Com a presença do ministro Fernando Filho, Chesf inaugura hoje primeira etapa de Centro de Energia Solar de Petrolina

3

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) inaugura, logo mais às 14h30 de hoje (29), a primeira etapa do Centro de Referência em Energia Solar de Petrolina (Cresp), localizado no Projeto de Irrigação Codevasf, Loteamento Uruás (antigo Pontal Sul), zona rural da cidade.

O evento contará com a presença do Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, de Juazeiro, Paulo Bomfim e autoridades da região, além de representantes do Setor Elétrico nacional e de empresas convidadas. No local, haverá entrevista coletiva.

O Cresp é um centro de pesquisas voltado ao desenvolvimento científico e tecnológico em energia solar e, de acordo com a Chesf, irá contribuir com o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida da sociedade, mediante a geração e a aplicação do conhecimento da Energia Solar.

Nesta primeira etapa, com investimentos da ordem de R$ 30 milhões, estará sendo entregue a edificação do Centro, com ambientes para debates da evolução tecnológica da energia solar, salas de monitoramento, laboratórios de pesquisa e uma planta fotovoltaica de 2,5MWp, denominada Planta Básica.

3 COMENTÁRIOS

  1. Com a 5ª maior reserva de urânio do mundo no Brasil, uma das fontes de energia mais eficazes atualmente, esse Ministro fica gastando dinheiro público com esse engodo politicamente correto chamado energia solar. Qualquer um com dois neurônios sabe que a produção de energia solar em larga escala é uma piada de muito mau gosto. Até mesmo em lugares com grande incidência de luz solar esses geradores apresentam falhas. Pode até servir de forma complementar, mas nunca de fonte primária. E ainda tem uma turma de babões que dizem que este é o “melhor Ministro de Minas e Energia que o país já teve” e que ele “domina o setor de forma impressionante”. Piada pronta!

  2. As energias renováveis hoje são uma realidade, a Europa está abolindo o urânio e seus desastres nucleares, aqui em PETROLINA-PE a geração de energia solar está crescendo muito. No Brasil temos o exemplo das usinas de Angra I e II que não geram essa energia todo, elas servem de forma complementar, mais os riscos são muitos e o custo de construir uma usina nuclear e altíssimo, então por hora temos que nós contentar com as renováveis (Solar e Eólica ).

    • Na Europa estão abolindo por causa dos ecochatos, na França 75% da energia consumida provém de suas 19 usinas nucleares, você acha mesmo que placas solares e turbinas eólicas vão ter a mesma capacidade que as 19 usinas nucleares francesas e com custo inferior? Isso é delírio meu chapa, duvido muito que isso vá adiante, ainda mais agora com os avanços da fusão nuclear, método muito mais seguro e barato que a fissão. Angra I e II não foram para frente por causa da falta de verba e da pretensão que os milicos tinham em construir armas nucleares. Chamar um ou outro incidente de desastre é brincadeira, desastre mesmo só foi Chernobyl (URSS=comunismo, imagine o estado de conservação daqueles reatores) e Fukushima, este último só ocorreu pela fatalidade do maremoto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome