Câmara setorial de citricultura aumenta a qualidade das frutas

por Carlos Britto // 19 de dezembro de 2008 às 21:58

Em função do relevante crescimento da citricultura na Bahia, principalmente na região do Litoral Norte e agreste de Alagoinhas, e com o intuito de padronizar a qualidade das frutas baianas, foi criada, no município de Itapicuru, a 240 quilômetros de Salvador, uma câmara setorial especifica para a cultura do citrus.
O encontro que contou com a participação de representantes da Adab, da EBDA, órgãos vinculados à Secretaria de Agricultura, e do Banco do Nordeste, da Embrapa e cooperativas, teve como objetivo criar ações de estruturação da cadeia produtiva da citricultura daquela região.
A Adab se comprometeu com a câmara em intensificar o monitoramento e as notificações nas áreas de foco, fiscalizações do trânsito de materiais cítricos, capacitação de agentes pragueiros, turmeiros de colheita e produtores rurais, bem como a utilização dos agrotóxicos e a retirada das embalagens vazias dos pomares. Além da fiscalização, a agência vem desenvolvendo ações de educação sanitária junto aos pequenos produtores baianos alertando-os quanto à importância de estarem em dia com a documentação fitossanitária de origem (CFO), como também vem reforçando a vigilância em suas barreiras sanitárias fixas e móveis, principalmente na divisa da Bahia com o Espírito Santo. No ano passado, foi detectado um foco da mancha preta naquele estado.
Segundo o diretor geral da Adab, Cássio Peixoto, o órgão não tem medido esforços para conscientizar os produtores quanto à necessidade do controle preventivo das pragas que atacam os pomares dos citrus, norteando os sistemas de produção de modo a se tornarem mais eficientes e menos onerosos.
Para a diretora de defesa vegetal da agência em exercício, Regma Caetano, “é importante ressaltar o empenho da Adab em combater o ingresso das pragas quarentenárias no estado, já que a Bahia é considerada livre do fungo Guignardia citricarpa, causadora da Mancha Preta, assim como a exigência do órgão na emissão das Permissões de Trânsito de Vegetais (PTIV e PTV) e do CFO para as comercializações interestaduais”, concluiu a diretora.
Uma missão técnico-fiscal do Ministério de Agricultura, Pesca e Alimentação da Espanha visitou a Bahia em junho deste ano com o objetivo de conhecer o sistema de defesa fitossanitária da citricultura baiana, desenvolvido no Estado pela Adab. O programa desta missão contemplou os estados da Bahia e São Paulo, visto que são os dois principais pólos produtores de citrus no País.
A agência apresentou aos espanhóis o cenário econômico do parque citrícola da Bahia, como produção, produtividade, principais regiões produtoras e o processo de Produção Integrada, recém-implantado em parceria com a Embrapa Mandioca e Fruticultura, assim como o sistema de fiscalização de material cítrico em suas barreiras sanitárias fixas e móveis distribuídas por todo o Estado. A Bahia exporta atualmente citrus para União Européia, principalmente Espanha, com perspectiva para 2009 o mercado norte-americano e asiático. O mais recente plano de trabalho fitossanitário para a cultura dos citrus contempla ações que visam o controle preventivo da Leprose dos citrus nos pomares da região do Litoral Norte, Recôncavo Sul, Baixo médio São Francisco, e região Oeste.

Fonte: Tribuna da Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.