Em artigo ao Blog, advogado informa que após denúncia de ‘laranjas’ na TV Record, Pilão Arcado “entrou em convulsão”

3

Pilão Arcado, no Norte da Bahia, vive momentos de incerteza após recente denúncia da TV Record acerca da existência de empresas-fantasmas que teriam desviado mais de R$ 20 milhões da prefeitura municipal, com a conivência do prefeito João Porfírio (PSD).  Segundo o advogado Perez Mangueira, a sensação é de que a cidade “entrou em convulsão” diante das consequências geradas pelo escândalo.

Confiram:

Depois da exibição da reportagem “Os ‘laranjas’ do Sertão”, pela TV Record, Pilão Arcado passou a viver momento políticos conturbados. Paira sobre a cidade uma nuvem de apreensão e até de pânico. As piadas e as expressões de angústia do povo nas casas e nas rodas de bares se misturam e todos indagam-se: o que nos trará o futuro?

Como a reportagem apresentou muitas denúncias graves de esquema de desvios de recursos públicos através de empresas que utilizam nomes de empregados-laranjas e empresas fantasmas nos processos licitatórios, com cifras milionárias, tanto o prefeito Joãozinho como os seus secretários, comerciantes, vereadores e servidores envolvidos nas denúncias reagem com ameaças, ferocidade e ira.

João Porfírio (PSD), o prefeito, foi a público dizer que “encaminharia denúncias para apuração”; comerciantes promoveram os laranjas em cargos de chefia, sendo o caso de José Ribeiro Rocha – o entregador que faturou mais de R$ 1 milhão – realmente cômico: deram-lhe vestes novas e o colocaram à porta do mercado União, como se proprietário fosse.

O vereador Thaísio Ribeiro foi ameaçado por Eli Rogério, com queixa-crime registrada; os vereadores Afonso e Rogério sistematicamente procuram a empregada doméstica, cujos dados foram usados em fraude, pressionando-a para mudar versão dos fatos.

Do prefeito Joãozinho se ouviu que iria mandar matar o Dr. Perez Mangueira e Edvaldo Santos. Pilão, ao que parece, entrou em convulsão.

Empresas de repente apareceram na cidade, casos da Pirajá/Ecomax, do Lixo e da Totaliteé, de São Paulo, aquela da irmã de PC Paulo Churisco, o diretor do Cartório e presidente do PTB, instalando-se em pequenos salões.

Os vereadores agora querem o inusitado: promover a cassação não dos envolvidos nas falcatruas conhecidas no Brasil, casos de Luiz Rogério e suas bombas d’água inexistentes, o próprio presidente Afonso do SAAE, com seu contrato-fantasma da gráfica-fantasma de Débora, ou Renilton Mello e seu laranja milionário. Querem a cassação do vereador Thaísio Ribeiro!

Mas qual infração, crime ou quebra afinal cometeu o jovem vereador? O de fazer oposição do lado do advogado Perez Mangueira?

Como é do conhecimento dos munícipes pilãoarcandeses, o valoroso vereador fiscaliza as contas no TCM, vai ao MP, usa as redes sociais e a Tribuna da Câmara cobrar, para se opor ao governo de João.

Por esse motivo, por ser diferente dentre os seus pares, querem casá-lo.

Mas o povo de Pilão Arcado não vai permitir mais essa injustiça. Ainda que seja necessário convocar manifestação com milhares de pessoas para protestar em frente à Câmara e casas dos mal intencionados desse desígnio covarde, estúpido, canhestro e equivocado.

Perez Mangueira/Advogado

3 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta para Jorge Estrela Cancelar resposta

Comentar
Seu nome