Após longa negociação, PMPE aceita proposta do governo e não decretará greve

0

acordo PMPE

Após um dia inteiro de negociação com o Governo do Estado, os policiais e bombeiros militares decidiram, na noite desta quarta-feira (27), não decretar greve em Pernambuco. Em assembleia na Praça da República, área central do Recife, foi colocada em votação uma proposta de reajuste na gratificação da categoria. A negociação, que contou com cinco representantes da categoria, foi realizada na sede da Secretaria de Administração, no bairro do Pina, Zona Sul da capital.

A segunda proposta oferecida aumenta de R$ 350 para R$ 400 os fixos mensais de auxílio-transporte para os praças e para R$ 600 a ajuda de custo do transporte para os oficiais, ativos e inativos. Os policiais também irão receber, anualmente, R$ 750 de auxílio-uniforme. Os pagamentos serão realizados a partir de junho.

Dentro da proposta estava ainda a realização de concurso para preencher 300 vagas de soldados no Corpo de Bombeiros e para 80 oficiais, sendo 60 policiais militares e 20 dos bombeiros. A promessa é que outro concurso também com 80 vagas para oficiais seja realizado em 2018.

Além disso, o Código Disciplinar será revisto e cursos de habilitação de cabos e formação de sargento serão abertos ainda neste ano, bem como uma seleção interna para o curso de formação de oficiais da administração. Também ficou acordada a não majoração da alíquota da Funafin e investimentos e regularização de débitos no Sistema de Saúde dos Militares de Pernambuco (Sismepe).

“Também conseguimos que, as promoções que só iriam acontecer 2018, sejam feitas em 2016 e 2017. Ainda não é tudo que precisamos e queremos, mas demos uma lição para a sociedade que podemos buscar uma valorização“, diz Alberisson Carlos, presidente da Associação de Cabos e Soldados. Segundo ele, a reivindicação pelo aumento salarial será realizada em 2018.

Para que o acordo fosse selado, foram necessárias duas rodadas de negociação. Inicialmente, por volta das 20h, a comissão que representa a categoria havia chegado a um entendimento com o Governo, mas os policiais e bombeiros militares, não. A proposta inicial oferecia R$ 750 anuais de auxílio-uniforme pagos a partir de junho e R$ 350 fixos mensais de auxílio-transporte, também a partir de julho.

Com o desfecho das negociações, tanto os policiais quanto os bombeiros militares continuarão as atividades normalmente.

Boatos

A possibilidade de greve da Polícia Militar de Pernambuco provocou pânico entre a população na noite de ontem, antes da votação da categoria. Boatos sobre assaltos e arrastões fizeram parte do comércio fechar mais cedo e as pessoas apressassem a volta para casa. O medo era que se repetisse o cenário registrado na última greve da Polícia Militar, em 2014, quando um grande número de roubos e saques a lojas foram registrados. (fonte: JC Online/foto: Giovanna Torreão)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

1 × 4 =