Leitor faz ressalvas à acessibilidade da Avenida Sete de Setembro após duplicação

6

A duplicação da Avenida Sete de Setembro, uma das mais movimentadas de Petrolina, ainda dá o que falar. Apesar dos muitos elogios que a obra já recebeu, sempre ficam algumas observações. É o caso de um leitor deste Blog, o qual acredita que a acessibilidade da via poderia ter sido mais bem planejada.

Parece que faltou cimento nas obras de acessibilidade da Sete de Setembro. Em quase todos os pontos as passagens ficaram um pouco mais largas que uma listra da faixa de pedestres. Um cadeirante ou idoso pode trombar ou desequilibrar e cair”, afirmou. A equipe do Blog vai procurar um posicionamento dos órgãos competentes sobre o assunto.

6 COMENTÁRIOS

  1. Também presenciei a DNIT , construindo uma dessas passarelas, na época eu fiquei sem acreditar no que estava vendo, não tem dois meses e já esta destruída, com certeza no protejo não tem essa porcaria, me arrependi não ter filmado para comprovar.

  2. Faltou cimento mesmo. Na hora de passar com uma bicicleta a pessoa que vem do outro lado tem que descer da passarela pra o outro passar! Pq que a passarela não pode ser da mesma largura da faixa de pedestres? O cimento não deu? Observem a quantidade de pessoas que atravessam ali, às vezes muitas de uma vez, como quando atravessam estudantes em grupo!

  3. Essa foto ainda não é a pior parte. Eu sugiro ao engenheiro: Sente numa cadeira de rodas e tente passar ali em frente a caixa, se conseguir será um bom engenheiro e um maravilhoso equilibrista. Teste simples!! Outro erro é a faixa de pedestre em frente ao Ceap, se for reto batemos no murinho de divisão da pista, dai temos que andar na lateral do muro até chegar na abertura para pedestre. Já basta, parem de brincar com a vida do povo.

  4. Cadê os “atores sérios” (segundo este blog) que não fiscalizaram a obra? Por que a Ammpla não participou do projeto, já que o prefeito quer a paternidade da obra na eleição? Obra eleitoreira isso sim, elefante branco, não houve planejamento algum de mobilidade, pois trata-se de uma rodovia que corta 4 bairros populosos de Petrolina, no projeto já deveria constar ciclovia e passarelas para os pedestres.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome