Atirador invade universidade norte-americana e deixa ao menos 10 mortos, segundo rede de TV

0

oregon-faculdadeUm atirador disparou nesta quinta-feira (1º) na Umpqua Community College, faculdade comunitária no estado do Oregon, nos Estados Unidos. A faculdade, que fica a 9,7 km da cidade de Roseburg, foi fechada. A polícia foi ao local, houve troca de tiros com o suspeito, e ele morreu.

O xerife do condado de Douglas, John Hanlin, deu uma coletiva de imprensa, mas não divulgou o número de mortos. Ele informou apenas que o atirador era um homem que foi localizado em uma sala de aula. Segundo o xerife, houve troca de tiros, e o suspeito foi morto. Os policiais não ficaram feridos. A governadora do Oregon, Kate Brown, disse em pronunciamento em Portland que o atirador tinha 20 anos.

Até o momento o número de mortos no incidente não está claro. A rede CNN informa que 10 pessoas morreram e 20 ficaram feridas com os disparos. Já a agência Reuters diz que a imprensa local informa 15 mortos citando a polícia do Oregon. O procurador-geral do estado disse à afiliada da rede NBC em Portland que 13 pessoas morreram.

Os feridos foram transportados para receber atendimento médico. Outros estudantes e funcionários da faculdade foram levados de ônibus a um centro do condado para encontrar seus familiares.

Lei

O Oregon é um dos estados americanos que permitem a entrada com armas de fogo no campus das universidades públicas – as instituições podem proibi-las apenas dentro dos edifícios.

De acordo com o projeto Armed Campuses, que monitora as leis relativas ao tema em cada estado do país, em 2011 a Justiça decidiu que as universidades e escolas públicas do Oregon não tinham mais autoridade para proibir a entrada com armas em seu espaço físico.

A lei permite que cada instituição restrinja armas somente dentro dos edifícios, alojamentos, centros de eventos e salas de aula. A regra não vale para universidades privadas, que ainda têm o direito de proibir as armas em todo o seu espaço. (fonte: G1-SP/foto: Mike Sullivan/Roseburg News-Review via AP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome