Codevasf cria comissão para acelerar atendimento a irrigantes do norte baiano

 

Com a meta de atender mensalmente pelo menos 100 irrigantes familiares que desejam liquidar suas dívidas com tarifa de água (K1) e titulação de lotes agrícolas, a 6ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paranaíba (Codevasf), sediada em Juazeiro (BA), criou uma comissão específica que vai acelerar o ritmo dos trabalhos. O objetivo é atingir um universo de 700 produtores do Norte baiano até novembro podendo beneficiar mais de 10 mil produtores de projetos públicos de irrigação da Codevasf situados em todo o Vale do São Francisco, região afetada pela estiagem prolongada.

De acordo com o setor de cobrança da Superintendência, mais de 65 liquidações de débitos foram registradas até agora, e a média de desconto para pagamento integral das dívidas é de 80%. Na região de Juazeiro, a medida está beneficiando agricultores dos projetos irrigados Maniçoba, Curaçá I e II, Mandacaru, Tourão e Salitre.

“Este é o momento que o produtor sempre esperou para liquidar suas dívidas junto ao governo federal. Os descontos concedidos são muito expressivos. Fechamos parceria com todos os distritos para facilitar o acesso à informação àqueles que possuem débitos em aberto. O irrigante não pode desperdiçar essa oportunidade”, afirma o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Misael Neto.

Manoel Mercês dos Santos, produtor em um lote de sete hectares no projeto Curaçá I, procurou a Codevasf para regularizar sua situação financeira e ficou satisfeito com o valor do desconto. “Paguei as dívidas todas com mais de 70% de desconto à vista. Se nós perdermos esta oportunidade, vai ficar muito difícil quitar tudo, porque as dívidas estão muito altas”, aponta.

Já o irrigante Severino Joaquim da Silva, que possui um lote no projeto Maniçoba, procurou a Codevasf para regularizar sua situação e ratificou que “quem perder essa oportunidade vai ter dificuldade para pagar depois”.

Pagamento total

A medida do governo federal beneficia irrigantes pessoa física que optarem pela liquidação dos débitos ainda neste ano. Sem os descontos, o valor atualizado das dívidas acumuladas por produtores irrigantes de todo o Vale do São Francisco, até dezembro de 2016, na abrangência dos sete estados onde a Codevasf atua, era de R$ 172 milhões. As variáveis que determinam o percentual de desconto aplicável à dívida de cada agricultor são: valores originais das dívidas, datas de contratação dos débitos e localização dos empreendimentos de irrigação (dentro ou fora da região semiárida). Os descontos são válidos apenas para pagamento total do saldo atualizado das dívidas de titulação e de tarifa d’água. Mesmo os agricultores que participaram de processos de renegociação de suas dívidas no passado poderão obter o desconto para liquidação dos débitos.

O agricultor interessado deve solicitar formalmente à Codevasf extrato demonstrativo de débitos e informações sobre o percentual de desconto a que tem direito. De posse desses dados e da documentação necessária, o agricultor deve assinar o termo de acordo e pagar em até 30 dias a guia de recolhimento da dívida.

A data de vencimento da guia não poderá ser alterada, nem poderão ser emitidos boletos atualizados, e os pagamentos devem ocorrer exclusivamente no Banco do Brasil. Caso o pagamento não seja realizado até a data de vencimento da guia, o desconto é cancelado e a dívida retorna à situação anterior.

A Codevasf deve receber os pedidos de liquidação de dívidas com desconto até 29 de novembro, para que haja tempo hábil para análise e resposta das demandas e posterior pagamento dos débitos pelo agricultor em até 29 de dezembro – data em que todo o processo de concessão de descontos será encerrado. A área técnica da Codevasf recomenda que os irrigantes se antecipem aos prazos e procurem a Companhia no máximo até outubro. O agricultor que não quitar suas dívidas perderá a oportunidade de obter o desconto de até 95% e ainda poderá ser alvo de sanções previstas em lei: suspensão do fornecimento de água, retomada do lote, cobrança judicial e inscrição no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin). (Foto: Ascom)

3ª SR Codevasf beneficia instituições de Petrolina com com distribuição de pescado para Semana Santa

Como acontece todos os anos, a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf em Petrolina, por meio do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura (CIB), distribuiu pescado para diversas instituições da cidade. A ação foi realizada no dia de ontem (12). Mais de 120 kg de peixe das espécies Tambaqui e Tilápia chegaram à Casa Lar, Comunidade Boa Nova, Casa Geriátrica de Petrolina e a Casa de Passagem Bom Samaritano.

Uma das beneficiadas, a Boa Nova – Rainha dos Anjos, em parceria com a Diocese de Petrolina, acolhe dependentes químicos há 3 anos. Fabio Antonio, coordenador da missão Petrolina, conta que desde o início de atividade da instituição, a Codevasf doa os peixes para a semana santa dos internos.

Esses peixes são uma bênção, já que a Casa Boa Nova Rainha dos Anjos trabalha com acolhimento de dependentes químicos sem cobrar nada, totalmente gratuito. Esses peixes chegaram em uma boa hora. Vão ser nossa ceia da Sexta-feira Santa. Todo ano a Codevasf nos agracia com essa ajuda”, revelou o coordenador.

As entregas foram acompanhadas pelo superintendente da 3ª SR Codevasf, Aurivalter Cordeiro, e técnicos do CIB – que funciona no perímetro irrigado Bebedouro, área irrigada de Petrolina. (foto: Ascom)

Codevasf e Mapa vão ampliar apoio à produção em projetos irrigados do sertão pernambucano

Cerca de 3 mil famílias de produtores dos projetos públicos de irrigação do Sistema Itaparica em Pernambuco serão beneficiadas com apoio à produção, numa parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A ação envolve recursos da ordem de R$ 3 milhões. A primeira fase está sendo cumprida nesta semana com a apresentação do diagnóstico durante a visita das duas instituições aos projetos Fulgêncio, Brígida, Manga de Baixo, Icó-Mandantes, Apolônio Sales e Barreiras.

A partir da elaboração do diagnóstico situacional, serão realizados levantamentos das estruturas socioprodutivas dos perímetros o que envolve, também, capacitações de produtores, visando à autogestão; implementação das técnicas voltadas às principais culturas exploradas nos projetos; manejo de solo e água e manejo de métodos mais eficientes de irrigação parcelar; e incentivo à adesão por esses métodos.

“Com a realização do diagnóstico, vamos montar o plano de trabalho para dar início as capacitações. O objetivo geral dos serviços é capacitar os produtores e suas organizações para o planejamento da produção e gerenciamento do lote, além de conscientizá-los e orientá-los para a aplicação dos princípios de boas práticas agrícolas. Além disso, possibilita a apropriação de tecnologias que permitam aumento da produtividade, agregação de valor à produção e competitividade”, explica a gerente de Apoio à Produção da Codevasf, Andrea Rachel Sousa, que está acompanhada do superintendente regional da 3ª Superintendência Regional, em Petrolina (PE), Aurivalter Cordeiro.

Para o produtor Osvaldo Xavier, do projeto de irrigação Barreiras, os serviços de apoio à produção são fundamentais. “Eu acho muito importante. Antes, quando tínhamos essa assistência, o projeto estava avançando bastante, no que diz respeito a produção, comercialização e acesso ao crédito”, afirma.

“Nós temos informações agora que podemos, junto com a Codevasf, trabalharmos o futuro desse apoio à produção, consolidar esse programa que vem para apoiar na organização dos produtores. Hoje, demos o pontapé inicial desse nova assistência técnica”, diz Mychel Ferraz, coordenador-geral de produção sustentável do Mapa.

Dessa etapa de diagnóstico participam produtores, lideranças locais, representantes da Prefeitura de Petrolândia (PE) e do Mapa, além da equipe contratada para apoio à produção. Da Codevasf, também acompanham os trabalhos o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da 3ª Superintendência Regional, José Costa Barros; o chefe da Unidade Regional de Apoio à Produção, Marcelo Ramos; e o analista em Desenvolvimento Regional Márcio Ferreira

Sistema Itaparica

O Sistema Itaparica é um conjunto de dez projetos de irrigação situados na fronteira do Submédio São Francisco, entre Pernambuco e Bahia. Foi criado pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) no final da década de 1980, para compensar famílias que viviam na área rural onde se formou o lago da usina hidrelétrica de Luiz Gonzaga. Ele é voltado à agricultura familiar.

Até 2014, os projetos do complexo Itaparica eram administrados por meio de parceria entre a Codevasf e a Chesf. Com o fim do convênio, as áreas irrigadas localizadas nos municípios pernambucanos de Petrolândia, Floresta e Itacuruba passaram a ser administradas pela 3ª Superintendência Regional da Codevasf, em Petrolina, com o apoio da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, em Brasília. (Foto: Ascom Codevasf)

Codevasf apresenta ações de saneamento no semiárido em seminário no Recife

A contratação e elaboração de projetos de sistemas de tratamento de esgoto implantados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em pequenos municípios do Nordeste e Norte de Minas foi tema de palestra proferida pelo diretor de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Codevasf, Inaldo Guerra, no Seminário Região Nordeste – Projeto Reúso, que acontece no Recife, na sede da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

“Essa questão da reutilização da água deve ser debatida tanto tecnicamente como conceitualmente porque passa pela mudança na forma de pensar o uso, uma mudança de paradigma. A Codevasf trabalha no nível técnico com grandes contribuições e obras importantes”, explica Guerra.

Em sua apresentação, ele abordou as ações desenvolvidas pela Codevasf na implantação de sistemas de esgotamento sanitário no âmbito do Programa de Revitalização de Bacias Hidrográficas do São Francisco e do Parnaíba, destacando a situação das obras nos estados onde a empresa atua. O chefe do Escritório de Representação da Codevasf em Recife, Marcelo Teixeira, acompanhou os trabalhos.

A Codevasf já investiu cerca de R$ 1,8 bilhão na implantação de sistemas de esgotamento sanitário. Já foram concluídas 103 obras e outras 23 encontram-se em execução. As ações promovem a recuperação e a conservação hidro ambiental da bacia, melhoram as condições sanitárias locais e contribuem para a conservação dos recursos naturais e para eliminação de focos de poluição.

Interáguas

O seminário, que termina nesta sexta-feira (7), visa a apresentar e discutir sobre resultados preliminares das potencialidades de reuso e critérios de qualidade, além de coletar informação específica a cada região, incluindo iniciativas relacionadas ao tema de água de reúso. O projeto foi concebido especificamente para propor um plano de ações voltado à elaboração de uma política de reuso de efluentes sanitários no Brasil.

O evento está inserido no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Setor Água (Interáguas), que tem como instituição executora o Ministério das Cidades, por meio da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (SNSA/MCidades), em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e financiamento do Banco Mundial. (Foto: Comunicação/Codevasf)

Moradores do Perímetro Maria Tereza devem acionar MPPE por abastecimento d’água

Revoltados contra a constante falta d’água no Perímetro de Irrigação Maria Tereza (também conhecido por KM-25), zona rural de Petrolina, um grupo de moradores promete acionar nesta quarta-feira (5) o Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Eles querem que o órgão pressione a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf e o Distrito de Irrigação, que suspenderam desde o último dia 29 de março o abastecimento, prejudicando mais de 18 mil moradores do local.

Ex-vereador da cidade, Jorge Anselmo retratou o cenário em seu perfil nas redes sociais, tomando as dores das famílias do Maria Tereza.

“As pessoas estão em situação difícil. Algumas pegando resto de água no canal de irrigação, outras pegando água suja na rua. Quem não reclama seus direitos, bebe lama ou fica sem beber nada”, alfinetou o ex-vereador.

Codevasf investe R$ 2 milhões para modernizar projeto de irrigação comunitária em Petrolina

 

O projeto de irrigação comunitária no Povoado de Ponta da Serra, situado a aproximadamente 30 km de Petrolina, está prestes a ganhar fôlego novo. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) está investindo R$ 2 milhões na construção, reforma e ampliação das adutoras principal e secundária e em obras de manutenção e limpeza do reservatório – uma ação que vai melhorar, para as mais de 50 famílias da comunidade rural, as condições de produção de frutas como manga, acerola, goiaba, mamão e melancia, além do feijão.

São 53 lotes e uma área total irrigada de 106 hectares. “Com a ação da Codevasf, poderemos direcionar o valor que gastamos mensalmente para reparar o sistema em investimento na produção”, comemora Jeniscélio Coelho de Lima, presidente da Associação dos Irrigantes de Ponta da Serra. “Nossas tubulações já possuem 20 anos de uso, estão desgastadas. Por isso, comumente temos vazamento e problemas no abastecimento”, conta.

De acordo com o produtor, a obra vai não apenas reparar os danos atuais, mas também permitir que os irrigantes comunitários de Ponta da Serra experimentem avanços no projeto.

Hoje nós empregamos cerca de 50 pessoas por semana, mas esse número não aumenta pelo fato de não termos segurança, já que a situação do projeto não é ideal. Com a reforma e ampliação que a Codevasf está fazendo, certamente iremos aumentar o número de postos de emprego. Além disso, esperamos economizar de R$ 2 mil a R$ 3 mil por mês em consumo de energia, recurso que será investido na modernização e produção dos nossos lotes”, planeja.

Fortalecimento

O Superintendente Regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro, afirma que a Companhia tem agido no sentido de fortalecer a produção familiar e os projetos de irrigação comunitários de Pernambuco. “Além dos R$ 2 milhões aplicados na reforma e ampliação da adutora de Ponta da Serra, recentemente nós assinamos a regularização da concessão de tomada d’água daquele projeto. Isso facilitará qualquer empréstimo que eles queiram fazer junto às instituições financeiras”, aponta. (Foto: Ascom/divulgação)

Ação da Codevasf permite uso racional da água em projeto irrigado no interior de Petrolina

 

Famílias produtoras de manga, uva, maracujá, melancia, goiaba, acerola, banana e mamão, entre outras culturas, no projeto público de irrigação do Muquém, zona rural de Petrolina, poderão a partir de agora fazer uso racional da água em suas áreas irrigadas. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), por meio de sua 3ª Superintendência Regional, disponibilizou 45 hidrômetros, equipamentos que fazem a medição do consumo de água pelos agricultores.

Estes hidrômetros vão permitir não só que a cobrança de água seja feita de forma mais justa – já que agora poderá ser medida a água que cada produtor consome e realizar-se a cobrança de forma individual -, mas também ajudarão a um uso mais consciente da água, pois agora irão saber que, se usarem a água de maneira indiscriminada, terão que pagar”, afirma o superintendente regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro.

O presidente da Associação dos Produtores do Perímetro Muquém, Francisco de Assis Nunes, comemorou a chegada dos equipamentos. “Significam desenvolvimento para a região. Esperamos há muito tempo por esses equipamentos, e agora estamos vendo a coisa se realizar”, disse.

Nunes explica ainda que as ações da Codevasf no projeto têm ajudado a fortalecer a economia e modificar a realidade das famílias locais.

“Com certeza, muitos dos que estão aqui foram empregados de empresas, mas hoje voltaram a trabalhar no chão que toda a vida foi seu. Se você hoje procurar um produtor nosso, que foi ex-funcionário de alguma empresa e perguntar se ele quer voltar para lá, ele não quer. Porque lá ele ganhava um salário ou pouco mais que isso, e agora ele está ganhando aqui, no mínimo, três salários mínimos. Ele hoje é um empreendedor, não mais um empregado. Isso é o desenvolvimento da região, é o papel que a Codevasf tem desempenhado, e a gente só tem a agradecer”.

Atualmente, cerca de 60 famílias produtoras de manga, uva, maracujá, melancia, goiaba, acerola, banana e mamão, entre outras culturas, são beneficiadas pelo projeto de irrigação do Muquém. (Foto: Ascom CodevasfPE)

Codevasf responde a leitor do Blog que reclamou da qualidade da água que vem abastecendo o povoado de Pedrinhas

 

Em resposta à nota do leitor do Blog, Josemir Gomes de Amorim, que reclamou de sérios problemas quanto à qualidade da água que abastece o povoado de Pedrinhas, área ribeirinha de Petrolina, a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), superintendência regional em Petrolina, informou que na agrovila da comunidade, o órgão acabou de concluir reparos no sistema.

Disse que Moreira, morador local que está responsável pela operação do sistema, está impedido de ligar o equipamento porque a presidente da Associação não quer, pois os moradores pararam de pagar a contribuição.

Ainda segundo a Codevasf, Pedrinhas só terá a água tratada quando o novo sistema operar. Enquanto for o antigo, não tem como, e o abastecimento continuará sem tratamento. O caminho conforme a Companha, é que a população procure a responsável pela associação dos moradores, pois a Codevasf cumpriu com sua obrigação.

Codevasf recebe especialista de Isreal sobre experiência com os desafios do acesso à água

Dessalinização, reuso, sólida regulação e promoção de uma cultura que fixa o cuidado com a água como prioridade. Essas são algumas das medidas responsáveis por permitir que Israel supere seus constantes desafios de acesso a água, de acordo com Oded Distel, diretor do Programa Nacional de Sustentabilidade em Energia e Água do país, situado no Oriente Médio. Distel tratou do tema em evento que compôs nesta quarta-feira, 22, a programação de atividades alusivas ao Dia Mundial da Água realizadas esta semana na sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Brasília. O evento foi transmitido por videoconferência para as Superintendências regionais da empresa.

Na abertura da programação, a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, ressaltou a importância dos recursos hídricos e a atuação da empresa no desenvolvimento regional ao promover o uso sustentável desse recurso natural. “Precisamos conscientizar a sociedade sobre a necessidade de cuidar da água. Ela é vital”, ressaltou.

De acordo com o gestor israelense, o esgoto da região de Tel Aviv, a mais densamente povoada de Israel, é tratado para uso em atividades agrícolas. No país, 85% de toda a água de reuso é aplicada na agricultura – o maior percentual do mundo. Além disso, plantas de dessalinização fornecem 70% da água de consumo doméstico, fonte cujo custo de produção é comparativamente o mais elevado; atualmente cerca de um terço de todo o consumo de água de Israel provém da dessalinização. Mais de 60% do país é ocupado pelo deserto de Neguev.

“Todas as casas e fábricas estão conectadas a uma rede de abastecimento nacional, que é suprida por diferentes fontes: dessalinização, águas de subsolo, águas de superfície. Então quando abro a torneira em casa, provavelmente recebo um misto de água de diferentes fontes. A autoridade de água determina a qualidade e capta águas de fontes diversas, a depender de disponibilidade, do preço da energia, de muitos fatores”, explicou. Segundo Distel, a cobrança das tarifas de água sempre observa o real custo de produção das diversas fontes de abastecimento.

O diretor do Programa Nacional de Sustentabilidade em Energia e Água de Israel também ressaltou que o arcabouço legal de proteção da água, as campanhas de conscientização voltadas sobretudo para crianças e o estímulo a empreendedorismo e inovação nas áreas de gestão da água, dessalinização, irrigação e soluções para a área urbana são decisivas para o desenvolvimento de uma sociedade que conserva e economiza recursos hídricos.

“É muito produtivo receber todas essas informações. Só assim poderemos mudar a realidade futura que hoje prevê que até 2050, 66% da população mundial vai sofrer com a escassez de água potável, número apresentado pelo próprio Oded Distel em sua palestra”, afirmou Inaldo Guerra, diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf, área que organizou o evento.

Fórum Mundial da Água

Também dentro da programação de atividades alusivas ao Dia Mundial da Água realizadas na sede da Codevasf nesta semana, o assessor especial do Ministério da Integração Nacional (MI) Irani Braga Ramos realizou palestra sobre as principais perspectivas para o encontro Fórum Mundial da Água – Brasília / 2018.

Segundo Ramos, o objetivo do Fórum é intervir em políticas públicas. Ele explicou que esse processo político está organizado em torno de três encontros no Fórum de 2018: um de ministros, um de parlamentares e outro de autoridades locais.

Precisamos transformar as nossas questões em questões globais”, destacou. Ramos informou que Ecossistema é o tema que estará sob a coordenação do Ministério da Integração na ocasião. “Completamente alinhado aos esforços que o MI e a Codevasf vêm empregando”, frisou.

O Fórum Mundial da Água é o mais importante evento relacionado água. Ele acontece a cada três anos em uma diferente cidade do mundo e tem como objetivos gerais aumentar a percepção da importância da água na agenda política dos governos, além de promover o aprofundamento de discussões, a troca de experiências e a formulação de propostas para desafios relacionados a recursos hídricos. (Foto: Ascom Codevasf)

Produtores rurais estão reunidos na Codevasf para discutir recuperação de área invadida no canal do Nilo Coelho

Produtores rurais da perímetro irrigado Senador Nilo Coelho estão em reunião nesta tarde de terça, 21,  por meio de videoconferência, com a presidente Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales dos São Francisco e do Parnaíba), Kênia Marcelino que está em Brasília. O encontro acontece na superintendência regional da Codevasf em Petrolina e conta também com a participação do superintendente, Aurivalter Cordeiro e técnicos do órgão.

Pela manhã, a Polícia Federal retirou bombas ilegais do canal do Nilo Coelho. Conforme os produtores, as invasões vêm colocando em risco a estrutura do canal que abastece o perímetro de mais de 20 hectares. A área onde as bombas estão instaladas é de reserva legal e por isso a ação da Codevasf. Eles se colocaram à disposição para recuperar a área. Para a Codevasf, a área de reserva é inegociável. (mais…)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br