo MP Estadual e MP Federal, promoverá uma grande campanha que vai da plena conscientização e importância do voto até as formas de o eleitor votar de forma segura. A campanha será histórica e muito importante, pois mesmo diante da crise mundial provocada pela Covid-19, o regime democrático precisa ser fortalecido”, declarou.

Para o procurador regional eleitoral Wellington Cabral Saraiva, a campanha é fundamental para evitar abusos. “Contamos com a participação ativa das eleitoras e eleitores neste momento tão importante da democracia, tanto para que nos auxiliem na fiscalização dos atos de pré-campanha e de campanha quanto para que eles próprios rechacem qualquer proposta ilegal de candidatos e candidatas. A eleição justa depende da atitude das cidadãs e cidadãos eleitores”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome