Bancada de oposição na Alepe ‘pega no pé’ de Paulo Câmara sobre homicídios no Estado: “Criminalidade crescente”

O governador Paulo Câmara (PSB) não está conseguindo nenhum momento de trégua na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) quando o assunto é violência. O líder da bancada de oposição, Silvio Costa Filho (PRB), fez mais um discurso contundente sobre o número de homicídios no Estado, que segundo ele cresceu 30% desde o início da gestão. No ano passado foram registrados 4.458 assassinatos até o dia 30 de dezembro – o pior resultado desde 2008, quando foram notificados 4.528 casos.

“Desde 2008 e 2009 não eram registrados mais de 4 mil mortes no Estado, o que infelizmente voltou a acontecer em 2016 por causa da falta de comando do Governo”, avalia o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

A Bancada vem chamando a atenção, desde 2015, para a necessidade de rediscutir o Pacto pela Vida. Silvio lembra, inclusive, que os parlamentares da oposição estão à disposição do Governo e da presidência da Alepe, caso seja necessário votar o projeto para policiais e bombeiros militares antes da volta do recesso. Além dos homicídios, os índices de criminalidade aumentam também em outras áreas. Em 2016 foram cometidos 1.916 assaltos a ônibus, segundo o Sindicato dos Rodoviários do Estado; e até o mês de novembro foram registradas 13 assaltos a bancos, cinco sequestros, 28 explosões e 13 arrombamentos de agências bancárias, além de 128 explosões de caixas eletrônicos e cinco ataques a carros-fortes.

A oposição na Alepe vem intensificando o diálogo com a sociedade, entidades e representantes dos demais poderes do Estado, como o presidente da OAB de Pernambuco, Ronnie Duarte, e o presidente do TJPE, Leopoldo Raposo. “Nas próximas semanas devemos agendar uma visita ao novo procurador-geral de Justiça do Estado, Francisco Barros, para discutir como reduzir a criminalidade. Na volta do recesso parlamentar vamos agendar uma audiência pública para fazer um amplo debate com a sociedade sobre o tema”, reforçou o parlamentar. (foto:Rinaldo Marques/divulgação)

Secretaria de Defesa Social de PE deflagra Operação ‘Esforço Geral’ em todo o Estado

A Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco deflagrou nesta quarta-feira (11), através da Polícia Civil (PC), a Operação ‘Esforço Geral’. A medida faz parte de outra operação – a ‘Polícia nas Ruas’ –, dentro do Pacto Pela Vida.

Segundo a assessoria da SDS, a ‘Esforço Geral’ consiste em, dentro de um período de 24 horas, dar cumprimento ao maior número de mandados de prisão, bem como realizar prisões em flagrante delito em todo o Estado. A operação o objetivo de combater crimes de homicídio, tráfico de drogas, contra o patrimônio, entre outros delitos.

Nesse prazo em que a operação vai atuar serão empregados, em todo o Estado, 792 Policiais Civis, sendo 152 delegados e 640 agentes e escrivães – todos lotados nas várias Delegacias Circunscricionais e Especializadas da PC.

Mortes violentas diminuem em Petrolina

Apesar dos números negativos sobre os homicídios em Pernambuco, quando o índice de 13% ficou acima da meta de 12% do Pacto pela Vida, Petrolina andou nessa contramão e conquistou o primeiro lugar em todo o Estado na redução de mortes violentas de 2015 para 2016, em números absolutos. A maior cidade do Sertão do Estado havia contabilizado 146 homicídios em 2015, mas terminou 2016 com 138 pessoas vítimas de mortes violentas, atingindo 8,7% de redução numa comparação com o ano anterior.

“São números que demonstram o total empenho de nossa corporação, que apesar das dificuldades que o País e o Estado passam, não mediu esforços para a obtenção dessa redução. Também atribuo essa diminuição dos homicídios em nossa cidade ao apoio da população que foi fundamental para esse bom resultado“, avaliou o Major Marcos Costa, chefe da Central de Operações do 5º BPM de Petrolina.

E o Major Costa afirma que 2017 continua nesse ritmo até o momento. Conforme o oficial, não houve nenhum homicídio na cidade nesses primeiros dias do ano. “Neste mesmo período no começo de 2016, tínhamos notificados já dois homicídios na cidade. Então em termos de comparação, essa redução chega a 100% este ano”, comemorou.

 

 

Número de homicídios aumenta 9,8% em Pernambuco no ano passado em relação a 2015

Pernambuco registrou crescimento de mais de 13% de crimes contra a vida em 2016, contrariando a meta estabelecida pelo Pacto Pela Vida, que é de reduzir, anualmente, em 12%, o número de homicídios no Estado. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), de janeiro a novembro de 2015 foram 3.541 homicídios. Em 2016, esse número subiu para 4.007, levando em conta o mesmo período do ano. A última vez que o estado havia registrado mais de 4 mil assassinatos foi no ano de 2009, quando o número chegou a 4.018 mortes em Pernambuco.

A PCPE divulgou ontem (3) que realizou 44 Operações de Repressão Qualificada (ORQ) e prendeu 580 envolvidos durante o ano de 2016. As investigações de inteligência da PCPE são o principal meio de combater quadrilhas e associações criminosas no estado. O principal delito de 2016 foi homicídio, com aumento de 9,8% em relação a 2015, além de tráfico de drogas e crimes contra a administração púbica. Entre os presos, 110 pessoas tiveram envolvimento em ações criminosas contra bancos e instituições financeiras.

O balanço das Operações de Repressão Qualificada foi apresentado pelo chefe da PCPE, Antônio Barros. O número de homicídios é, entre todos os crimes, o maior, equivalente a 32% das investigações. De janeiro a novembro de 2016, foram registrados 4.007 homicídios (relacionados a ações de quadrilhas) – 466 a mais, se comparado com o mesmo período de 2015, quando foram registrados 3541 homicídios. Já o tráfico de drogas representa 23% das operações. “Os homicídios, em sua maioria, estão também relacionados ao tráfico de drogas, são crimes interligados”, destacou Antônio Barros. (Fonte: Diário de PE)

Número de homicídios em Pernambuco passa dos 50 somente nas últimas 72 horas

ViolênciaA sociedade pernambucana não para de se assustar com a escalada de violência que atinge o Estado. E não é para menos.

Somente nas últimas 72 horas, o número de homicídios chegou a 51 – entre a Região Metropolitana e o interior, de acordo com a grande imprensa da capital. É, de fato, alarmante.

O mais aflitivo de tudo é perceber que, mesmo com a mudança na Secretaria de Defesa Social (SDS), o resultado ainda não se refletiu naquilo que o Governo Paulo Câmara espera – e muito menos no que os cidadãos pernambucanos, que pagam seus impostos, esperam. E o Pacto Pela Vida, a cada dia, vai  ficando no passado.

Três homicídios marcam final de semana violento em Petrolina

Polícia Militar PE novaPetrolina continua com sua rotina de homicídios. No último domingo (27) três mortes por arma de fogo foram registradas na cidade. Um dos crimes aconteceu no Bairro Idalino Bezerra, área central da cidade. A vítima é José Orlando dos Santos Filho, de 33 anos. Ele foi encontrado por policiais do 5ºBPM caído, já sem os sinais vitais, na calçada de um bar localizado na comunidade. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) constataram que ele foi alvejado no olho por um tiro de espingarda calibre 12. O autor do crime conseguiu fugir. O corpo da vítima foi encaminhado ao IML de Petrolina.

O outro homicídio resultou na prisão de Wanderson Barbosa dos Santos, 21. Ele confessou ter matado na madrugada de ontem um homem, identificado apenas por ‘Miro’. Com apoio da Malhas da lei e do Gati, a equipe do 5ºBPM conseguiu localizar o acusado na residência de sua mãe, no Condomínio Monsenhor Bernardino.

Wanderson disse ter atirado na vítima com uma espingarda 12, após ter se envolvido numa briga, depois de ter levado uma garrafada na cabeça. Com a prisão do acusado, os policiais passaram a procurar pela arma do crime, a qual havia sido deixado pelo assassino na casa de um primo, na ‘Invasão’ dos Carneiros. A espingarda foi encontrada escondida na caatinga, em meio ao matagal. O acusado, juntamente com a arma, foi levado para a Delegacia de Polícia Civil (DPC) de plantão.

A terceira morte foi registrada no N-10 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho, zona rural da cidade. Após assaltarem de motocicleta transeuntes que estavam com a aparelho celular, o condutor do veículo acabou assassinado com um tiro na nuca, efetuado pelo seu comparsa, que vinha na carona da moto. Em seguida o assassino fugiu na moto. Policiais fizeram buscas pela área, mas sem êxito. O corpo da vítima foi levado ao IML local.

Juazeiro perto da marca dos 100 homicídios em 2016

Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CLVIs) não param de ser registrados em Juazeiro (BA). De janeiro até hoje (27), 95 pessoas já foram assassinadas, sendo a maioria homens. A polícia afirma que a maioria dos casos está relacionada com o tráfico de drogas.

 No entanto, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia, de janeiro a outubro Juazeiro registrou  uma queda nos casos de homicídios dolosos em cerca de 26%, em comparação ao mesmo período do ano passado.

Ainda segundo a SSP-BA, de janeiro a outubro deste ano, as ações das polícias Civil e Militar retiraram de circulação 751 criminosos, 38% a mais do que no mesmo período do ano passado. Mesmo com a resposta positiva das polícias, o fato é que a população está assustada.E não é pra menos. (foto/ arquivo Blog)

Juazeiro registra queda de 26% no número de homicídios, diz SSP-BA

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia divulgou dados que demonstram um aumento no índice de prisões em Juazeiro. De janeiro a outubro de 2016, as ações das Polícias Civil e Militar retiraram de circulação 751 criminosos, 38% a mais do que no mesmo período do ano passado. Houve também uma queda nos casos de homicídios dolosos em cerca de 26%.

As informações apontam ainda um aumento nas prisões em flagrante e no cumprimento de mandados. Em 2015, foram autuados em flagrante 431 pessoas e 696 em 2016, o que significa um aumento de 38%. Quanto aos mandados de prisão em aberto, o crescimento nos cumprimentos foi de 45%. A eficácia da atividade policial também apareceu nos registros de inquéritos remetidos à Justiça. Nos últimos 10 meses, foram enviados 1.262, um acréscimo de 5,1%, se comparado a igual período do último ano.

O trabalho integrado das policiais também contribuiu para a redução de homicídios dolosos em Juazeiro, registrando-se este ano uma queda de aproximadamente 26% nesta modalidade delituosa. Respondendo interinamente pela 17ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Juazeiro), a delegada Adelina Maria de Araújo Castro lembra que o acréscimo dos mandados cumpridos vem refletindo sobre a queda de homicídios na cidade. “Nos próximos meses, o trabalho será intensificado para melhorar ainda mais os índices“, garantiu a delegada.

Programa da PM

O programa ‘Um Norte Para Todos’, implementado pelo Comando de Policiamento da Região Norte (CPRN) desde dezembro de 2015, vem contribuindo para a melhora dos índices criminais, segundo afirmou o comandante da unidade, coronel PM Alfredo Nascimento. “A cada três meses nós nos reunimos para analisar o perfil dos crimes e apontar medidas a serem adotadas para inibi-los“, informou. Nascimento também disse que nesses encontros são discutidas ideias que deram certo numa companhia da região e o que fazer para aplicá-las também com sucesso em outras unidades. “Nossas ações buscam ampliar a sensação de segurança para a população“, garantiu. (foto/arquivo Blog)

Violência desenfreada em Juazeiro e Petrolina deixa população refém do medo

Os frequentes casos de homicídio ou tentativa de homicídio registrados semanalmente no município de Juazeiro (BA), constatam o que já salta aos olhos faz tempo: a violência saiu doscontrole das autoridades na principal cidade do norte baiano.

No último final de semana, por exemplo, a criminalidade continuou a fazer suas vítimas. Três assassinatos foram registrados em menos de 24 horas. Os casos aconteceram nos bairros São Geraldo, Água Bela e Itaberaba, respectivamente.

A escalada da violência tem assustado os moradores, que estão pagando o preço de ficarem trancados dentro de suas residências. As estatísticas de Juazeiro também refletem os números em Petrolina, que também vem sofrendo com a criminalidade desenfreada.

As duas principais cidades do Vale do São Francisco seguem o exemplo do que está ocorrendo em todo o País. Apesar do expressivo número de homicídios, os assaltos e outros tipos de delitos também aumentam. A polícia já informou inúmeras vezes que a maioria das mortes está relacionada ao tráfico de drogas.

As forças policiais bem que tentam, mas sem apoio e nem infraestrutura por parte dos Governos da Bahia e Pernambuco, fica complicado combater criminosos cada vez mais preparados e ousados.

O Mapa da Violência aponta que o número de homicídios no Brasil sobe a cada ano, o que resulta em uma média de 154 mortes por dia. Só no ano passado, Juazeiro e Petrolina registraram, juntas, mais de 200 assassinatos. Refém do medo, a população clama por mais segurança, enquanto os bandidos parecem cada vez mais certos da impunidade. Até quando?

Sem delegados plantonistas, investigações de homicídios estão ameaçadas em Pernambuco

A crise da segurança pública em Pernambuco deve piorar. É que os delegados da Polícia Civil comunicaram oficialmente à Secretaria de Defesa Social (SDS) que não vão mais realizar plantões extras no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Com isso as investigações de assassinatos nos horários de plantões (entre 18h e 6h) estão ameaçadas.

Somente neste ano Pernambuco já registrou mais de 3,4 mil homicídios – um dos piores resultados desde o início do programa Pacto pela Vida. Os delegados querem melhores condições de trabalho.

A mudança na direção da SDS, que agora tem à frente o delegado federal aposentado Ângelo Fernandes Gioia, servirá para “oxigenar” a área e garantir a volta da redução da violência no Estado, algo que não acontece desde 2014. Gioia, por sua vez, já recebeu o desafio de abrir diálogo com a categoria e sindicatos ligados à classe. O noto titular da SDS informou que em breve iniciará as visitas a delegacias de todo o Estado.

Petrolina

Informações repassadas a este Blog dão conta de que, já no próximo mês, os delegados que atuam em Petrolina trabalharão apenas para receber os flagrantes da Polícia Militar. Caso isso aconteça, muitas investigações vão parar, inclusive de homicídios. Uma grave situação para o município, que vem sofrendo com os autos índices de violência. (fonte: Jornal do Commercio/foto reprodução)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br