Após serem demitidas, funcionárias do HUT permanecem sem saber quando receberão direitos trabalhistas

6

DSC09548A mudança na administração do Hospital de Urgências e Traumas (HUT) trouxe um grande problema para cinco técnicas de enfermagem: demitidas em abril, elas permanecem até agora sem saber quando receberão seus direitos trabalhistas.

As técnicas, que trabalhavam no HUT através de contratos com a extinta Femsaúde, contam que a falta de informação estaria gerando ainda mais aflição. “Desde quando fomos demitidas, não dão nenhuma resposta para a gente. Se pelo menos eles dessem um prazo a gente ficaria tranquila, mas não dizem nada”, reclama Jackeline Souza.

Ao Blog, as profissionais – entre elas duas grávidas – não escondem a indignação diante do impasse. Segundo elas, seus projetos pessoais foram interrompidos, já que todas estão sem trabalhar e sem poder receber seus direitos.

Gestante de nove meses, a técnica Juliete Barros disse estar passando por grande dificuldades. “Eu estou com nove meses, meu filho pode nascer a qualquer momento e eu assim, sem poder organizar as minhas coisas, precisando fazer exames e sem dinheiro”, lamentou.

Aborrecidas com a falta de informações, as profissionais avisaram que pretendem acionar a justiça para ir em busca de seus direitos.

Administração provisória

Durante entrevista na tarde de ontem (2), o prefeito Júlio Lóssio explicou que há dois dias o Hospital de Urgências e Traumas (HUT) está sendo administrado pela prefeitura e pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Segundo ele, a administração compartilhada irá durar até o fim deste mês.

Até lá, o município fica responsável, entre outras coisas, pelos funcionários. O problema é que, como as funcionárias foram contratadas através da Femsaúde, elas admitiram não saber como ficará a situação.

Durante boa parte da manhã de hoje (3), nossa reportagem buscou uma resposta da administração do HUT, mas não conseguiu êxito. Depois de falar com vários funcionários do setor financeiro e Recursos Humanos (RH), finalmente fomos informados que o hospital está sem assessoria de comunicação.

Por Magnólia Costa

6 COMENTÁRIOS

  1. È isso mesmo ” Dr Julio” SÃO DE MAIS DE R$ 8 MILHÕES E OS FUNCIONÁRIOS DE HUT DEMITIDOS SEM RECEBER NEM UM TOSTÃO.
    E AINDA QUER CANDIDATAR A ESPOSA PRA DEPUTADA .

  2. Engraçado, dinheiro para fazer São João com grande estrutura a prefeitura tem. Mas, para pagar aos funcionários demitidos não tem. Se liga senhor prefeito, o vale acordouuuuu!!!!

  3. Isso não existe não! Duas gestantes e sem receber os seus DIREITOS, reconfirmo a palavra DIREITO, ou seja, não estão pedindo nada de mão beijada. Querem apenas o que são seus devido a suas dedicações e trabalhos prestados. Mas um São João com gasto de 8 milhoes para o povo é mais importante. Que mundo vivemos?
    #oprefeitodasaúde #piadamesmo

  4. Essas servidoras devem entrar urgente com um processo na Delegacia Regional do Trabalho em Petrolina. (R. São Vicente de Paula, 168, Atrás da Banca, Petrolina – PE, Fone:
    (87) 3861-1267). Lá elas terão a assistência necessária para reaver seus direitos. O processo deve ser contra a empresa contratante. nessa hora nem cabe entrar no mérito de que a culpa é de A, B ou C, e sim resolver o problemas destas Sras.

  5. Pouca vergonha desse prefeito,queria saber se fosse ele na pele dessas funcionárias trabalhar muito, e agora pra receberem os seues salários que é de DIREITO delas ter que está passando por um constragimento desses. Cadê o prefeito que cuida bem das pessoas? OU SEJA FUNCIONÁRIOS TAMBEM SÃO GENTE… AGORA FAZER SÃO JOÃO DE OITO MILHÕES, AI SIM JA JÁ APAREÇE VERBA… SÓ TENHO A DIZER Á ESSAS FUNCIONÁRIAS QUE CORRAM ATRÁS DOS DIREITOS DE VCS, PQ NESSA VIDA SÓ QUEREMOS O QUE É NOSSO DOUTOR!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome