Artigo: “Hoje é dia de celebrar os 109 anos do eterno Rei do Baião”

por Carlos Britto // 13 de dezembro de 2021 às 21:15

Fotos: reprodução

Para quem é nordestino e sobretudo sertanejo, hoje (13) é dia de comemorar uma data especial: os 109 anos do eterno Rei do Baião Luiz Gonzaga. É nesta data que nascia, no dia 13 de dezembro de 1912, aquele que se tornaria uma referência da sanfona e um dos mais importantes divulgadores do forró, xote e baião.

A idolatria pelo Velho Lua está nos quatro cantos do país, como destaca o jornalista e pesquisador Ney Vital neste artigo em forma de reportagem. Confiram:

A sanfona é o principal instrumento das festas espalhadas pelo mundo. Fascina pela sua sonoridade, pela diversidade de modelos e gêneros, mas seu encanto transcende o poder da música, porque desperta um afeto misterioso. Talvez pelo fato de ficar junto ao coração do sanfoneiro, ou, quem sabe, por ser um instrumento que é abraçado ao se tocar. Ou ainda, por ser um instrumento que respira.

O fato é que a sanfona une as pessoas e é amada por todos os povos. Após quase dois anos turistas, pesquisadores e principalmente grande número de fãs e admiradores da vida e obra de Luiz Gonzaga, literalmente invadiram Exu, Pernambuco, para festejar os 109 anos de nascimento do Mestre da Sanfona Luiz Gonzaga, entre os dias 10 a 13 de dezembro.

A cada ano já é tradição na terra do Rei do Baião e de Barbara de Alencar, o encontro dos amigos que prestam homenagens a Luiz Gonzaga. Centenas de pessoas se deslocam de diversos lugares do Brasil para prestigiar a data de nascimento daquele que é uma das maiores referências da música brasileira.

O empresário Claudio Mozart viajou de Marabá, Pará, para prestigiar os 109 anos de nascimento de Luiz Gonzaga. Do Pará via Petrolina, Mozart viajou quase 2 mil km para chegar na Chapada do Araripe. “Experiência divina visitar a história de Luiz Gonzaga e a sua Exu. Para o ano 2022 serão 110 anos, Exu e o Brasil têm que fazer uma festa mais bonita ainda”, disse Mozart. Ele é natural de Belo Jardim, Pernambuco, mas reside no Pará há 30 anos.

A paraibana de Campina Grande, Nilda Araújo, também não mede esforços para participar das festividades. Ela percorre mais de 15 horas de estrada para chegar a Exu. “Dancei na Companhia de Projeções Raízes, coreógrafo Ronildo Cabral e Companhia Livre de Dança (coreógrafo Mauro Araújo) com reconhecimento internacional. Tive o privilégio de dançar com Elba Ramalho, em um dos festivais de inverno de Campina Grande. Visitar Exu é transpor vida em arte. É fazer arte ávida vida e da música dança”, diz Nilda. 

Entre os Clubes de Fãs mais uma vez presentes nas festividades estão o Eterno Cantador (Paus Ferros-RN), Fã Clube 100% de Santa Cruz do Capibaribe (PE), Irmãos Gonzagueanos (Caruaru PE), Amigos Gonzagueanos (Senhor do Bonfim), Tropa Gonzagueana (Petrolina/Juazeiro), Aracaju, Salvador, Fortaleza.

Todos os Grupos e Fãs Clubes têm “a benção” do Padre José Fábio, que todos os anos participa da Missa em Ação de Graças na sombra do pé de juazeiro, no Parque Aza Branca. Padre Fabio atua em Sobral, Ceará. Padre Fábio é o fundador do site Na Cabana de Gonzagão.

Destaque

Entre os pesquisadores presentes em Exu, está o paraibano Paulo Vanderley, que relança nesta segunda-feira (13) o site Luiz Lua Gonzaga com visual novo. O site é um projeto do pesquisador apaixonado pela obra gonzagueana e reúne, no ambiente virtual, um amplo acervo sobre a carreira de Gonzaga, com discos, fotos e documentos raros.

A página foi criada há 16 anos por Paulo Vanderley, com supervisão técnica de Walmar Pessoa, e é considerada, hoje, o maior acervo digital da obra de Gonzaga. Ele foi reunindo, ao longo da vida, inúmeros detalhes da carreira do artista e, como todo apaixonado colecionador, conservou o material nos arquivos dentro da casa. Até que, em 2005, resolveu disponibilizar para o grande público por meio da internet. O site chegou à marca de 8 milhões de acessos somente em 2012, ano do centenário de Luiz Gonzaga.

“Na época, o ambiente digital era carente de informações sobre Luiz Gonzaga. Nós transcrevemos manualmente as músicas porque ainda não havia letras disponíveis no formato online. Com isso, o site foi um sucesso, na época, entre admiradores, acadêmicos e até estudantes secundaristas”, contou Paulo, recordando a origem do projeto.

Referência nacional

 A experiência e o conhecimento fizeram de Paulo Vanderley uma referência nacional no tema, tanto que ele foi convidado como consultor em importantes projetos sobre Gonzaga, como o Museu Cais do Sertão, no Recife, o filme “Gonzaga: de pai para filho”, de Breno Silveira, e também do desfile campeão do carnaval do Rio de Janeiro em 2012, da Unidos da Tijuca de Paulo Barros.

Aos poucos, Paulo conseguiu transportar esse valioso material para o mundo digital. Agora, na nova versão do site, o público conseguirá navegar pelas fotografias raras, a história da discografia completa, conferir a letra na íntegra das canções gravadas, vídeos raros e ler curiosidades colhidas pelo coordenador do site durante a convivência com ícones da MPB.

“É uma forma de manter viva a memória de um dos maiores nomes da nossa música e reconectar todo esse legado com novas gerações. Eu fico animado com esse interesse por Gonzaga. Ele foi e é muito importante para nossa cultura”, relata Paulo, animado com o sucesso do projeto.

Expansão da memória

Além do site, o pesquisador Paulo Vanderley também está envolvido na produção do livro ‘Luiz Gonzaga’ 110 anos do Nascimento’. A obra promete ser um dos documentos mais definitivos de consulta sobre a carreira de Gonzaga e um valioso instrumento de pesquisa sobre a canção brasileira. “Em cada página, o leitor viverá uma experiência gonzagueana. Vamos anexar letras, capas de LPs, fotografias raras”.

O livro é a síntese de mais de três décadas de pesquisa e paixão de Paulo pela obra de Gonzaga. Ele será narrado em primeira pessoa pelo próprio Luiz Gonzaga, com trechos extraídos de gravações de entrevistas concedidas a rádios, jornais e canais de TV pelo próprio artista, entre os anos 1940 e 1980. “É como se você estivesse lendo um texto com aquela voz inconfundível de Gonzaga”, nos conta.

Além disso, o autor traz um relato preciso sobre a trajetória do Rei do Baião, construída entre a memória pessoal e os relatos de nomes consagrados da música que conviveram com Gonzaga, como Fagner, Lenine, Santana ‘o cantador’ e Maciel Melo, outros ícones da MPB. A previsão de lançamento do livro é para o São João de 2022.

Esta obra, que pretende homenagear o 110º aniversário de Gonzaga, também se transformará em um podcast e uma websérie, garantindo o caráter multimídia do livro. Dessa forma, o público conseguirá ter acesso ao conteúdo de parceiros musicais e os herdeiros de Gonzaga no forró em uma conversa leve e descontraída sobre todo esse universo gonzagueano.

Ney Vital/Jornalista e pesquisador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.