Especialista alerta sobre novo tipo de câncer na região da boca relacionado com o HPV

Antes registrado com maior frequência em pessoas com idades mais avançadas e, na maioria das vezes, relacionado ao uso frequente do tabaco; o câncer de orofaringe (que compreende a amídala, base da língua, parte da faringe e palato mole) tem uma nova apresentação, crescendo de maneira preocupante entre pacientes jovens e relacionada ao HPV (Papiloma Vírus), espécie de vírus que infectam pele e mucosas. A transmissão pode ocorrer através do sexo oral, quando o HPV se aloja e, com o passar do tempo, promove mutações celulares que levarão ao desenvolvimento do câncer.

“Com a mudança de hábitos da população e uma diminuição importante do tabagismo, temos notado uma associação muito maior entre o câncer de orofaringe, principalmente amígdala e base de língua,  e o HPV, que no passado ficava na casa de 15%, e hoje chega ate  60%, estimando-se 15 mil novos casos em 2020 nos EUA”, explica o cirurgião de cabeça e pescoço, Fábio Oliveira.

O especialista alerta para alguns dos sintomas que podem ser indicativos de que alguma coisa não vai bem. “O principal alerta é quando a pessoa percebe uma massa no pescoço ou uma amigdalite, que não melhoram com as medicações habituais. Qualquer nódulo cervical que não regrida em 15 dias deve alertar para a necessidade de procurar um especialista”, enfatiza Oliveira.

As maneiras de contágio podem estar associadas a vários fatores como sexo oral, uso compartilhado de talheres e copos, contato com a saliva de alguém contaminado com o vírus HPV. “Sabemos que o principal meio de contágio é através do sexo oral, principalmente no cenário de múltiplos parceiros. Contudo, acredita-se que existam outras maneiras de transmissão, como através do beijo, uso de talheres ou qualquer meio que transmita a saliva de alguém com a doença, principalmente se houver lesões em atividade”, explica Fábio.

Tratamento

Descobrir precocemente o câncer de orofaringe possibilita ao paciente, maiores chances de cura. De acordo com o cirurgião, existem várias formas de tratamento – que vão desde a cirurgia, seguido de quimioterapia e radioterapia, ou quimioterapia e radioterapia isoladas. “É importante salientar que o câncer de orofaringe tem três tipos de apresentações: as pessoas que fumam e bebem e não têm HPV, as pessoas que fumam e bebem e têm HPV, e as pessoas não tabagistas e não etilistas que têm HPV, sendo este último subgrupo o de melhor resposta ao tratamento. Os esforços hoje se direcionam no sentido de desintensificar o tratamento, que é tentar fazer um procedimento com menos efeitos colaterais, produzindo o mesmo resultado”, diz.

Um importante passo no controle e prevenção dessa doença é a vacinação de crianças, de ambos os sexos, que visa a criar uma imunidade e prevenir a infecção pelos subtipos do HPV mais implicados na formação de tumores, que são o 16 e 18. Porém a forma mais eficaz de prevenir o contato com o vírus é o uso de preservativo durante a relação sexual, uma vez que a vacina não protege para todos os subtipos do vírus”, complementa Fábio. As informações são da assessoria. (foto/reprodução)

Moradores reclamam de falta de vacina contra HPV em AME do Ouro Preto; Secretaria de Saúde justifica

Quem procurou a unidade de Atendimento Multiprofissional Especializado (AME) do Bairro Ouro Preto, na zona oeste de Petrolina, recebeu uma notícia que não gostaria: está faltando vacina contra o Papilomavírus Humano (HPV), destinada a imunizar pré-adolescentes do sexo feminino e masculino.

Informações de alguns pais ao Blog dão conta de que não haveria uma previsão de quando uma nova remessa das doses chegaria à unidade. Em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde, no entanto, fomos informados que a distribuição da vacina começou desde a última quinta-feira (9). “O órgão afirma que até amanhã (15) todas as unidades estarão abastecidas”, diz a Secretaria.

O público-alvo da vacina contra o HPV são meninos com idades entre 12 e 13 anos, e meninas dos nove aos 14. No caso dos garotos, o objetivo é prevenir esse público contra câncer de pênis e lesões pré-cancerosas. Recebendo a vacina, eles colaboram para a redução dos índices de câncer de colo nas mulheres, doença que causa morte, já que é a população masculina a responsável pela transmissão do HPV. Mas as meninas também são imunizadas contra o câncer de colo, por meio da mesma vacina.

Vacinação contra HPV em meninos começa nesta terça-feira em Petrolina

A Secretaria de Saúde de Petrolina começa nesta terça-feira (10) a vacinar os meninos com idades entre 12 e 13 anos contra o Papilomavírus Humano (HPV). O órgão municipal recebeu do Ministério da Saúde 2.500 doses de vacinas. Esse volume é para atender a demanda do mês de janeiro.

O objetivo é prevenir esse público contra câncer de pênis e lesões pré-cancerosas. Recebendo a vacina, os meninos colaboram para a redução dos índices de câncer de colo nas mulheres, doença que causa morte, já que é a população masculina a responsável pela transmissão do HPV.

A meta é vacinar. Em todo o ano de 2017, aproximadamente 6.453 meninos. As meninas entre 9 e 14 anos também continuarão a receber a HPV. Depois da primeira dose, a vacina deverá ser repetida seis meses depois para completar a imunização.

A vacinação começará na sede do município, nas AMES e Unidades Básicas de Saúde (UBSs), nesta terça, e até sexta-feira (13) nas unidades de saúde do interior. Em 2016 foram imunizadas 1.330 meninas contra o HPV em Petrolina. A Secretaria ressalta a importância de os adolescentes levarem o cartão de vacinação.

Novidade

Será introduzido no calendário de vacinação a Meningo C, contra a meningite do tipo C. O público alvo é de meninos e meninas com idade entre 12 e 13 anos. Foram disponibilizadas 1.056 doses para as unidades de saúde. A Meningo C é aplicada em dose única. Os postos de saúde da sede funcionam de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Na zona rural, das 8h às 13h. as informações são da assessoria. foto/divulgação)

Vacina contra o HPV beneficiará mais de 174 mil meninos em Pernambuco

Implantada na rotina do Calendário Nacional de Vacinação desde 2014, a vacina contra o HPV estava sendo disponibilizada apenas para meninas entre 9 e 13 anos. A partir de janeiro, os meninos de 12 e 13 anos também foram incluídos no esquema. Em Pernambuco, poderão ser imunizados 174.670 garotos. A meta é atingir, pelo menos, 80% do público total e deixá-los protegidos contra diversos tipos de cânceres que estão diretamente relacionados ao HPV.

A vacina protege contra quatro subtipos mais frequentes do vírus HPV (6, 11, 16 e 18). Para completar o esquema, é preciso tomar duas doses da vacina, com intervalo de 6 meses entre elas. Os postos de saúde também vacinarão meninos e jovens de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids, totalizando 4.767 pessoas de ambos os sexos. Nesse caso, serão três doses com intervalo de dois e seis meses após a primeira dose. Além disso, meninas de 10 a 14 anos que não se vacinaram ou tomaram apenas a primeira dose em 2016 também devem procurar os postos.

De acordo com informações do Ministério da Saúde, a vacina contra o HPV protege os meninos contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV.  A definição da faixa-etária para a vacinação visa a proteger as crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus. Já no caso das meninas, a proteção se dá para os cânceres de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus.

Meningite

O Calendário Nacional de Vacinação também passa a incluir a vacina contra a meningite C como reforço ou dose única para garotos e garotas de 12 e 13 anos. A vacina já é disponibilizada aos três meses, aos cinco meses e reforço aos 12 meses, podendo se estender até os 4 anos.

Vacina contra HPV será oferecida para meninos a partir deste ano

A partir deste mês, a rede pública de saúde vai passar a oferecer a vacina contra o HPV para meninos de 12 a 13 anos como parte do Calendário Nacional de Vacinação. A faixa etária, de acordo com o Ministério da Saúde, será ampliada gradativamente até 2020, período em que serão incluídos meninos de 9 a 13 anos.

A expectativa da pasta é imunizar mais de 3,6 milhões de meninos este ano, além de 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos que vivem com HIV/aids no Brasil. Serão adquiriras, ao todo, 6 milhões de doses ao custo de R$ 288,4 milhões.

De acordo com o governo federal, o Brasil é o primeiro país da América Latina e o sétimo no mundo a oferecer a vacina contra o HPV para meninos em programas nacionais de imunização. Estados Unidos, Austrália, Áustria, Israel, Porto Rico e Panamá já fazem a distribuição da dose para adolescentes do sexo masculino.

Duas doses

O esquema vacinal contra o HPV para meninos será de duas doses, com seis meses de intervalo entre elas. Já para os que vivem com HIV, o esquema vacinal é de três doses, com intervalo de dois e seis meses, respectivamente. Nesses casos, é necessário apresentar prescrição médica.

A doença

HPV é a sigla em inglês para papiloma vírus humano, capazes de infectar a pele ou as mucosas. Existem mais de 150 tipos, sendo que cerca de 40 podem infectar o trato ano-genital. A infecção é muito frequente, mas transitória, regredindo espontaneamente na maioria das vezes.

No pequeno número de casos nos quais a infecção persiste, pode ocorrer o desenvolvimento de lesões precursoras que, se não forem identificadas e tratadas, podem progredir para o câncer, principalmente no colo do útero, mas também na vagina, vulva, ânus, pênis, orofaringe e boca. Pelo menos 13 tipos de HPV são considerados oncogênicos, apresentando maior risco ou probabilidade de provocar infecções persistentes e estar associados a lesões precursoras. Dentre eles, os tipos 16 e 18 estão presentes em 70% dos casos de câncer do colo do útero. (Fonte/foto: Agência Brasil)

Pré-adolescentes de Petrolina devem tomar segunda dose de vacina contra HPV

Petrolina vacinahpvMeninas de 9 a 11 anos que receberam a primeira dose da vacina contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) já podem tomar a segunda dose em Petrolina. Segundo a Secretaria de Saúde, a vacina já está disponível em todas as unidades de saúde e a expectativa é que mais de 5 mil pré-adolescentes sejam imunizadas.

De acordo com a coordenadora de imunização da Secretaria, Jeane Moraes, a segunda dose, seis meses após a primeira, é fundamental para garantir a proteção contra o vírus. “O ideal é seguir o esquema preconizado pelo Ministério da Saúde. Para que as meninas estejam de fato protegidas é preciso cumprir o protocolo estabelecido com as três doses da vacina“.

Para completar o ciclo de vacinação, as meninas devem tomar a terceira dose, cinco anos após a administração da primeira. A vacina protege contra os quatro subtipos do HPV, vírus responsável por 70% dos casos de câncer de colo de útero. (foto: Ascom SMS/PMP divulgação)

Secretaria de Saúde de Trindade rebate denúncia de supostas irregularidades em campanha contra HPV

PefapPor meio de nota, a Secretaria de Saúde de Trindade (PE), no Sertão do Araripe, rechaçou a denúncia de supostas irregularidades durante a Campanha Nacional de Vacinação contra o Papilomavírus Humano (HPV), para meninas de nove a 11 anos, postada neste Blog na última terça (14).

Confiram:

Em resposta à nota, a Secretaria Municipal de Saúde do município de Trindade vem a público esclarecer à população trindadense a verdade dos fatos sobre boatos da Campanha Nacional contra o Papilomavírus Humano  (HPV).

Para boa informação, a campanha nacional de imunização contra o HPV não está encerrada, a mesma é uma vacina de rotina, onde é digitada mensalmente no sistema, do qual a cobertura final só será fechada em setembro deste ano. Neste 1º momento de campanha, a cobertura nacional está em 27,06%; no Estado de Pernambuco está em 31,31%; na IX Geres está em 48,49%. A cobertura de Trindade para meninas de 9 anos é 88,96%, 10 anos 64,44%, 11 anos 53,29% totalizando 68,25% até o presente momento.

Em relação à locação de recursos do Programa Nacional de Imunização (PNI), é aplicado no montante da Vigilância em Saúde, conforme normas do próprio ministério. Estão previstas ainda para este semestre a climatização e informatização de todas as salas de vacinas do município, incluindo zona rural, sendo que as Estratégias de Saúde da Família (ESFs) da Vila Saraiva e Vila São Pedro já contam com a reforma concluída. Todos os consultórios receberam climatização e estão em pleno uso da população. Sendo reformadas e ampliadas, as unidades da Mangueira e a unidade da Cohab serão entregues à população no final de maio, todas estas também estarão climatizadas até o final deste semestre.

Diante das mudanças no calendário Nacional de Vacinação ocorridas já em 2015, o Governo Estadual estará realizando uma capacitação para todas as coordenadoras de Imunização. Silvia Lamara, coordenadora deste setor em Trindade, estará presente e posteriormente fará o repasse técnico para todas as equipes de Saúde da Família do município, conforme treinamento realizado.

De acordo com o gráfico em anexo, o município de Trindade tem atualmente o melhor desempenho na Política Estadual de Fortalecimento da Atenção Primária da região do Araripe, avaliação realizada pelo governo estadual, do qual mede o desempenho das Estratégias de Saúde da Família em relação a preventivo, pré-natal, detectar e levar cura da hanseníase e desnutrição em menores de 2 anos.

A Secretaria de Saúde de Trindade, com a Coordenação da Atenção Básica e Imunização, está à disposição na sua sede, localizada à Rua 25 de Abril, em frente ao Fórum, para qualquer esclarecimento. As ESF’s estão deixando todas as salas de vacinação do município disponíveis à visitação de qualquer cidadão trindadense.

Cordialmente,

Secretaria de Saúde do Município de Trindade – PE

Supostas irregularidades na saúde atingem Prefeitura de Trindade

trindade/Foto reprodução InternetDenunciado por supostas irregularidades de nepotismo, além de contas públicas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), o prefeito de Trindade (PE), Dr.Everton Costa, terá mais uma celeuma para administrar.

Após o término da Campanha Nacional de Vacinação contra o HPV, o resultado deixou uma má imagem para o município do Sertão do Araripe. A cobertura de imunização deste ano – em média de 68,25% – ficou bem abaixo da cobertura atingida em 2014, quando Trindade atingiu uma cobertura de 89,66% sendo destaque no sertão pernambucano.

Segundo fonte do Blog, a atual secretária de Saúde, Suênia Barros, estaria controlando os investimentos no Programa de Imunização, não oferecendo capacitações técnicas para os profissionais, o que faz com que haja muitos erros na técnica de aplicação das vacinas e condições precárias de trabalho.

Ainda segunda essa fonte, as salas de vacinas estariam em situação precária, a exemplo de ratos e baratas, e mofos nas paredes, comprometendo a eficácia da vacinação e colocando em risco a saúde da população. Com a palavra, a Prefeitura de Trindade ou algum representante.

Mulheres com HIV positivo e idade ate 26 anos podem tomar as doses da vacina contra o HPV em Petrolina

VacinaçãoConsolidando parcerias que ampliam a assistência e a promoção a saúde de todas as pessoas do município, o Ministério da Saúde (MS) oficializou que, mulheres que contraíram o vírus causador da AIDS, o HIV, agora podem ser imunizadas contra o Papiloma Vírus humano, o HPV, em Petrolina.

Anterior a essa resolução, apenas adolescentes de 9 a 11 anos estavam beneficiadas com a vacinação. A coordenadora de imunização de Petrolina, Jeane Morais, conta que a medida vem para otimizar o feminismo em Petrolina e fortalecer o combate ao HPV também nesse novo publico alvo. “Mulheres soropositivas são pessoas vulneráveis as novas infecções pelo vírus do Papiloma Humano, nós que fazemos a Secretaria de Saúde de Petrolina já temos doses para imunizar todas essa mulheres que precisam da vacina no município”, concluiu.

A equipe de vacinação orienta sempre que as mulheres que são portadoras do vírus HIV ou AIDS, e que tenham ate 26 anos, procurem as unidades AME’s – Saúde Família ou as unidades Básicas de Saúde das comunidades mais próximas, sempre com a prescrição médica, a medida visa resguardar o sigilo sorológicos de cada mulher ao solicitar as doses da vacina, de modo que na sala de vacinação não será preciso que se identifiquem como soropositivas. (foto/reprodução)

Vacinação contra HPV vai ser realizada durante todo o mês de março em Lagoa Grande

VacinaçãoO município de Lagoa Grande (PE), sertão do São Francisco, através da Secretaria Municipal de Saúde, está realizando durante este mês de março nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) a vacinação quadrivalente Papilomavírus Humano (HPV), para prevenção do câncer do colo do útero, entre as adolescentes de 9 a 13 anos.

As vacinas também poderão ser aplicadas nas escolas públicas ou privadas. Para isso equipes de saúde estarão visitando durante este mês essas unidades e realizando palestras sobre o tema para as adolescentes, pais e educadores sobre a importância dessa prevenção.

Para a devida prevenção as adolescentes deverão tomar 3 doses desta vacina. A 1ª dose será ofertada para adolescentes de 09 a 13 anos de idade, nas UBS’s, a partir deste mês. A 2ª dose será administrada seis meses após a 1ª dose, na UBS. A 3ª dose será administrada cinco anos após a 1ª dose, na UBS.

É importante ressaltar que vacinação é gratuita e faz parte do calendário de vacinação, assim estará disponível nas Unidades Básicas de Saúde durante todo o ano. Outro ponto importante, é que a vacinação das adolescentes ocorre sem necessidade de autorização ou acompanhamento dos pais ou responsáveis. No entanto, caso o pai ou responsável não autorize a vacinação da adolescente na escola, deverá encaminhar o “Termo de Recusa”, devidamente preenchido e assinado.

O câncer do colo do útero é uma doença grave e pode ser uma ameaça à vida. No Brasil, é a terceira principal causa de morte por câncer entre mulheres. Os subtipos HPV 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero em todo o mundo e estes subtipos estão incluídos na vacina quadrivalente contra HPV.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br