Artigo do leitor: “A criação destruidora do animal jurídico”

por Carlos Britto // 08 de setembro de 2022 às 08:52

Neste artigo enviado ao Blog, o professor e sociólogo Celso Franca faz uma análise metafórica do atual momento em que vive o povo brasileiro.

Confiram:

Nesses últimos anos temos assistido em nosso país à tentativa de dissolução do povo brasileiro, por homens inspirados no terror pelo receptáculo de suas paixões humanas e que escapam ao controle político remetido a situações de desesperança de um povo, por não poder exercitar sua liberdade de expressão e ideais que foram conquistado ao longo do processo democrático.

Esse animal jurídico se traveste por um discurso plasmando como produto moral, porém supérfluo, ou seja: passa a imperar uma filosofia jurídica que no nível político do cotidiano, seja ele um mau caráter ou um homem de bem, é sempre igual ou pior do ponto de vista do usufruto individual.

Toda essa desestruturação, a meu ver, está permeada por decisões jurídicas narcisistas, com base na “lei” da mordaça com um discurso dito progressista, porém demagógico, vindo de um nicho altamente periculoso, onde desconhecem a ética, mas conhecem os seus privilégios.

Nesse efeito predatório, vislumbra-se a degradação moral em que se veem mergulhadas essas Instituições, declarando publicamente nos seus discursos uma guerra cristalizada em nome da paz, operada pelas paixões transfiguradas de um espírito diabólico aterrorizando a todos.

Esse ego é tendencioso a manifestar-se como absolutamente potente ou onipotente, sendo o primeiro, quando se traveste no modelo dito democrático, onde impera a obediência devida; manda quem pode, obedece que tem juízo, em que autoridade e autoritarismo são indissociáveis. No segundo, está a arrogância em que se considera acima da Lei e afronta a todos os que não querem transformar-se em apêndice de seu autoritarismo.

Enfim, esse ente jurídico se vê condenado a viver numa espécie de raquitismo espiritual, tornando-se perigoso para a sociedade. Miseráveis homens que somos, quem nos livrará do corpo dessa morte.

Celso Franca/Sociólogo

Artigo do leitor: “A criação destruidora do animal jurídico”

  1. Kilson Nascimento da Silva disse:

    Excelente artigo, professor! É impreterível, que se reveja o comportamento dos nossos magistrados enquanto no desempenho das suas funções.

  2. Valter Tanajura Filho disse:

    Prof. Celso
    Parabéns!
    Seu artigo define muito bem a infeliz situação atual da nossa justiça.

  3. José Renivaldo da Silva disse:

    Amigo Celso, parabenizo por esse texto ESPETACULAR, digno de divulgação em todo território nacional, vc fez uma síntese do ABSURDO AUTORITARISMO JURÍDICO cometido pela Suprema Corte, hj reduzida a um viés político, ideológico e egocêntrico, com seus rés membros desprovidos de saber jurídico, imparcialidade, honestidade e cumprimento a CONSTITUIÇÃO, em suma , UMA ABERRAÇÃO. Parabéns, amigo Celso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.