Bolsonaro afirma que se filho está sendo criticado por possibilidade de ser embaixador nos EUA “é sinal de que é a pessoa adequada”

13
Foto: Marcelo Camargo/AgBr

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (15) que “juntamente com parlamentares” está resolvendo um problema do Brasil, em referência à reforma da Previdência, que está em tramitação na Câmara dos Deputados. “O Brasil precisa de uma quimioterapia para que ele não pereça. Alguns poucos ainda reagem, mas serão convencidos pelo povo e pela maioria dessa Casa. Deputados, senadores, nós juntos poderemos, sim, mudar o destino do Brasil”.

Após a aprovação em primeiro turno, a votação em plenário do segundo turno da reforma da Previdência começa após o recesso parlamentar, em 6 de agosto.

Bolsonaro participou hoje (15) de uma sessão solene, na Câmara dos Deputados, em homenagem aos 17 anos do Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro. “Feliz é a nação que tem Forças Armadas e forças auxiliares comprometidas com a democracia e a liberdade, mesmo com o sacrifício da própria vida ou com a destruição da própria reputação. Pagamos para que nosso Brasil tenha um povo que possa servir seu destino e a esse povo devemos nossa absoluta lealdade”.

Ele destacou a atuação das forças especiais na “missão de bem zelar pelo país”. “Sabemos que grande parte das missões ninguém toma conhecimento. Melhor do que uma boa informação é saber como utilizá-las, melhor que uma boa operação é ter meios distração para que o inimigo não ouse nos afrontar”.

Filho na Embaixada

Durante seu discurso, o presidente Bolsonaro disse que, se a possibilidade de indicar o seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para assumir a embaixada do Brasil em Washington está sendo criticada, “é sinal que é a pessoa adequada“. “Por vezes temos que tomar decisões que não agradam a todos, como a possibilidade de indicar para embaixada do Brasil nos Estados Unidos um filho meu, tão criticado pela mídia. Se está sendo criticado é sinal que é a pessoa adequada”.

A indicação do deputado como embaixador do Brasil foi cogitada por Bolsonaro na semana passada. “Foi aventada, sim, essa possibilidade. O garoto fala inglês, espanhol, tem vivência no mundo todo e é amigo da família do [presidente dos Estados Unidos] Donald Trump”. (Fonte: Agência Brasil)

13 COMENTÁRIOS

  1. Manda fechar o Instituto Rio Branco então, já que para ser embaixador é preferível alguém que fritou hambúrguer nos EUA, fala inglês igual ao Joel Santana, e é amigo virtual do filho do presidente de outro país. Só podia ser um capinador de mato de quartel, pupilo de um vigarista e terraplanista que nem no Brasil mora. Tanta gente que rala e estuda para ser diplomata, aí vem o filhinho do presidente e vira embaixador, é brincadeira um país desses. Parasitismo estatal puro.

  2. Quando eu leio certas publicações de alguns jornais de grande circulação no país eu fico profundamente envergonhado como jornalista que sou e como cidadão brasileiro. São pessoas que não têm moral, ética ou valores. Tenho vergonha da irresponsabilidade dos repórteres que acham que têm o direito de opinar pessoalmente apenas para influenciar suas audiências com uma direção negativa, mesmo se não houver qualquer verdade em sua mensagem. Todos os outros presidentes foram eleitos e fizeram o juramento de posse, eles foram autorizados a tentar servir este país sem um constante escrutínio negativo de nossas fontes caluniosas de notícias!

    Eu disse tudo isso para você, meu caro leitor (a) observar bem como a nossa imprensa está tratando o caso da possível nomeação de um dos filhos do Presidente, o Dep. Federal Eduardo Bolsonaro a assumir a Embaixada do Brasil nos EUA. Os jornais e alguns Blogs estão acusando o presidente da República de NEPOTISMO ao cogitar fazer tal nomeação. Mas final o que é Nepotismo? É um termo utilizado para designar o favorecimento de parentes ou amigos próximos em detrimento de pessoas mais qualificadas, geralmente no que diz respeito à nomeação ou elevação de cargos públicos e políticos. Etimologicamente, este termo se originou a partir do latim “nepos”, que significa literalmente “neto” ou “descendente”.

    E o nepotismo de acordo com o entendimento da 2ª turma do STF não atinge cargos de primeiro escalão e os de natureza política. O detalhe é que os esquerdistas e outras pessoas mal intencionadas da grande mídia estão confundindo diplomata com embaixador. São coisas bem diferentes:

    1) O DIPLOMATA é uma carreira e depende de aprovação em concurso do INSTITUTO RIO BRANCO.

    2) Já o EMBAIXADOR é cargo de livre nomeação. É um título conferido ao Chefe de uma Missão Diplomática – Embaixadas e Representações junto a Organismos Internacionais –, pertença ele ou não à carreira diplomática, o que é o caso do Deputado Federal em questão. É comum que o embaixador seja um diplomata, mas a lei brasileira não exige que o embaixador seja necessariamente um diplomata.

    Só para você ter uma ideia, nem o STF exige que seus ministros sejam juízes, bastando apenas o notório saber jurídico. Agora imagine se iria nessa altura dos acontecimentos se exigir isso de um cargo de livre nomeação, só para agradar as sandices dos inconformados com a derrota das ultimas Eleições Presidenciais? O cargo de embaixador é um cargo político e não técnico. E como se trata de cargo de livre nomeação e confiança, fica a critério do presidente nomear quem achar mais adequado para tal função. Exige capacidade de articulação, e isso Eduardo Bolsonaro já mostrou que tem para dar aula… Só para fazer um contraponto, o último diplomata que estava nos EUA era alinhado ideologicamente o Lulo-Petismo.

    E já que eu toquei no assunto Lulo-Petismo, lembremos com isso, que já tivemos um ministro das relações exteriores chamado ALOYSIO NUNES! Era terrorista da ALN – Aliança Libertadora Nacional nos de 60 trabalhando como motorista de confiança do CARLOS MARGHELLA, participando diretamente dos atentados terroristas no período militar. Isso ninguém da imprensa nunca falou ou reclamou de nada, né? Participou do célebre assalto ao trem pagador Jundiaí-Santos, em 1968. Coube ao Aloysio Nunes, dirigir um dos carros e guardar o dinheiro roubado que seria usado para financiar as ações armadas do grupo. Durante o período na clandestinidade, e sendo perseguido por seus crimes, Aloysio adotou os codinomes de Mateus e Lucas.

    Agora no caso de EDUARDO BOLSONARO a coisa é bem diferente. É pós-graduado, fala fluentemente duas línguas (inglês e espanhol) é professor de direito, Policial Federal com experiência e de carreira, Deputado Federal mais votado da história do Brasil, mas os derrotados das últimas eleições estão o tratando como um “desqualificado”. É por isso que sempre falo aqui nesse Blog: leiam, estudem, não caiam nas mentiras de certos ramos da imprensa “fakenews” chefiada por redatores comprometidos com o aparelhamento ideológico Comunista! Nunca baseie sua opinião no que os panfletos militantes e a “imprensa marrom” divulgam acerca das ações do novo governo sob o risco de passarem vergonha nas redes sociais.

    Siga O Fluxo Gente Amiga!

    • Sinto lhe informar mas…é NEPOTISMO
      Para além disso tem gente mais competente!!

      “O cargo de embaixador é um cargo político e não técnico. E como se trata de cargo de livre nomeação e confiança, fica a critério do presidente nomear quem achar mais adequado para tal função.” Seu texto.

      Agora imagina imagina o prefeito nomear a esposa… é a mesma coisa seu nazistinha de M#R$SSA…

  3. Olha a lógica do rapaz:

    “os outros fizeram, nós podemos também!”

    Todo o resto do comentário foi só enrolation para passar pano para o filho do presidente, que dizia em campanha que iria “mudar tudo isso que está aí”, e agora apoia indicação do próprio filho para cargo no governo.

  4. Engraçado, o governador de Minas Romeu Zema fez processo seletivo para cargos POLÍTICOS E DE CONFIANÇA para vários escalões do governo, colocou os candidatos para disputarem entre si e ver quem eram os melhores. Mas ainda tem bozolóide que acha que só por que o cargo é político, que fulaninho fritou hambúrguer nos EUA, que tem vários diplomas (e virou funça público, pense aí), ele é mais que qualificado para assumir o cargo. Ora se é tão bom, por que precisa das bênçãos do papai presidente? Por que não colocaram outros para disputarem e ver que era o melhor? Ah vão para lá com a gadice de vocês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome