Codevasf investe cerca de R$ 4,3 mi para garantir água a municípios do semiárido de PE

Água para sobrevivência de rebanhos e de pequenos cultivos, como os de hortaliças, será assegurada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em comunidades rurais de mais de 60 municípios afetados pela estiagem prolongada no semiárido de Pernambuco. Quase R$ 4,3 milhões estão sendo aplicados na execução de obras e serviços de recuperação, limpeza, manutenção e desassoreamento de aguadas, tecnologia de convivência com a seca que traz alívio para milhares de famílias.

Os moradores que convivem com longos períodos de estiagem destacam as vantagens das aguadas. “O benefício é muito grande. Com a aguada limpa, a gente captura a água da chuva que usamos para o consumo humano, plantação e rebanho. Essa área aqui tá tendo uma seca muito forte”, explicou Maria Resende, moradora da comunidade de Baixa das Caraíbas.

Ao todo, serão mais de 300 aguadas limpas ou recuperadas, ação que aumentará em 600 mil metros cúbicos o volume de reservatórios em Pernambuco – ou 600 milhões de litros, o equivalente a 240 piscinas olímpicas. A iniciativa vai garantir água para 3,5 mil famílias. Na primeira semana de maio as obras foram iniciadas no município de Bodocó; em seguida, a ação deve ocorrer em Floresta.

A expectativa é de que, até o primeiro semestre de 2018, todas as aguadas tenham sido finalizadas. Os recursos que viabilizam as obras são do Orçamento Geral da União destinados à Codevasf por meio de emendas parlamentares.

Aguadas

As aguadas são reservatórios escavados no chão para captação e retenção de água da chuva. Além de servirem para matar a sede dos animais da região, também proporcionam aos agricultores a manutenção de pequenas plantações. “Sabemos que atualmente enfrentamos um longo e duro período de estiagem, mas não podemos correr o risco de não ter onde acumular a água que deverá cair nas próximas chuvas. Com as aguadas prontas, uma boa chuva pode significar um longo período de convivência com a seca garantido”, afirma o superintendente Regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro. (Foto: Ascom)

Parceria quer aumentar produção agrícola em Petrolina

Agricultores dos Perímetros Senador Nilo Coelho e Bebedouro, em Petrolina, têm buscado aumentar a qualidade de produção. Para isso procuraram assistência técnica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Na sexta-feira (12), uma reunião na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) entre o coordenador geral de produção do MAPA, Michel Ferraz, e a diretoria do Sindicato dos Agricultores Familiares do município (Sintraf) teve o objetivo de confirmar a visita de técnicos à zona rural da cidade e de apresentar outras demandas.

Uma das ações solicitada à pasta é a capacitação dos produtores da agricultura orgânica, com palestras e disponibilização de profissionais da área para visitar os lotes e fazer acompanhamentos.  Segundo a presidente do Sintraf, Isália Damacena, os agricultores necessitam do apoio para, além de qualificar a produção, tornarem-se mais competitivos no mercado. “Petrolina tem grande potencial econômico para a agricultura familiar. Para tanto, precisamos que nossos agricultores tenham assistência técnica adequada e que os oriente sobre a plantação, a colheita e o combate às pragas”, analisa.

Durante a reunião, Ferraz adiantou que na primeira semana de junho uma equipe de técnicos da Codevasf, que está na Paraíba, deve chegar ao município para atender a demanda dos produtores de orgânicos. “Será um suporte técnico para mitigar os problemas que eles [agricultores] têm identificado na produção”. E continua. “Nosso objetivo inicial é a organização dos pequenos irrigadores, partindo da integração de seus produtos para a sua comercialização”.

Reivindicação

As visitas in loco aos lotes de produção serão realizadas por técnicos ligados à Codevaf, que é a responsável pela orientação, capacitação e acompanhamento dos agricultores. A assistência técnica é uma reivindicação antiga do Sintraf. No final do ano passado, durante visita ministerial, o titular do MAPA, Blairo Maggi, comprometeu-se em atender a demanda da categoria. “Ele [Michel Ferraz] nos ouviu e está levando nossas necessidades à Brasília, esperamos que essa reunião possa trazer melhorias para o agricultor familiar de Petrolina”, afirma o secretário de políticas agrícolas do Sintraf, Natalício Luíz, que também esteve no encontro. (foto/divulgação)

Perímetros irrigados produzem 3,7 milhões de toneladas e faturam R$ 3,2 bi em 2016

Cerca de 3,7 milhões de toneladas de itens agrícolas, principalmente frutas, foram produzidas nos projetos públicos de irrigação administrados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) na bacia hidrográfica do Rio São Francisco, em 2016. Juntos, os projetos alcançaram R$ 3,2 bilhões em valor bruto de produção e geraram 289 mil empregos diretos e indiretos.

Os dados, divulgados pela Área de Gestão de Empreendimentos de Irrigação da Companhia, incluem também os projetos do Sistema Itaparica, localizados na Bahia e em Pernambuco.

“A Codevasf, ao longo dos seus quarenta e dois anos de existência, se notabilizou, principalmente, por sua capacidade em impulsionar a agricultura irrigada no Vale do São Francisco e, assim, contribuir para o desenvolvimento econômico do Nordeste”, afirma a presidente da Companhia, Kênia Marcelino.

No ano passado a Codevasf investiu R$ 129,6 milhões nas ações de modernização/reabilitação da infraestrutura de uso comum dos projetos públicos de irrigação, na reabilitação e administração de projetos interesse social e no atendimento a legislação e condicionantes ambientais.

“Damos continuidade às obras de revitalização, modernização e implantação da infraestrutura dos projetos públicos de irrigação, viabilizando a manutenção e a geração de milhares de empregos diretos e indiretos. Busca-se, ainda, com os investimentos na modernização dos projetos já existentes, a tão almejada emancipação dos empreendimentos em favor dos Distritos de Irrigação”, enfatiza a presidente da Companhia.

Foram executadas ações para garantir o funcionamento dos projetos públicos de irrigação que consiste na captação e distribuição de 1,1 milhão de metros cúbicos (m³) de água de irrigação e serviços de manutenção em cerca de 4 mil km de canais e tubulações, 5 mil km de drenos, 3,6 mil km de estradas e 290 estações de bombeamento.

“Os projetos públicos de irrigação no vale do São Francisco, melhoraram e os irrigantes investiram em tecnologia. Hoje não só a quantidade produzida é importante, mas também a qualidade dos produtos, principalmente das frutas, que conquistou o mercado internacional. Com isso, ganha o produtor e o consumidor e mostra um crescimento sustentável que proporciona aumento na geração de emprego e renda, contribuindo para a melhoria dos índices socioeconômicos da região”, avalia o diretor da Área de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, Luís Napoleão Casado Arnaud Neto.

Flutuantes

Paralelamente a essas ações, a Codevasf instalou sistemas de bombeamento sob flutuantes (equipamentos móveis instalados no próprio leito do rio) para garantir oferta de água nos projetos públicos de irrigação. Mais de R$ 42 milhões já foram investidos desde 2015 pela Companhia na instalação desses sistemas que permitem a captação de água para os projetos de irrigação mesmo com a redução da vazão do rio São Francisco.

Um dos projetos públicos de irrigação beneficiados com a instalação dessas estruturas complementares de captação de água foi o Curaçá, localizado no município de Juazeiro (BA), no Submédio São Francisco. O objetivo da implantação emergencial dessas estruturas complementares de captação é assegurar a regularidade da oferta de água para áreas de produção irrigada afetadas pelos baixos níveis do rio São Francisco nos reservatórios de Sobradinho e Itaparica e na região do Baixo São Francisco. (Foto: Ascom)

Tabira passa a integrar Programa Novo Chico para retomar obra de saneamento

Uma reunião ocorrida entre a Prefeitura de Tabira (PE), no Sertão do Pajeú, e engenheiros da 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf, em Petrolina, teve como objetivo destravar as obras de sanamento da cidade, que estão paralisadas. A novidade é que o município passará a integrar o Programa Novo Chico – ação do governo federal para investimentos na revitalização do Rio São Francisco

O prefeito Sebastião Dias (PTB) garantiu que sua gestão não medirá esforços para conclusão da saneamento do município, a fim de que a população possa dispor do serviço o quanto antes. “Esse é nosso compromisso prioritário”, reforçou.

Ainda na reunião, ficou decidido que a prefeitura irá dar andamento às contrapartidas, enquanto a Codevasf vai fazendo paralelamente o que lhe cabe. Em até 60 dias, com o cumprimento das  etapas, será  iniciado o processo de licitação. (Foto/divulgação)

 

Codevasf preserva bioma caatinga em área irrigada do Norte da Bahia

No Projeto de irrigação Salitre, em Juazeiro (BA), uma área de mais de 3 mil hectares é destinada à preservação do bioma caatinga, em projeto executado pela 6ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf. Espécies como cacto, xique-xique e mandacaru – vegetação típica deste bioma único no mundo e que tem seu dia lembrado nesta sexta-feira, 28 – são algumas exemplos da riqueza que compõem o cenário do Salitre.

São 2.033 hectares de Reserva Legal, destinados a conservar a vegetação nativa da Caatinga, predominante na região semiárida. De acordo com o técnico da 6ª SR da Codevasf, José Gabriel Barbosa Lopes, que atua no apoio administrativo do projeto de irrigação, essa área de preservação é totalmente cercada para evitar que alguns animais ou até mesmo pessoas danifiquem ou retirem do local as espécies vegetais.

“Na área são encontradas essas espécies e ainda a aroeira, o umbuzeiro, o juazeiro, o caroá e o marizeiro”, enumera o técnico. O bioma abriga 178 espécies de mamíferos, 591 de aves, 177 de répteis, 79 espécies de anfíbios, 241 de peixes e 221 abelhas. Quase 27 milhões de pessoas vivem na região, a maioria carente e dependente de seus recursos para sobreviver.

No Salitre, a Codevasf destinou cerca de 1.100 hectares para a “servidão florestal”, objetivando a preservação ambiental, além dos 2.033 hectares, limitados por cerca de arame e mourões de concreto.

“Essas áreas devem compor a paisagem dos novos projetos públicos de irrigação, junto com os lotes com produção agrícola, e reúnem vegetação nativa em bom estado de conservação, além de representar refúgio para muitos animais silvestres, como teiús, emas e saguis”, explica a chefe na Unidade de Meio Ambiente da Codevasf em Juazeiro, Edneuma Gonçalves de Souza.

Preservação

O trabalho de conservação da Codevasf nessa área é relevante para o desenvolvimento sustentável, a salvaguarda da biodiversidade, da saúde humana, dos valores paisagísticos, estéticos e do regime hídrico. “A preservação de áreas cobertas por vegetação nativa nas proximidades dos campos cultivados possibilita o controle biológico de pragas, regulando o funcionamento dos agroecossistemas a partir da seleção de plantas e de técnicas de manejo para estruturar o sistema produtivo nos lotes”, afirma Edneuma Souza.

Essas tecnologias têm como objetivo auxiliar agricultores na adequação de seus sistemas produtivos tradicionais às bases ecológicas exigidas pelo mercado atual, conjugando a utilização dos recursos naturais com a responsabilidade de preservá-los.

Dia Caatinga

O Dia Nacional da Caatinga, instituído por Decreto Presidencial em 20 de agosto de 2003, é celebrado todos os anos em 28 de abril. Único bioma exclusivamente brasileiro, a caatinga ocupa cerca de 844,4 mil quilômetros quadrados – o equivalente a 11% do território nacional – e engloba os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Sergipe e o norte de Minas Gerais. (Foto: Ascom)

Codevasf cria comissão para acelerar atendimento a irrigantes do norte baiano

 

Com a meta de atender mensalmente pelo menos 100 irrigantes familiares que desejam liquidar suas dívidas com tarifa de água (K1) e titulação de lotes agrícolas, a 6ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paranaíba (Codevasf), sediada em Juazeiro (BA), criou uma comissão específica que vai acelerar o ritmo dos trabalhos. O objetivo é atingir um universo de 700 produtores do Norte baiano até novembro podendo beneficiar mais de 10 mil produtores de projetos públicos de irrigação da Codevasf situados em todo o Vale do São Francisco, região afetada pela estiagem prolongada.

De acordo com o setor de cobrança da Superintendência, mais de 65 liquidações de débitos foram registradas até agora, e a média de desconto para pagamento integral das dívidas é de 80%. Na região de Juazeiro, a medida está beneficiando agricultores dos projetos irrigados Maniçoba, Curaçá I e II, Mandacaru, Tourão e Salitre.

“Este é o momento que o produtor sempre esperou para liquidar suas dívidas junto ao governo federal. Os descontos concedidos são muito expressivos. Fechamos parceria com todos os distritos para facilitar o acesso à informação àqueles que possuem débitos em aberto. O irrigante não pode desperdiçar essa oportunidade”, afirma o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Misael Neto.

Manoel Mercês dos Santos, produtor em um lote de sete hectares no projeto Curaçá I, procurou a Codevasf para regularizar sua situação financeira e ficou satisfeito com o valor do desconto. “Paguei as dívidas todas com mais de 70% de desconto à vista. Se nós perdermos esta oportunidade, vai ficar muito difícil quitar tudo, porque as dívidas estão muito altas”, aponta.

Já o irrigante Severino Joaquim da Silva, que possui um lote no projeto Maniçoba, procurou a Codevasf para regularizar sua situação e ratificou que “quem perder essa oportunidade vai ter dificuldade para pagar depois”.

Pagamento total

A medida do governo federal beneficia irrigantes pessoa física que optarem pela liquidação dos débitos ainda neste ano. Sem os descontos, o valor atualizado das dívidas acumuladas por produtores irrigantes de todo o Vale do São Francisco, até dezembro de 2016, na abrangência dos sete estados onde a Codevasf atua, era de R$ 172 milhões. As variáveis que determinam o percentual de desconto aplicável à dívida de cada agricultor são: valores originais das dívidas, datas de contratação dos débitos e localização dos empreendimentos de irrigação (dentro ou fora da região semiárida). Os descontos são válidos apenas para pagamento total do saldo atualizado das dívidas de titulação e de tarifa d’água. Mesmo os agricultores que participaram de processos de renegociação de suas dívidas no passado poderão obter o desconto para liquidação dos débitos.

O agricultor interessado deve solicitar formalmente à Codevasf extrato demonstrativo de débitos e informações sobre o percentual de desconto a que tem direito. De posse desses dados e da documentação necessária, o agricultor deve assinar o termo de acordo e pagar em até 30 dias a guia de recolhimento da dívida.

A data de vencimento da guia não poderá ser alterada, nem poderão ser emitidos boletos atualizados, e os pagamentos devem ocorrer exclusivamente no Banco do Brasil. Caso o pagamento não seja realizado até a data de vencimento da guia, o desconto é cancelado e a dívida retorna à situação anterior.

A Codevasf deve receber os pedidos de liquidação de dívidas com desconto até 29 de novembro, para que haja tempo hábil para análise e resposta das demandas e posterior pagamento dos débitos pelo agricultor em até 29 de dezembro – data em que todo o processo de concessão de descontos será encerrado. A área técnica da Codevasf recomenda que os irrigantes se antecipem aos prazos e procurem a Companhia no máximo até outubro. O agricultor que não quitar suas dívidas perderá a oportunidade de obter o desconto de até 95% e ainda poderá ser alvo de sanções previstas em lei: suspensão do fornecimento de água, retomada do lote, cobrança judicial e inscrição no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin). (Foto: Ascom)

3ª SR Codevasf beneficia instituições de Petrolina com com distribuição de pescado para Semana Santa

Como acontece todos os anos, a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf em Petrolina, por meio do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura (CIB), distribuiu pescado para diversas instituições da cidade. A ação foi realizada no dia de ontem (12). Mais de 120 kg de peixe das espécies Tambaqui e Tilápia chegaram à Casa Lar, Comunidade Boa Nova, Casa Geriátrica de Petrolina e a Casa de Passagem Bom Samaritano.

Uma das beneficiadas, a Boa Nova – Rainha dos Anjos, em parceria com a Diocese de Petrolina, acolhe dependentes químicos há 3 anos. Fabio Antonio, coordenador da missão Petrolina, conta que desde o início de atividade da instituição, a Codevasf doa os peixes para a semana santa dos internos.

Esses peixes são uma bênção, já que a Casa Boa Nova Rainha dos Anjos trabalha com acolhimento de dependentes químicos sem cobrar nada, totalmente gratuito. Esses peixes chegaram em uma boa hora. Vão ser nossa ceia da Sexta-feira Santa. Todo ano a Codevasf nos agracia com essa ajuda”, revelou o coordenador.

As entregas foram acompanhadas pelo superintendente da 3ª SR Codevasf, Aurivalter Cordeiro, e técnicos do CIB – que funciona no perímetro irrigado Bebedouro, área irrigada de Petrolina. (foto: Ascom)

Codevasf e Mapa vão ampliar apoio à produção em projetos irrigados do sertão pernambucano

Cerca de 3 mil famílias de produtores dos projetos públicos de irrigação do Sistema Itaparica em Pernambuco serão beneficiadas com apoio à produção, numa parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A ação envolve recursos da ordem de R$ 3 milhões. A primeira fase está sendo cumprida nesta semana com a apresentação do diagnóstico durante a visita das duas instituições aos projetos Fulgêncio, Brígida, Manga de Baixo, Icó-Mandantes, Apolônio Sales e Barreiras.

A partir da elaboração do diagnóstico situacional, serão realizados levantamentos das estruturas socioprodutivas dos perímetros o que envolve, também, capacitações de produtores, visando à autogestão; implementação das técnicas voltadas às principais culturas exploradas nos projetos; manejo de solo e água e manejo de métodos mais eficientes de irrigação parcelar; e incentivo à adesão por esses métodos.

“Com a realização do diagnóstico, vamos montar o plano de trabalho para dar início as capacitações. O objetivo geral dos serviços é capacitar os produtores e suas organizações para o planejamento da produção e gerenciamento do lote, além de conscientizá-los e orientá-los para a aplicação dos princípios de boas práticas agrícolas. Além disso, possibilita a apropriação de tecnologias que permitam aumento da produtividade, agregação de valor à produção e competitividade”, explica a gerente de Apoio à Produção da Codevasf, Andrea Rachel Sousa, que está acompanhada do superintendente regional da 3ª Superintendência Regional, em Petrolina (PE), Aurivalter Cordeiro.

Para o produtor Osvaldo Xavier, do projeto de irrigação Barreiras, os serviços de apoio à produção são fundamentais. “Eu acho muito importante. Antes, quando tínhamos essa assistência, o projeto estava avançando bastante, no que diz respeito a produção, comercialização e acesso ao crédito”, afirma.

“Nós temos informações agora que podemos, junto com a Codevasf, trabalharmos o futuro desse apoio à produção, consolidar esse programa que vem para apoiar na organização dos produtores. Hoje, demos o pontapé inicial desse nova assistência técnica”, diz Mychel Ferraz, coordenador-geral de produção sustentável do Mapa.

Dessa etapa de diagnóstico participam produtores, lideranças locais, representantes da Prefeitura de Petrolândia (PE) e do Mapa, além da equipe contratada para apoio à produção. Da Codevasf, também acompanham os trabalhos o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da 3ª Superintendência Regional, José Costa Barros; o chefe da Unidade Regional de Apoio à Produção, Marcelo Ramos; e o analista em Desenvolvimento Regional Márcio Ferreira

Sistema Itaparica

O Sistema Itaparica é um conjunto de dez projetos de irrigação situados na fronteira do Submédio São Francisco, entre Pernambuco e Bahia. Foi criado pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) no final da década de 1980, para compensar famílias que viviam na área rural onde se formou o lago da usina hidrelétrica de Luiz Gonzaga. Ele é voltado à agricultura familiar.

Até 2014, os projetos do complexo Itaparica eram administrados por meio de parceria entre a Codevasf e a Chesf. Com o fim do convênio, as áreas irrigadas localizadas nos municípios pernambucanos de Petrolândia, Floresta e Itacuruba passaram a ser administradas pela 3ª Superintendência Regional da Codevasf, em Petrolina, com o apoio da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, em Brasília. (Foto: Ascom Codevasf)

Codevasf apresenta ações de saneamento no semiárido em seminário no Recife

A contratação e elaboração de projetos de sistemas de tratamento de esgoto implantados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em pequenos municípios do Nordeste e Norte de Minas foi tema de palestra proferida pelo diretor de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Codevasf, Inaldo Guerra, no Seminário Região Nordeste – Projeto Reúso, que acontece no Recife, na sede da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

“Essa questão da reutilização da água deve ser debatida tanto tecnicamente como conceitualmente porque passa pela mudança na forma de pensar o uso, uma mudança de paradigma. A Codevasf trabalha no nível técnico com grandes contribuições e obras importantes”, explica Guerra.

Em sua apresentação, ele abordou as ações desenvolvidas pela Codevasf na implantação de sistemas de esgotamento sanitário no âmbito do Programa de Revitalização de Bacias Hidrográficas do São Francisco e do Parnaíba, destacando a situação das obras nos estados onde a empresa atua. O chefe do Escritório de Representação da Codevasf em Recife, Marcelo Teixeira, acompanhou os trabalhos.

A Codevasf já investiu cerca de R$ 1,8 bilhão na implantação de sistemas de esgotamento sanitário. Já foram concluídas 103 obras e outras 23 encontram-se em execução. As ações promovem a recuperação e a conservação hidro ambiental da bacia, melhoram as condições sanitárias locais e contribuem para a conservação dos recursos naturais e para eliminação de focos de poluição.

Interáguas

O seminário, que termina nesta sexta-feira (7), visa a apresentar e discutir sobre resultados preliminares das potencialidades de reuso e critérios de qualidade, além de coletar informação específica a cada região, incluindo iniciativas relacionadas ao tema de água de reúso. O projeto foi concebido especificamente para propor um plano de ações voltado à elaboração de uma política de reuso de efluentes sanitários no Brasil.

O evento está inserido no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Setor Água (Interáguas), que tem como instituição executora o Ministério das Cidades, por meio da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (SNSA/MCidades), em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e financiamento do Banco Mundial. (Foto: Comunicação/Codevasf)

Moradores do Perímetro Maria Tereza devem acionar MPPE por abastecimento d’água

Revoltados contra a constante falta d’água no Perímetro de Irrigação Maria Tereza (também conhecido por KM-25), zona rural de Petrolina, um grupo de moradores promete acionar nesta quarta-feira (5) o Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Eles querem que o órgão pressione a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf e o Distrito de Irrigação, que suspenderam desde o último dia 29 de março o abastecimento, prejudicando mais de 18 mil moradores do local.

Ex-vereador da cidade, Jorge Anselmo retratou o cenário em seu perfil nas redes sociais, tomando as dores das famílias do Maria Tereza.

“As pessoas estão em situação difícil. Algumas pegando resto de água no canal de irrigação, outras pegando água suja na rua. Quem não reclama seus direitos, bebe lama ou fica sem beber nada”, alfinetou o ex-vereador.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br