A polêmica do ovo gigante e a jumenta de João Gilberto

4
(Foto: Reprodução/Facebook)

Esta semana a população de Juazeiro (BA) foi surpreendida por várias esculturas espalhadas pela cidade, entre elas um ovo gigante cor-de-rosa e uma jumenta, todos de autoria do artista plástico e escultor Lêdo Ivo.

Muito se comentou na cidade que a prefeitura estaria ‘patrocinando’ a exposição pública das obras. Inclusive teve gente que chegou a pedir um posicionamento da gestão. O fato foi destacado na Câmara Municipal, na última segunda-feira (1º), pelo vereador Charles Leal (PDT), que elogiou o artista, apesar de o discurso dele ter soado com tom de ironia. Durante as palavras de Charles, outros vereadores da Casa Aprígio Duarte Filho sorriam.

O fato é que a prefeitura foi obrigada a se manifestar sobre o caso. E foi mais além. Ontem (2), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaurb) expediu notificação para que Lêdo Ivo proceda, em no máximo 48 horas, a retirada das esculturas que foram expostas em vários locais da cidade.

A secretaria esclarece que não houve solicitação de autorização para que as esculturas usassem o solo e que existem regras e prazos a serem obedecidos para esta finalidade. A Semaurb esclarece que o valor artístico das obras não está acima das leis de ordenamento urbano”, frisa nota enviada pela assessoria.

Além de tudo isso, o caso virou motivo de chacota e muitos ‘memes’ viralizaram nas redes sociais. A estátua do jumento foi colocada na Orla II, bem próximo à estátua do juazeirense e criador da Bossa Nova, João Gilberto. Vale destacar que a estátua de João Gilberto não tem nada a ver com o ovo, a jumenta e as demais esculturas. O autor da estátua de João é o escultor mineiro Léo Santana, que também fez a famosa escultura de Carlos Drummond de Andrade, localizada na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Outro lado

Lêdo Ivo usou as redes sociais e rebateu. “Eu estava esperando a visita do prefeito, mas quem chegou foi o encarregado da Secretaria de Ordem“, disse. “O terreno público pertence à prefeitura ou ao povo?“, questionou Lêdo, em resposta a um seguidor. Parece que essa história ainda vai render.

4 COMENTÁRIOS

  1. O escultor Lêdo Ivo tem que entender que o terreno público municipal pertence ao povo e o guardião do terreno público é a prefeitura. Será que o escultor acha que o terreno público pertence a ele? Com certeza não e ele não teve a chancela pública para usar como bem entender. Se assim fosse, qualquer um.poderia colocar qualquer coisa em qualquer espaço público (inclusive uma sucata de carro em cima de um passeio público) e não é por aí.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome