Greve de professores federais chega ao 52º dia sem previsão de término

por Carlos Britto // 07 de julho de 2012 às 20:17

A mobilização nacional de professores das instituições federais de ensino pela reestruturação da carreira docente completa 52 dias neste sábado (7) e ainda não tem previsão para chegar ao fim. De acordo com as entidades que representam a categoria, desde 17 de maio já aderiram à paralisação, parcial ou totalmente, professores de 56 das 59 universidades federais, 34 dos 38 institutos, além dos dois centros de educação tecnológica (Cefets) e do Colégio Federal Pedro II.

Em 28 de junho, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão afirmou, por meio de sua assessoria, que a reunião com as entidades que representam a categoria dos docentes, agendada para o dia 19, deveria acontecer na primeira semana de julho, mas ainda sem data confirmada. Porém, ela não aconteceu. Ainda, de acordo com o Ministério, até a noite de sexta-feira (6) não havia nenhum outro encontro agendado.

A categoria dos docentes pleiteia carreira única com incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios, variação de 5% entre níveis a partir do piso para regime de 20 horas correspondente ao salário mínimo do Dieese (atualmente calculado em R$ 2.329,35), e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho. (Do G1)

Greve de professores federais chega ao 52º dia sem previsão de término

  1. Kazuza Semog disse:

    Se fosse greve da receita federal, órgão de arrecadação, nem tinha começado. Educação nesse país nunca foi, não é e nunca será prioridade.

  2. nina disse:

    Diante da ditadura não haverá Plano de Cargos a favor do funcionalismo educacional e teremos q ter o conformismo de alguns e a intransigência de outros diante da péssima realidade… Isso é uma vergonha!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *