Audiência na Câmara de Petrolina busca meios de fortalecer leis para causa animal

por Carlos Britto // 23 de dezembro de 2021 às 11:00

Foto: Ascom CMP/divulgação

A proteção e defesa dos animais em Petrolina motivou a realização de uma audiência pública na Câmara de Vereadores, ocorrida na manhã de ontem (22). O debate, promovido pela Comissão de Defesa e Proteção da Causa Animal, foi a quarta etapa de uma série de reuniões promovidas pela Comissão para abordar o assunto. O encontro contou com a presença de representantes da prefeitura, do Centro de Controle de Zoonoses, Guarda Civil Municipal (GCM), Exército, Polícia Militar, Vigilância Sanitária e Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA).

O objetivo da reunião foi elaborar, a partir das discussões, um documento com medidas de segurança sobre ataques de cães de grande porte, como também ações relacionadas aos maus tratos sofridos por animais utilizados como instrumentos de trabalho. Além disso, a Comissão irá reunir os relatórios levantados para discutir com o Poder Executivo formas de fortalecer a aplicação das leis municipais já existentes sobre o tema.

O presidente da Comissão, vereador Wenderson Batista, falou sobre a importância dos encontros e afirmou que ações práticas precisam ser efetuadas para que as leis sejam cumpridas. O vereador da cidade de Juazeiro (BA), Renato Brandão, participou da audiência e elogiou a iniciativa. “Petrolina tem avançado em relação à proteção animal, e é muito interessante que a política pública instituída em uma cidade também seja praticada na cidade vizinha”, considerou.

Para Victor Flores, Diretor de Impactos Ambientais da AMMA, o processo de melhorias nos cuidados com os animais se dá por meio da educação. “Precisamos transformar a visão das pessoas no sentido de mostrar que os animais ou os carroceiros não são o problema, mas que a causa é uma responsabilidade de todos. Esse é um processo que passa também pela educação”, declarou.

Punição aos tutores

Marcelo Gama, Diretor-Presidente da Vigilância Sanitária, reiterou a necessidade de dar mais ênfase aos donos dos animais. “O animal não é passível de punição. A partir do momento que a gente pegar essas 36 leis e focar nos donos dos animais, que causam maus tratos, que abandonam, e aplicar penalidades, isso vai servir de exemplo para conscientizar os demais”, argumentou. Para finalizar, Wenderson Batista explicou que as discussões trazidas nas reuniões serão levadas ao Executivo para que sejam definidas ações de aplicação das leis em vigor. “A partir destes encontros, nós vamos reunir os relatórios e apresentar ideias para encontrar melhorias em relação aos cuidados com os animais na nossa cidade”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *