Artigo do leitor: “Ser profissional ou político?”

0

Por meio deste Blog, o professor e árbitro de Xadrez, Raimundo Amorim, lamenta que questões menos relevantes acabem por interferir no esporte.

Confiram:

Sou professor, e há 15 anos sou árbitro e organizador dos Jogos Escolares na modalidade de xadrez. Aprendiz a ser árbitro de xadrez por conta de meus filhos, e, para poder acompanhá-los melhor nas competições nacionais e internacionais, fui obrigado a fazer cursos de arbitragem, o que me proporcionou algo jamais alcançado por outro petrolinense até então – ser técnico da seleção brasileira de xadrez nas Olimpíadas Sulamericanas escolares.

Mas como disse, tem 15 anos que sou o responsável de organizar e arbitrar os Jogos Escolares (ou Olimpíadas Escolares) em Petrolina, seja na fase Regional (Mirim e Infantil), que é bancada pelo governo estadual, seja na fase municipal (pré-mirim), que é bancada pelo governo municipal.

Sempre fiz isso por amor e profissionalismo, sendo um apolítico (não queria saber qual pessoa ou partido estava à frente do governo), mas como todo profissional recebo para fazer isso. O caso em questão é: na gestão do Estado sempre fiz no primeiro semestre do ano e recebo no segundo semestre; já na gestão anterior da prefeitura, sempre fiz no segundo semestre e recebia logo após entregar o relatório (2 ou 3 dias após a realização). Lembrando que os dois governos eram de partidos diferentes. E hoje, como falei que sou apolítico, descobri que os dois governos (estadual e municipal) são do mesmo partido.

E por que estou falando isso? Simples, pois os jogos são pagos com o dinheiro dos impostos que pagamos. Além de quê, a maioria (cerca de 90%) dos enxadristas são de escolas particulares, ou seja, pagam uma taxa para participar (a chamada inscrição), e os pais desses enxadristas ou de qualquer modalidade esportiva participante dos jogos ou olimpíadas escolares acham que o árbitro está recebendo e, por isso, deve fazer um trabalho da melhor maneira possível.

Mas, pasmem! em 2017, quando dos jogos municipais, a secretária que estava à frente dos jogos me chamou a atenção por não estar divulgando o nome dos responsáveis pela realização dos jogos (lembro que os pais pagam para isso) e, não sei se por isso, mas fiquei pensando ser por isso, na época só recebi em 2018 (não sei os demais árbitros). Mas agora descobri que não foi por não divulgar e, sim porque o prefeito é do mesmo partido do governador, visto que os jogos regionais foram realizados em junho e até agora não recebemos, e os jogos municipais foram realizados em 2018 e vamos receber (acho que vamos, pois trabalhamos e nenhum profissional faz isso de graça) em 2019.

Isso é uma indignação minha, mas tenho certeza que os profissionais que trabalham na arbitragem dos jogos em Petrolina fazem isso por amor e profissionalismo ao esporte, mas como disse acima, nenhum profissional trabalha para receber depois.

Por isso, mesmo sendo apolítico, fica a indignação e coloco isso ao público para que os pais ou responsáveis pelos atletas dos Jogos ou Olimpíadas Escolares que participam em Petrolina não se queixem com os árbitros quando o resultado não lhes for favorável, mas possam aplaudir esses árbitros quando a realização for bem feita, pois nós (os árbitros e organizadores) estamos fazendo isso por amor, e não por dinheiro (que deveria ser o certo).

Raimundo Amorim/Professor estatutário de PE e 1º nordestino a ser técnico de uma seleção brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome