Após fiscalização, moradias ocupadas irregularmente são entregues a beneficiários do ‘Minha Casa, Minha Vida’ em Petrolina

6
(Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Petrolina intensificou as investigações das irregularidades de ocupação das casas dos residenciais do Governo Federal entregues na cidade. A ação visa sanar problemas relacionados a unidades vendidas, alugadas ou cedidas, e beneficiar quem de fato se encaixa nos pré-requisitos do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’.

É o caso de Adriana Coelho Ferreira, auxiliar de serviços gerais, que se mudou para o Residencial Vivendas I há alguns dias. Ela nunca perdeu a esperança de ter a casa própria e desde 2009 se inscrevia nos programas habitacionais do Governo Federal, entretanto, nunca havia sido contemplada. Mas, a situação mudou e dez anos depois, seu sonho se realizou graças ao trabalho de fiscalização da atual gestão.

As ações fiscalizadoras permitiram que estas moradias fossem entregues a quem necessita. Entre as regras do contrato estabelecidas pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ estão: não vender, alugar ou abandonar a moradia pelo período de dez anos, período em que o imóvel é quitado. “Nosso papel é identificar esses imóveis e notificar a instituição financeira responsável pelo empreendimento, para que se dê entrada na anulação do contrato. Só neste ano, mais de 200 foram notificados, mas é um processo demorado, que compensa quando vemos pessoas que realmente precisam ocupando a casa“, informa o secretário executivo de Habitação, Thulio Teobaldo.

Aluguel

Adriana, por exemplo, comprometia quase um terço da renda para pagar o aluguel, para morar em uma casa apertada, que dividia com sua filha, a pequena Ana Ruth, de 7 anos. Agora a parcela não vai ultrapassar 5% do valor da renda familiar, o que vai melhorar sua qualidade de vida. “Estou muito feliz por ter vencido. Agora estou dormindo e acordando tranquila, porque tenho a minha casa. Estou fazendo alguns reparos e já comprei móveis novos. Vale a pena investir em um lugar que é meu“, exclama a auxiliar de serviços gerais.

Também surgiram moradores novos no Residencial Monsenhor Bernardino. Bárbara Sampaio e seus três filhos estavam morando de favor, na casa do irmão dela, no N-4 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, zona rural de Petrolina. “Assim que recebi a notícia que fui contemplada, não pensei duas vezes. Arrumei minhas coisas e me mudei no mesmo dia. Estava ansiosa pra ter meu cantinho. Agora vou começar a organizar minhas coisas. É vida nova“, constata a moradora que teve o sonho realizado.

6 COMENTÁRIOS

  1. Tem 10 anos q faço cadastro e n ganho tenho 3 filhos estou desempregada meu esposo tambem e toda vez q vou na abitação so falam a mesma coisa q é pra esperar ate quando se toda vez o nome some do cadastro n sei oq é feito muita gente q n precisa ganha e quem precisa fica sem nada como eu e muitos ganha e n mora tem muita casa abandonada e n da pra quem de fato precisa

  2. Eu conheço é gente que tem casa própria,mas o nome da casa tá no nome da mãe,ganhou a casa no vivendas,e alugou pra outra pessoa,como de fato é feito essa fiscalização?e olha tem muito caso assim,parabéns para essas duas que ganharam,espero que mais pessoas sejam também ganhadoras,é só e a fundo que acha irregularidades,vamos lá galeguinho,futuro e novamente prefeito.

  3. No residencial Vivendas precisa ter uma fiscalização profunda, pois aqui tem mais de 500 casas alugadas. Tem pessoas que ganharam e nunca pizaram o pé aqui. Alugam para pessoas que botam bares e esculhamba com o resta da rua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome