Alvorlande Cruz diz que Mesa Diretora da Casa Plínio Amorim poderia ter cedido espaço à mãe de Beatriz e revela ter informado a Professor Gilmar

5
Foto: Blog do Carlos Britto

O vereador Alvorlande Cruz (PRTB) viu com naturalidade o protesto de Lucinha Mota, mãe da menina Beatriz Angélica, e do Grupo ‘Somos Todos Beatriz’, na manhã de ontem (8), em frente à Câmara Municipal de Petrolina, por conta da presença de Wank Medrado na Casa Plínio Amorim. Wank é advogado de defesa de Allinson Henrique Carvalho, ex-funcionário do Colégio Maria Auxiliadora suspeito de ter apagado as imagens das câmeras do colégio na noite do crime, em 10 de dezembro de 2015. Alvorlande, no entanto, acredita que esse fato poderia ter sido evitado se o mesmo espaço fosse concedido à Lucinha.

O advogado enviou um ofício à Casa solicitando sua presença para explicar sobre o caso, o que é garantido pelo artigo 102 do Regimento Interno. Mesmo lembrando que Lucinha usou o mesmo espaço na Câmara Municipal por duas vezes, Alvorlande disse que poderia ser 50 ou 100 vezes. “Acho que a Mesa Diretora poderia ter liberado a mãe de Beatriz, para que ela fizesse o contraditório”, avaliou.

Alvorlande disse ainda entender perfeitamente a dor e angústia de Lucinha porque, enquanto pai e cidadão, tem três filhas no Auxiliadora. Ele fez questão de ressaltar, porém, que apenas a bandeira de luta de Lucinha não pode ganhar uma conotação política, descartando que a mãe de Beatriz esteja fazendo isso. “Não posso fazer esse juízo de valor, senão estaria sendo leviano. Só o sofrimento que ela já passou é muito grande”, afirmou.

Comissão

O vereador revelou também ter procurado o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa, Professor Gilmar santos (PT), além das vereadoras Cristina Costa (PT), Maria Elena (PRTB) e demais colegas para que Lucinha falasse. Segundo Alvorlande, Professor Gilmar lhe disse que “tinha de analisar e iria se pronunciar” sobre o assunto. Alvorlande, no entanto, evitou dizer que o posicionamento da comissão foi equivocado.

5 COMENTÁRIOS

  1. A dor da Srª Lucia ja foi compreendida até certo ponto nobre vereador, contudo, o que a população do Vale do São Francisco vê agora é uma mulher que de forma dissimulada usa a morte da filha para palanque político, lamentavelmente ela não convence mais com os escândalos que faz. O povo ja percebeu a jogada dela, foi muito baixo da parte dela querer colocar a população contra a Casa Plinio Amorim.

Deixe uma resposta para popo Cancelar resposta

Comentar
Seu nome

11 + quatro =