Após denúncias, Prodecon fiscaliza se postos de Petrolina repassaram desconto em combustíveis

7

Em Petrolina, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon), decidiu sair às ruas nesta quinta-feira (4) para apurar as denúncias de que alguns postos da cidade não estariam repassando desconto concedido recentemente pela Petrobras. Segundo o órgão, a denúncia foi feita por consumidores junto ao Ministério Público (MPPE) o qual recomendou a fiscalização.

O corte nos preços dos combustíveis se deu em um momento em que as cotações do petróleo registraram queda com o avanço do surto do coronavírus e a desaceleração da economia. Diante do anúncio dos descontos, alguns consumidores de Petrolina acionaram os órgãos de defesa dos direitos do consumidor com o intuito de apurar o repasse do desconto.

Durante a ação, os representantes do Prodecon solicitaram as notas fiscais de compra dos empresários para verificar as diferenças entre os valores de compra e venda. O órgão informou que vai elaborar um balanço que será encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco o qual avaliará se houve ou não algum tipo de abuso de preço. Caso sejam constatados abusos, os postos podem ser multados.

7 COMENTÁRIOS

  1. É incrível como ninguém resolve esses preços dos combustíveis aqui na cidade, nem esse problema causado pela COVID-19, sensibiliza os donos de postos.
    O menor valor na cidade foi em torno de R$ 4,15.

    Mas o povo daqui é tudo rico e aceita.

  2. Carlos Brito admiro muito seu trabalho. Seria interessante se eles soubece dos preços abusivos aqui no N-5, mercados vendendo mercadoria vencida, preços um absurdo. Sem preço nas prateleiras, e quando vc vai reclamar sobre o valor do produto sem preço,ainda é maltratado.

  3. O PRODECON está apenas fazendo marketing, pois nossa querida cidade é a que tem o preço dos combustíveis mais caro do Brasil e não será com essa fiscalização que irá mudar, pois esses preços abusivos Já vem de longos anos….. E os órgãos fiscalizadores nada fazem.

  4. A pandemia mostrou quando nao ha compra do combustível o que acontece com o preço.
    Mas preferem esperar de órgãos reguladores que abaixe o preço… ja sabem o resultado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome