PGR foi contra buscas em endereços de líder do governo

4
Foto: Globo News/reprodução

Trecho da decisão que autorizou buscas em endereços do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo do presidente Jair Bolsonaro no Senado, mostra que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestou contrariamente aos mandados de busca e apreensão nos endereços do senador por considerar que não havia indícios de que o parlamentar guardasse consigo material que comprovasse o cometimento de atos ilícitos.

O pedido original para a realização de buscas em endereços residenciais e profissionais do senador foi realizado pela Polícia Federal (PF), que considerou relevante para a apuração buscas de materiais ligados a Bezerra Coelho. Mesmo com o parecer contrário da PGR, o ministro decidiu atender ao pedido da PF e autorizar as buscas.

“Ouvida, a Procuradoria-Geral da República manifestou-se favoravelmente à realização da busca e apreensão nos domicílios e endereços profissionais de todas as pessoas indicadas pela Polícia Federal, à exceção do senador Fernando Bezerra de Souza Coelho”, diz trecho da decisão de Barroso obtida pela TV Globo.

Em relação a este investigado, [a PGR] sustenta que ‘não há indícios de que ele registrasse os atos praticados, pois, ao contrário, adotou todas as medidas para manter-se longe deles, de modo que a medida invasiva terá pouca utilidade prática’“, relata Barroso no documento.

No documento, Barroso, porém, diz que o argumento da PGR “não é convincente”, pois, segundo ele, na “criminalidade organizada econômica“, os envolvidos tentam “ocultar provas“. (Fonte: O Globo)

4 COMENTÁRIOS

  1. Busca e apreensão de provas, após tantos anos, na casa e nos escritórios do Senador é muita burrice, mal caratismo da PF ou pirotecnia!! Não tem outra justificativa, são estas atitudes que enfraquecem a operação Lava-Jato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome