Servidores de Petrolina voltam à Câmara e pedem apoio dos vereadores para retomar diálogo com Executivo

O Sindicato dos Servidores Públicos de Petrolina (Sindsemp) voltou hoje à Câmara Municipal para solicitar a intermediação dos vereadores para que o Poder Executivo volte a dialogar com a categoria. Na última reunião entre a entidade e os representantes do governo municipal, ocorrida no último dia 26 de abril, ainda ficaram 25% do funcionalismo sem reajuste. O acordo seria que a administração enviaria uma proposta. Entretanto, até o momento nada foi encaminhado aos representantes dos servidores.

Conforme o presidente do Sindsemp, a resposta que eles tem é que só em julho que o governo deverá retornar com as conversações sobre as pendências de reajuste do funcionalismo. “Só que a data base dos servidores é 1º de janeiro e julho já é segundo semestre, o que a categoria não pretende aceitar, por isso viemos buscar esse apoio dos vereadores”, destacou Walber, frisando que várias categorias não tiveram reajuste nenhum.

“Nem o repasse da inflação, tiveram. O acordo é que a prefeitura enviaria uma proposta para nossa apreciação. Estão nesta lista servidores da saúde, auditores, várias categorias específicas”, explicou Lins. O presidente frisou ainda que a categoria esta paralisada durante 24 horas nesta terça-feira, 16, sendo resguardadas somente as funções essenciais. (Foto: Ascom)

Sindsemp realizará assembleia extraordinária nesta sexta para categorias de leis específicas

O Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) realizará uma Assembleia Extraordinária Setorial nesta sexta-feira (5), às 8h, para as categorias de leis específicas. A reunião acontecerá no auditório do Hotel Grande Rio, Centro da cidade.

A pauta da assembleia vai girar sobretudo em relação à campanha salarial deste ano.

Com mediação da Câmara, servidores e Prefeitura de Petrolina fecham acordo e projeto de reajuste é aprovado na Casa

Depois de vários dias de impasse entre os servidores públicos de Petrolina e o Governo Miguel Coelho (PSB), um acordo foi firmado sobre 0 reajuste salarial do funcionalismo público que teve grande parte da categoria contemplada com a reposição da inflação, que ficou em 6,29% em 2016. A Câmara inclusive colocou em pauta nesta quinta-feira, 20, o projeto de lei que concede o reajuste dentro do percentual de perdas da inflação. A matéria foi aprovada por 17 votos. O reajuste é retroativo ao mês de janeiro, data base da categoria.

Sem muitas discussões, até porque o acordo entre a categoria representada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Petrolina (Sindsemp) com a administração municipal tinha sido construído com a intermediação do Poder Legislativo Municipal, o texto deixou de fora as categorias específicas que estão há mais tempo sem aumento e que possuem leis próprias. Neste caso, o sindicato e o Poder Executivo sentarão novamente à mesa de negociações no dia 26, às 17h, para buscar um percentual de reajuste.

“Restabelecemos o piso no nível elementar com o salário minimo sendo o menor salário a ser pago ao um servidor do município; tivemos de volta a gratificação de difícil acesso para os secretários escolares, mas ainda pesam as categorias que estão sem reajuste há bastantes tempo e que estão sobre legislação específicas. São 115 efetivos e 120 contratados, e não é um numero grande. Por isso temos perspectivas de avançar nessa discussão dia 26″, contou o presidente do Sindsemp, Walber Lins.

O sindicalista agradeceu à Casa Plínio Amorim, que fez a mediação do processo de negociação junto ao Executivo. “Também agradecemos ao servidor, que participou ativamente para a construção dessa conquista”, frisou Lins. Walber reforça a importância do diálogo para construir o acordo e esperar novamente que ocorra na mesa de negociação, no dia 26. “Essa mesa irá contemplar os que não entraram, e que somam 25% do funcionalismo com a reposição inflacionária que será feita com efeito retroativo”, assinalou o presidente do Sindsemp.

Projeto que reajusta salários dos servidores de Petrolina pode ser votado nesta quinta na Casa Plínio Amorim

O projeto de lei do Executivo Municipal referente ao reajuste salarial dos servidores de Petrolina está previsto para ser votado na Casa Plínio Amorim na sessão plenária desta quinta-feira (20), que começa a partir das 9h.

A proposta foi fruto de um recente acordo entre o prefeito Miguel Coelho e diretores do Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp), que ameaçavam uma greve geral da categoria.

Essa, aliás, é a única matéria que consta na pauta dos vereadores. Para o projeto ser aprovado, basta maioria simples da Casa – o que deve acontecer sem maiores problemas.

Sindsemp decide suspender greve dos servidores de Petrolina até posicionamento final do Executivo

Uma assembleia geral extraordinária realizada na manhã desta terça-feira (11) pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) no Hotel Grande Rio, deliberou pela suspensão da greve da categoria. Com reunião agendada para a tarde de ontem (10), a decisão foi de repassar aos servidores, na assembleia, o que ficou decidido com a administração quanto às categorias não contempladas na proposta apresentada pelo Governo Miguel Coelho.

Diante do interesse de todos em manter a mesa de negociação aberta, foram oficializados pelo Executivo avanços em relação à campanha salarial – a exemplo do abono das faltas, registradas formalmente, dos servidores que aderiram ao movimento grevista; o encaminhamento à Câmara de Vereadores do Projeto de Lei que beneficia os 75% dos servidores contemplados na proposta anterior para aprovação; além da continuidade da negociação, com reunião já agendada para o próximo dia 26 de abril, a qual seria apenas em julho, quando será apresentada a nova proposta para as categorias que ainda aguardam o reajuste.

Acreditando que haja uma definição até esse prazo, o Sindsemp aguarda um posicionamento da atual gestão municipal, uma vez que foram passados todos os dados e impactos financeiros causados com o cumprimento dos pontos da campanha salarial.

Na plenária foram lembradas situações de assédio sofridas por alguns servidores, o que levou à sugestão e aprovação da criação do Comitê Anti-Assédio Moral. O objetivo é trazer mais segurança ao servidor em seu local de trabalho, levando em conta todo apoio e assistência do Departamento Jurídico e da Diretoria do Sindsemp. O movimento grevista aguarda a negociação e resultado da reunião do dia 26. A entidade aproveita para convocar a categoria a participar da Parada Nacional contra as Reformas Trabalhistas e da Previdência, no dia 28 deste mês. (foto: Ascom/divulgação)

Servidores de Petrolina decidem suspender greve após Miguel Coelho pedir prazo para avaliar reajuste

Os servidores municipais de Petrolina decidiram agora há pouco, em assembleia realizada na Casa Plínio Amorim, suspender o movimento grevista até segunda-feira, 10.

O prefeito Miguel Coelho solicitou esse prazo ao sindicato que responde pela categoria – o Sindsemp – para apresentar uma proposta de melhoria salarial até a data em questão.

Na luta por reajuste salarial, Sindsemp ocupa prefeitura e consegue garantias de Miguel Coelho

Na luta por reajuste salarial da categoria, o Sindicato dos Servidores Municipal de Petrolina (Sindsemp) ocupou o prédio da prefeitura na manhã desta segunda-feira (3). Centenas de servidores participaram da manifestação.

A entidade já havia informado aos participantes presentes ao ato público que não houve nenhum avanço em relação ao que já é de conhecimento de todos, o que os levou a deliberar pela ocupação da prefeitura

Ao ser informado de que o desejo dos servidores era de que os seus líderes fossem recebidos, o prefeito Miguel Coelho, através do procurador geral do município, determinou que apenas dois representantes do Sindsemp fossem atendidos. O presidente Walber Lins e o diretor de política sindical, Edson Santos, foram recebidos pelo prefeito e pela secretária de Finanças, Lucivane Lima. Também participaram da reunião a secretária de Gestão Administrativa, Luiza Leão, e o procurador geral do município, Diniz Eduardo.

Depois de um debate das proposições elencadas na campanha salarial 2017 dos servidores, Miguel Coelho propôs ao sindicato, para a manhã desta terça (4), a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta para discutir as proposições quanto às categorias não contempladas na proposta.

Proposta

Representantes do sindicato convocaram os servidores para comparecerem à sessão desta terça, na Câmara de Vereadores, quando será discutida a proposta encaminhada pelo gestor. As informações são da assessoria do Sindsemp. (foto/divulgação)

Presidente do Sindsemp não recebe notificação oficial e servidores de Petrolina mantém greve

A decisão do desembargador, Frederico Neves, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), de suspender a greve dos servidores públicos de Petrolina, não chegou a atingir o movimento grevista. Conforme o presidente do Sindsemp, Walber Lins, não chegou nenhuma comunicação oficial ao sindicato e por isso, a greve está mantida.

O dirigente também informou que uma nova assembleia será realizada nesta sexta-feira, 24, a partir das 9h, na sede do Sindsemp, para avaliação do movimento.

A decisão do desembargador sobre a suspensão da greve dos servidores municipais de Petrolina foi conhecida no final da tarde desta quarta-feira, 22. No despacho o desembargador colocou como penalidade pelo não retorno ao trabalho, multa diária de R$ 20 mil ao sindicato.

Justiça determina suspensão da greve dos servidores municipais de Petrolina

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) determinou a suspensão da greve dos servidores municipais de Petrolina, deflagrada na última terça-feira (21). Com a decisão do desembargador Frederico Neves, os servidores ficam obrigados a voltarem imediatamente ao trabalho sob pena de multa diária de R$ 20 mil ao sindicato.

Segundo Neves, o movimento foi deflagrado antes de encerradas todas as negociações entre prefeitura e Sindsemp (Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina). “Sustenta também a ocorrência de desobediência à Lei 7.783/1989, em especial às regras inscritas nos seus arts. 11 e 13, sob o argumento de que o movimento paredista foi deflagrado antes mesmo de iniciadas as negociações com as mais diversas categorias, não tendo sido esgotadas as possibilidades de acerto entre as partes, e permitida a análise do pleito pela Prefeitura de Petrolina”, destaca a decisão.

Outro aspecto observado pelo desembargador foi a indisponibilidade dos serviços essenciais à coletividade, como nas áreas de saúde, assistência social e educação. “Nos serviços ou atividades essenciais, os sindicatos, os empregadores e os trabalhadores ficam obrigados, de comum acordo, a garantir, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, exigência inobservada, e sequer referida, na documentação oficial do Sindicato”, justifica. (foto/arquivo divulgação)

Em greve, servidores municipais de Petrolina lotam Casa Plínio Amorim

Os servidores municipais de Petrolina lotam, neste momento, a Casa Plínio Amorim para solicitar apoio dos vereadores à pauta de reivindicações da categoria, que entrou em greve nesta terça-feira (21).

Eles voltaram a dizer que apenas algumas categorias foram contempladas com o reajuste salarial, mas querem que todas os servidores ganhem. Mais detalhes pelas próximas horas.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br