Fórum Permanente de Discussão sobre o combate ao crack será lançado nesta terça em Petrolina

1

roseane fariasPetrolina passará a contar com um Fórum Permanente de Discussão sobre o combate ao crack. O lançamento será feito nesta terça-feira (20) pelo Comitê Gestor local do programa federal ‘Crack, é possível vencer’, em evento que acontecerá das 14h às 17h na Secretaria de Educação (Centro de Convenções Senador Nilo Coelho), área central da cidade.

Apesar de se voltar para debater a problemática do crack, o fórum também abordará a questão do álcool e outras drogas.

“Esse é um problema muito sério que pode destruir famílias inteiras, em todas as classes sociais”, ponderou a secretária executiva da Mulher, Roseane Farias, em entrevista ao programa ‘Manhã no Vale’, da Rádio Jornal.

Roseane destacou ainda que um dos principais motes do evento é a valorização de equipamentos como o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), que servem de elo com entre a comunidade e o poder público no sentido de encaminhar os casos em busca de uma solução para os mesmos.

O lançamento do fórum permanente contará com a presença da articuladora do projeto Redes da Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad), Melissa Azevedo. O encontro de hoje será voltado apenas para representantes dos equipamentos sociais – além do CRAS, o CAPS, CRAM, Centro Pop e escolas. Mas, de acordo com Roseane, haverá outro momento em que a comunidade será convocada a participar dos debates.

Programa       

O Programa ‘Crack, é possível vencer’ foi lançado pelo governo federal com o objetivo de prevenir o uso do crack e promover a atenção integral ao usuário dessa e outras drogas, bem como enfrentar o tráfico. Reúne diversas ações que envolvem diretamente as políticas de saúde, assistência social e segurança pública e, de forma complementar, ações de educação e de garantia de direitos.

1 COMENTÁRIO

  1. Muito boa esta iniciativa, “antes tarde do que nunca”, sou acadêmico em Educação Física e graduado em Jiu Jitsu, uma arte marcial Brasileira, e gostaria de contribuir com um trabalho voluntário nestas instituições, porém tentei por diversas vezes em algumas, inclusive no CASE e não tive êxito. Temos que trabalhar com a prevenção e também com a recuperação destes jovens em situação de vulnerabilidade social e dependência química. Tenho um projeto social chamado COIOTES DO SERTÃO de iniciativa própria e sem ajuda de nenhum órgão público na zona rural e estou a disposição para ajudar na recuperação, na prevenção ou ressocialização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome