“Brasileiro não sabe se ouve o ministro ou o presidente da República”, diz Mandetta em entrevista

14
Foto: TV Globo/reprodução

Em entrevista exibida neste domingo, 12, ao ‘Fantástico’, da TV Globo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pediu para que as pessoas mantenham o isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus e, em recado direto ao presidente Jair Bolsonaro, cobrou uma “fala única” sobre o problema para não confundir a população. Para o ministro, os meses de maio e junho serão os mais duros no enfrentamento da covid-19 no País. A fala de Mandetta contraria a posição de Bolsonaro, que afirmou neste domingo, em videoconferência com lideranças religiosas, que a “questão do vírus está começando a ir embora”.

Eu espero que essa validação dos diferentes modelos de enfrentamento dessa situação possa ser comum e que a gente possa ter uma fala única. Isso leva para o brasileiro uma dubiedade. Ele não sabe se escuta o ministro da saúde, o presidente…”, disse Mandetta neste domingo.

Isso preocupa, porque a população olha e fala assim: ‘Será que o ministro da Saúde é contra o presidente’? Quem a gente tem de ter foco, esse aqui que é o nosso problema é o coronavírus. Ele é o principal inimigo. Se eu estou ministro da Saúde, por obra de nomeação do presidente. O presidente olha pro lado da economia. o Ministério da Saúde entende a economia, mas chama pelo lado de proteção à vida”, observou Mandetta.

Bolsonaro vem manifestando insatisfação com Mandetta por conta da maneira como o ministro lidera a crise. A insistência pelo distanciamento social é um dos pontos que provocaram desavenças entre os dois. Bolsonaro defende um isolamento seletivo, restrito para pessoas dos grupos de risco, como forma de reduzir o impacto da pandemia sobre a economia.

Os dados atualizados até este domingo apontam 1.223 mortes no País em decorrência da covid-19. No mundo, o total de vítimas já ultrapassou 114 mil.

Pico

Na entrevista, Mandetta voltou a dizer que o período mais preocupante da crise da covid-19 ainda não chegou. “No mês de maio, junho, teremos os dias muito duros. Dias em que seremos tachados. ‘Vocês não fizeram o que tinham de fazer, deviam ser mais duros, menos duros, porque a economia está assim’. Sempre vai haver os engenheiros de obra pronta. Serão dois, três meses de muitos questionamentos das práticas”, finalizou. (Fonte: Estadão)

14 COMENTÁRIOS

  1. Pois eu escuto o presidente.
    Miguel Coelho.
    Deixa o comércio abrir de forma gradual e responsável.
    Com todas as medidas de higiene, uso de máscaras.
    A populaçao é sábia e ordeira.
    Vem dando certo nos outros comércios e seguimentos.
    Seja justo com os outros também.
    Quem nao quiser nao abre.

    • Será que é??? onde liberou tem muita gente. Caixa econômica, feira, até no cartório tinha muita gente na frente. Fora as festinhas, churrasquinhos, etc. Não vejo essa ordem toda.

  2. O vírus está circulando, mas enquanto a pandemia não passa é melhor mantermos distância, sair só se necessário e se sair usar máscara, higienizar as mãos e manter a saúde em dias com vitamina d, vitamina c, própolis e banho de sol.

    • Infelizmente o pessoal dos bairros mais carentes não podem se dar a esse luxo.

      Imagine uma família que divide um quarto e banheiro?

      3, 4 ou mais pessoas?

      As vezes não tem um pão para comer, imagine álcool e sabão para higienização?

  3. Conheço algumas pessoas que já não tem o que comer, e mesmo com esse auxílio do governo, não será suficiente para terminar o mês.

    Já está na hora dos políticos abrirem mão de seus privilégios e o judiciário também, pois teremos que encarar outros problemas como;

    * Tratamentos de câncer interrompidos.
    * Outras doenças que continuam circulando.
    * Criminalidade aumentando por conta de presos soltos.
    * Lojas entregando os pontos comerciais
    * Aumento de preços e falta de determinados alimentos,.
    * Casos de depressão em crescimento.
    * Desemprego.

    É preciso nos prepararmos, pois logo não teremos só o virus para nos preocuparmos.

    Ainda não vi os que estão fazendo quarentena se preocuparem com isso.

    Por que será?

  4. Eu tambem escuto o Presidente, principalmente que não vejo interesses economico por sua parte em prol de laboratorio X ou Y, e Ele só esta vendo o bem do brasileiro que já estão com grandes dificuldade de comprar alimentos, R$ 600,00 por 90 dias não conseguirá matar a fome de muitos logo que passar essa pandemia, e se tratando de um virus invisivel que não tem controle só por vontades humanas, e que é novo e só se tem mais especulação que verdades sobre o mesmo.

  5. Enquanto não houver diminuição de casos de contágio, internação e mortes. Temos obrigação de ouvir o Ministro da Saúde. O despresidente não é técnico, não é médico, não é nada e nem entende de nada. Ele tem que ouvir, acatar as determinações das autoridades de saúde, dar o exemplo. Se não acata, cadeia nele.

    • A especialização do ministro não é em infectologia.

      Mas vejo todo mundo fechando os olhos como se os bairros mais afastados não existissem.

      De dentro de nossas casas e apartamentos com comida farta e dinheiro para passar esse período, é fácil soltar um #FiqueEmCasa.

      Mas niguem tem coragem de ir nos bairros visitar a população mais carente né?

      Temos que sair dessa bolha.

  6. O presidente teve a ótima oportunidade de mostrar que é a liderança que o país precisava, chamando governadores, prefeitos e congresso para implantar as medidas necessárias, iniciando com testes em massa principalmente, assim se isolaria os infectados e epicentros de contaminação.

    Porém como é um imbecil retardado ficou dando uma de João sem braço, jogando para a platéia com discurso eleitoreiro, e atitudes típicas de moleque querendo chamar atenção. E olhe que o dito cujo é Capitão do exército, será que é isso que se ensina nas academias militares? Pois se for estamos fritos com nossos milicos. Após passar essa crise Bolsonaro deve sofrer impeachment, não tem capacidade mental para governar. Governo não é a sexta série do fundamental, para o palhaço que ocupa a cadeira da presidência achar que pode ficar “mitando” ao invés de trabalhar.

  7. Dos três comentários acima somente o do Fabio é pessimista. Não existe o gado do Presidente, o que existe é o povo insatisfeito de ser roubado por políticos sem escrúpulo e sem vergonha. O Bolsonaro pelo menos fala a verdade, é verdadeiro, não engana ninguem, diz o que pensa, não rouba o dinheiro da Nação como a maioria dos políticos, sejam eles do CENTRÃO que é o pior de todos, ou do PT, PSOL, PMDB,DEM,PSDB, PSB, etc., Todos esses políticos desses partidos e CENTRÃO, estão pegando carona no CORONA para derrubarem o Presidente, mas o Povo hoje está esperto, não vai deixar. O Vírus é Chinês, não se sabe se propositalmente foi solto no mundo, não tem cura no momento, todos tem que se precaverem é verdade, mas não precisa parar a economia, quem não mais trabalha como eu, posso ficar em casa e devo ficar e ter precaução quando sair, mas quem está na área produtiva, tem e deve trabalhar e se prevenirem. Agora só um momento de reflexão, vocês já pensaram se esse vírus fosse brasileiro? a Floresta Amazônica que é inecendiável, isto é, não há possibilidade dela ser queimada nem em 5% porque é uma floresta úmida, só por conta de algumas queimadas caíram matando no Bolsonaro dizendo que a Floresta era o Pulmão do Mundo, ISSO É TOTALMENTE FALSO, quem está matando o pulmão do mundo é o CORONA VÍRUS, e aí, como é que fica?

    • Honestidade é obrigação, não prêmio de consolação pela falta de competência. O centrão hoje mais ganha com Bolsonaro do que sem ele, visto as barbaridades sancionadas pelo capinador de quartel como o aumento do Fundão, dinheiro público para pagar advogados de políticos, juiz de garantias, petista na PGR, amigo de Toffoli na AGU, dificultação da delação premiada, então não tem ninguém melhor para o centrão na cadeira da presidência que Bolsonaro.

      Acorda para a realidade bovino gadoso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome