Em artigo, presidente do DEM de Uauá (BA) critica números negativos da segurança pública no estado e sai em defesa de prefeito

por Carlos Britto // 23 de julho de 2013 às 12:30

Neste artigo enviado ao Blog, o presidente do Democratas (DEM) de Uauá, no Norte da Bahia, Marco Aurélio Guimarães, sai em defesa do prefeito Olímpio Cardoso Filho, o qual tem empreendido esforços – segundo ele – para resolver a situação da segurança pública no município, atualmente com a Polícia Militar transformada em guarnição, e sem delegado efetivo há 18 meses.

O presidente do DEM lamenta ainda que o governo do estado tente transferir para o município algumas responsabilidades de sua alçada. Confiram:

10A (in)segurança pública da Bahia

É triste a realidade da Bahia na área de segurança pública. São 187 municípios sem delegados, alguns que desde o início da gestão petista nunca viram o que é um delegado. Mas o que mais chama a atenção em Uauá é a tentativa vil de mudar as disposições de responsabilidade e a irracionalidade de alguns membros da oposição em tentar colocar esta função, que é dever do estado, na conta do poder público municipal.

Vejamos, em setembro de 2012 não vimos a oposição de hoje reclamar quando Uauá deixou de ser Companhia e se tornou guarnição, que acarretou em perdas tanto na diminuição do efetivo policial, quanto até no número de armamentos do efetivo, que foi recolhido para Curaçá.

Também estamos sem delegado efetivo há mais de um ano e meio, e também não vimos a oposição se pronunciar, à época que era governo, acerca disso. Portanto, tentam transformar uma questão de segurança de estado em mero processo mesquinho eleitoral.

O prefeito Olímpio Cardoso Filho, mesmo antes da posse, reuniu-se diversas vezes tanto com o comandante, quanto com o secretário de Segurança Pública do Estado para tentar sanar esta situação, inclusive renovando o convênio com a SSP/BA, que garante a participação do município em ajuda na alimentação e combustível para a Polícia Militar e a Polícia da Caatinga. Ressalte-se que, referente à PM, desde outubro estavam sem receber ajuda para alimentação.

É preciso institucionalizar esta situação da segurança pública e reunir todos – Poder Executivo, Legislativo, Judiciário e a sociedade – para, de forma efetiva, cobrar do estado o retorno de Uauá à condição de Companhia própria, o aumento do efetivo policial e a nomeação de um delegado titular urgentemente. Afinal, somente a vinda do delegado não resolve os problemas se não detivermos um maior contingente de policiais para restaurar a paz e a ordem em nossa cidade. Então, quando formos direcionar as críticas, percebamos quem de fato tem o dever da Segurança Pública e a façamos chegar ao governador do estado. Abaixo os índices de violência na Bahia. Acorda Wagner!!!!

Marco Aurélio Guimarães/Presidente Democratas-Uauá (BA)

Em artigo, presidente do DEM de Uauá (BA) critica números negativos da segurança pública no estado e sai em defesa de prefeito

  1. João Paulo disse:

    O Senhor Marcos Aurelio, não sabe distingui o que companhia e guarnição, a palavra correta seria pelotão, o numero de policiais na cidade aumentou, pois permanecem os mesmos policiais quando aqui era Companhia, sendo acrecido mais o efetivo, como também o armamento e uma viatura RANGER que recolheram da cidade, quando da passagem de comando. Após a incorporação da cidade de Uauá para o comando da 45ª CIPM-Curaçá-Ba, a população de só tem elogiado o trabalho da Policia Militar, diga-se de passagem, como bem frisou o nobre comentarista, a cidade esta sem delegado de policia e agentes civis a bastante tempo. As investigações na cidade estão paradas, ou seja, não existem ficando tudo a cargo da Policia Militar, que não é a unica responsável pela segurança publica, mas na ausência vem trabalhando dia a dia, para trazer tranquilidade e bem estar aos Uauaenses. Precisamos com urgência de delegado e agentes na cidade e aumento de efetivo. A segurança publica e dever do Estado e responsabilidade de todos……………….

  2. Mauricio disse:

    Carlos B., A capa da Isto É do dia 24 julho, “O propinoduto do tucanato paulista”, O esquema que saiu dos trilhos. Um propinoduto criado para desviar milhões das obras do Metrô e dos trens metropolitanos foi montado durante os governos do PSDB em São Paulo. Lobistas e autoridades ligadas aos tucanos operavam por meio de empresas de fachada. santo Papa.

  3. Juliana disse:

    Matéria deu num blog da cidade.

    Articulador político tenta desviar a responsabilidade do gestor municipal pela onda de insegurança que atinge Uauá-BA.

    O homem do carguinho de articulação do governo Olímpio Cardoso que tanto adora mídia e holofotes andava meio sumido, mas essa semana ele resolveu aparecer para, se aproveitando da insatisfação popular com a falta de segurança pública no município, fazer campanha contra o governador baiano que ele ingratamente odeia e irresponsavelmente tentar retirar da administração da qual ele faz parte a responsabilidade pela realidade triste em que vive nossa cidade.
    É bom que Ex Secretário saiba que irracionalidade ou hipocrisia política (o Sr. escolhe como prefere chamar), é deixar de reconhecer a parcela de culpa do poder público municipal sobre esse grave problema da insegurança no nosso município e colocá-lo apenas na conta do governo do estado.
    Segurança Pública é dever do Estado sim, mas direito e responsabilidade de todos, logo, dever do governo municipal também.
    O testa de ferro do governo deveria saber que em se tratando de uma questão tão séria e importante como a segurança pública, Estado e Município precisam estar integrados para resguardá-la. Mas o discurso muda ao sabor da conveniência não é mesmo?
    O que Olimpio Cardoso Filho precisa urgentemente é acordar do sonho de ter vencido as eleições, sair dos cobertores e providenciar respostas para os graves problemas que tomam conta da nossa cidade, afinal ele foi eleito para isso.
    Nessa história não é só o governador Wagner que tem de acordar, essa gestão ADORMECIDA dos “sete meses sem nada” precisa levantar do sono profundo também.
    Portanto, Sr. Marco Aurélio, esqueça os discursos de culpa e empurra-empurra, o que a população uauaense deseja são de soluções. A propósito, segue um conselho: MENOS DISCURSOS E MAIS AÇÃO!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *