Alinhado com governos estadual e federal, Miguel Coelho mostra entusiasmo e assegura importantes obras já no primeiro semestre de 2017

1

miguel

Após a vitória nas urnas no último dia 2 de outubro, o prefeito eleito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), trouxe novidades do Recife e de Brasília (DF), onde esteve na última semana. Depois de participar de um encontro com o governador Paulo Câmara (PSB), o socialista esteve reunido com 14 ministros e até com o presidente da República, Michel Temer (PMDB). Entusiasmado com a “união de forças políticas”, Miguel assegurou, em entrevista a este Blog, importantes obras no ano que vem.

O novo gestor da maior cidade do Sertão pernambucano voltou da capital federal mais esperançoso e com recursos assegurados para projetos em Petrolina. “Estou animado por conta do alinhamento político que o nosso grupo tem. Em dois dias, fomos recebidos por 14 ministros, pelo presidente da República, nos reunimos com o presidente da Caixa Econômica Federal e com o representante do Banco Mundial. Estou muito confiante que, com a ajuda do senador Fernando Bezerra, dos nossos deputados federais e estaduais, do governo federal e do governo do estado, nós vamos fazer um governo à altura da nossa gente. Isso mostra que Petrolina está 100% alinhada”, pontuou.

Miguel afirmou que a expectativa é de que as obras da Maternidade (já anunciada anteriormente) e de algumas avenidas comecem no primeiro semestre de 2017. “A nossa meta é essa. As obras das avenidas Honorato Viana e da Sete de Setembro serão exclusivamente com governo federal. Nós estamos trabalhando para conseguir destravar esse dinheiro o mais rápido possível e as obras se iniciem no primeiro semestre do ano que vem. Mas, sem dúvida alguma, no final de 2017 nós queremos não ter apenas as duplicações, mas ter a maternidade e ter mexido no saneamento do são Gonçalo, do Dom Avelar, da Bacia do Jatobá, porque já temos programas e propostas que podem caminhar no início do governo”, afirmou.

Paulo Câmara

O novo gestor também falou sobre a Escola Técnica Estadual, que segundo ele, já tem o projeto pronto, deverá ter a pedra fundamental lançada no ano que vem e é fruto de verbas dos governos federal e estadual. Miguel minimizou criticas contra o governador Paulo Câmara. “Uma escola técnica estadual é prioridade para qualquer governador. Mesmo ele não externando nas suas reuniões e entrevistas, ele tem compromisso com a nossa cidade. Sobre o hospital da Mulher, a nossa ideia é que, além dos leitos da nova maternidade – que foi compromisso nosso na campanha – é que o governador nos ajude para que esse centro de diagnóstico chegue para ser o hospital da mulher sertaneja. A gente precisa saber trabalhar em parceria, porque nos últimos anos nós vimos uma prefeitura isolada, que não tinha parceria com o governo do estado, que brigada com o governo federal e que Petrolina só perdia”, comentou.

Compromissos

Questionado sobre o caixa da prefeitura para pagar os profissionais para executar essas obras, Miguel assegurou que todos os cálculos já foram feitos e está tudo dentro do previsto. “Nós sabemos os custeio, de onde temos que tirar e de onde vem o repasse para poder pagar. Fizemos o compromisso de ter o Nova Semente de graça e vamos cumprir. Vamos realizar no próximo ano. Tudo que falamos são promessas e compromissos reais e vamos executar a partir do próximo ano.

Cobranças

Com relação às promessas feitas durante a campanha, Miguel disse que não teme ser cobrado antes da hora pela população, pelo fato de estar alinhado a tantas forças políticas. “Mesmo estando alinhado ou não, as pessoas vão cobrar do prefeito aquilo que ele prometeu em praça pública. Estou muito tranqüilo quanto a isso, até porque eu sempre prezei pela transparência, de dizer o que dá pra fazer e o que não dá pra fazer e mostrar o caminho que a gente pode resolver o problema. Essa vai ser a marca do nosso governo. Tudo isso a gente tem que trazer a população para participar. Você tem que abrir as portas da prefeitura para que as pessoas possam dividir a sua missão de poder fazer as conquistas que a cidade precisa”, disse, afirmando que está preparado para possíveis adversidades que possam acontecer em sua futura gestão.

Dados da transição

Sobre a transição, Miguel Coelho revelou que a administração municipal ainda não repassou a documentação exigida por sua equipe. O prazo termina nesta segunda-feira (31) e, caso isso não aconteça, ele disse que vai tomar as medidas judiciais. “Nem o organograma nos foi dado ainda nesse período de transição. A gente espera que as informações cheguem de formas corretas, verdadeiras e sinceras para que a gente possa trabalhar. Nada foi repassado por parte da prefeitura. Até agora nós não recebemos nenhuma informação da equipe de transição de Julio Lossio. O prazo termina neste dia 31. Caso a gente não receba até este dia 31, nós iremos tomar as medidas cabíveis. Porque quem se prejudica com uma má transição não é o prefeito Miguel, nem o Julio Lossio, e sim a população que pode ter uma ameaça de serviços interrompidos no começo do ano”, finalizou.

1 COMENTÁRIO

  1. Se realmente isso se concretizar é uma grande vitória do eleitorado petrolinense que votou em Miguel na esperança das grandes obras que faltaram nesses últimos 8 anos no governo de Júlio Lóssio. Esse foi recado das urnas. Que o filho de Fernando transforme Petrolina em um canteiro de obras, mas mantendo as políticas sociais do antecessor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome