Enfrentamento ao Trabalho Infantil nas feiras livres de Petrolina é intensificado pela prefeitura

6

O combate ao trabalho infantil nas feiras livres de Petrolina foi intensificado pela prefeitura municipal com a fiscalização realizada por equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDESDH). As abordagens estão sendo feitas em todas as feiras do município por servidores do setor de Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (AEPETI).

“Durante essas abordagens, crianças e adolescentes são identificados e as famílias são orientadas. Além disso, é feito um cadastro para que, posteriormente, seja realizada uma visita. Quando é identificada a necessidade, a equipe encaminha a situação para o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS)”, explica Jorge Assunção, titular da SEDESDH.

Desde outubro, a equipe da AEPETI realizou mais de 97 visitas e foram identificadas 38  crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. O trabalho realizado está seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19 exigidos pelo Ministério da Saúde. Além disso, durante as ações, estão sendo distribuídas máscaras e álcool 70% para crianças e adolescentes encontradas nessa condição.

Trabalho infantil

O trabalho infantil impacta negativamente a vida dos menores e, em muitos casos, colabora para a perpetuação do ciclo de pobreza da família, por afastar as crianças da escola. Além disso, também pode atrapalhar o desenvolvimento infantil, causar danos psicológicos, físicos e ocasionar acidentes de trabalho.

6 COMENTÁRIOS

  1. O que deve ser feito não fazem. Por que não tiram das ruas os viciados em crack e outras drogas? Por que não tiram os moradores de rua das ruas? Agora querem atrapalhar o trabalho de quem quer apenas sobreviver com dignidade. Melhor fazer pequenos trabalho nas feiras do que se prostituírem ou se drogaria. Sejamos sensatos, por favor. Pelo amor de Deus!!!!

  2. vocês deviam tirar os drogados da rua. como por exemplo em frente ao cemitério do centro que ficam usando drogas, bebendo proximo ao restaurante popular, abordando os pedestres que passam pedindo dinheiro e tbm roubando nas proximidades. Quero saber até quando vai ser assim no centro da cidade. Deixem os guri trabalhar. pior tbm são os vagabundos que ficam pedindo dinheiro nos bares da areia branca. ofereci um emprego a um. ele rejeitou, falou que tira em média R$ 100,00 por dia pedindo. então pra quê trabalhar né. Na nossa cidade não há necessidade de pedir.

  3. Não tiram os dependentes da rua porque não querem. Até o centro POP do jardim São Paulo, está fechado a meses…
    Mas…
    PETROLINA e a terra dos impossíveis!
    Vai entender.
    Chamaaaaaa o galeguinho

  4. Preferem esses meninos sem fazer nada, ja que nem aula estão tendo.
    Mas resolver o problema das drogas e do tráfico ninguém quer.
    Trabalhei desde meus 8 anos e isso nunca influenciou no meu dia dia.

Deixe uma resposta para Ricardo Cancelar resposta

Comentar
Seu nome