Codevasf e Mapa vão ampliar apoio à produção em projetos irrigados do sertão pernambucano

Cerca de 3 mil famílias de produtores dos projetos públicos de irrigação do Sistema Itaparica em Pernambuco serão beneficiadas com apoio à produção, numa parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A ação envolve recursos da ordem de R$ 3 milhões. A primeira fase está sendo cumprida nesta semana com a apresentação do diagnóstico durante a visita das duas instituições aos projetos Fulgêncio, Brígida, Manga de Baixo, Icó-Mandantes, Apolônio Sales e Barreiras.

A partir da elaboração do diagnóstico situacional, serão realizados levantamentos das estruturas socioprodutivas dos perímetros o que envolve, também, capacitações de produtores, visando à autogestão; implementação das técnicas voltadas às principais culturas exploradas nos projetos; manejo de solo e água e manejo de métodos mais eficientes de irrigação parcelar; e incentivo à adesão por esses métodos.

“Com a realização do diagnóstico, vamos montar o plano de trabalho para dar início as capacitações. O objetivo geral dos serviços é capacitar os produtores e suas organizações para o planejamento da produção e gerenciamento do lote, além de conscientizá-los e orientá-los para a aplicação dos princípios de boas práticas agrícolas. Além disso, possibilita a apropriação de tecnologias que permitam aumento da produtividade, agregação de valor à produção e competitividade”, explica a gerente de Apoio à Produção da Codevasf, Andrea Rachel Sousa, que está acompanhada do superintendente regional da 3ª Superintendência Regional, em Petrolina (PE), Aurivalter Cordeiro.

Para o produtor Osvaldo Xavier, do projeto de irrigação Barreiras, os serviços de apoio à produção são fundamentais. “Eu acho muito importante. Antes, quando tínhamos essa assistência, o projeto estava avançando bastante, no que diz respeito a produção, comercialização e acesso ao crédito”, afirma.

“Nós temos informações agora que podemos, junto com a Codevasf, trabalharmos o futuro desse apoio à produção, consolidar esse programa que vem para apoiar na organização dos produtores. Hoje, demos o pontapé inicial desse nova assistência técnica”, diz Mychel Ferraz, coordenador-geral de produção sustentável do Mapa.

Dessa etapa de diagnóstico participam produtores, lideranças locais, representantes da Prefeitura de Petrolândia (PE) e do Mapa, além da equipe contratada para apoio à produção. Da Codevasf, também acompanham os trabalhos o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da 3ª Superintendência Regional, José Costa Barros; o chefe da Unidade Regional de Apoio à Produção, Marcelo Ramos; e o analista em Desenvolvimento Regional Márcio Ferreira

Sistema Itaparica

O Sistema Itaparica é um conjunto de dez projetos de irrigação situados na fronteira do Submédio São Francisco, entre Pernambuco e Bahia. Foi criado pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) no final da década de 1980, para compensar famílias que viviam na área rural onde se formou o lago da usina hidrelétrica de Luiz Gonzaga. Ele é voltado à agricultura familiar.

Até 2014, os projetos do complexo Itaparica eram administrados por meio de parceria entre a Codevasf e a Chesf. Com o fim do convênio, as áreas irrigadas localizadas nos municípios pernambucanos de Petrolândia, Floresta e Itacuruba passaram a ser administradas pela 3ª Superintendência Regional da Codevasf, em Petrolina, com o apoio da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, em Brasília. (Foto: Ascom Codevasf)

Mais de dois mil produtores de áreas irrigadas no Vale do São Francisco têm dívidas renegociadas por Ministério e Codevasf

As novas regras operacionais para que produtores rurais de projetos públicos irrigados sob gestão da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) renegociem suas dívidas foram fixadas nesta segunda-feira (13), pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, durante uma agenda de trabalho em Petrolina, da qual também participou a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino.

Os débitos contemplados na portaria assinada em Petrolina pelo ministro são relativos a vendas de lotes para titulação e uso de infraestrutura de irrigação, conhecidas como K1. A medida beneficia cerca de 12 mil agricultores atingidos pela seca prolongada em regiões do semiárido, sendo mais de 10 mil produtores em projetos irrigados da Codevasf. O documento regulamenta o artigo 13 da Lei 13.340, de 28 de setembro de 2016.

“Hoje damos mais um passo para garantir a adimplência do produtor rural, para que ele possa ter preservado aquilo que é mais valioso, que é ter seu nome limpo e, dessa forma, possa continuar trabalhando com afinco para fazer o Nordeste e o Brasil crescerem”, destacou o ministro Helder Barbalho.

“É com orgulho que estamos aqui divulgando essa boa notícia para os mais de 2,3 mil produtores que serão beneficiados pela ação nos perímetros irrigados geridos pela Codevasf em Petrolina”, afirmou a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, durante visita ao Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho. “A partir da próxima quinta-feira (16), todos os irrigantes já podem comparecer às superintendências regionais para fazer os cálculos dos seus débitos e, assim, poderem voltar a investir em suas lavouras”, completou Kênia.

Renegociação

A renegociação é válida para parcelas de dívidas vencidas entre 31 de dezembro de 2006 e 31 de dezembro de 2011. Os pagamentos poderão ser quitados até 29 de dezembro de 2017 e os descontos variam de 15% a 95%, considerando o período do débito. “É uma vitória para todos os produtores familiares do projeto porque agora terão mais tempo para renegociar e quitar seus débitos. É uma alegria enorme”, comemorou Cassiano Souza, produtor de uva e manga no N-11 do Nilo Coelho. (Foto: Ascom Codevasf e MIN)

Gestores de Juazeiro e Petrolina irão a Brasília pedir agilidade em instalação de flutuantes

reunião juazeiro-petrolinaMais uma reunião para tratar sobre a crise hídrica e a instalação dos flutuantes no Lago de Sobradinho, norte da Bahia, foi realizada ontem (6) em Juazeiro. Participaram do encontro o prefeito Isaac Carvalho, produtores dos perímetros irrigados de Juazeiro e de Petrolina, além do superintendente da Codevasf em Juazeiro, Alaor Granjeon, e do representante do prefeito de Petrolina, o secretário Geraldo Junior.

Durante o encontro ficou definido que é preciso promover uma mobilização política e social entre os dois municípios. Para pedir mais agilidade nas ações do governo federal em relação à instalação dos equipamentos no reservatório, os governos municipais agora buscarão reuniões em Brasília para tratar sobre a gestão das barragens, mais especificamente sobre a vazão em Três Marias e Sobradinho, além de pleitear a publicação do Edital para obtenção de recurso para a construção dos flutuantes.

Também esta semana aconteceu em Petrolina uma reunião da Câmara de Fruticultura, na qual foi debatida o atraso na publicação do edital. Durante o evento, Osnan Soares, representante da Codevasf em Petrolina, disse que o edital sofreu novas alterações. “Construímos o documento para pregão eletrônico de toda a obra, principalmente devido à urgência da situação. Mas devido à parte de engenharia civil a Central de Licitações da Codevasf em Brasília entendeu que seria necessário realizar uma concorrência nesta parte e para a compra de tubulações e flutuantes, manteremos o pregão. Pela nossa experiência, devemos ter a publicação de ambos os editais em até uma semana, mas não temos um prazo certo“, disse.

Recursos

Os recursos para esta obra e outras ações voltadas ao abastecimento d’água em quatro estados nordestinos – Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia já foram garantidas desde 27 de junho, quando o Ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, assinou um repasse da ordem de R$ 38,3 milhões para Codevasf. Desse montante, Pernambuco ficará com R$ 28,75 milhões, dos quais cerca de R$ 26 milhões serão destinados à instalação de flutuantes no lago. No entanto, de acordo com o delegado e representante do Sindicato Patronal Rural de Petrolina, Walter Rocha, seriam necessários R$ 39 milhões em investimentos só para o perímetro irrigado de Petrolina.(foto/divulgação)

Em reunião com Raul Henry, Dr. Pérsio sai em defesa do Ensino Superior e dos projetos irrigados de Petrolina

pérsio e raul henryNa semana passada, no Recife, o vereador Dr. Pérsio Antunes (PMDB) esteve reunido com o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry (PMDB), e cobrou do governo um olhar diferente para o povo de Petrolina. No quesito Educação, Pérsio se mostrou solidário aos estudantes da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina (Facape).

Com relação à Univasf, o vereador, como já havia provocado o reitor da instituição, Julianeli Tolentino, ao dizer que os estudantes da região deveriam ter um bônus de 10% da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), também pediu a Raul Henry que interceda, pois a Univasf recebe muito estudantes de fora e os da região do Vale do São Francisco perdem vagas, o que para ele não é justo.

Já em relação à Facape, Pérsio pediu para que o governo do estado estimule o Programa de Bolsa de estudo através do Programa Universidade para todos em Pernambuco (Proupe) e também reduzir o valor da mensalidade em todos os cursos da instituição.

Dr. Pérsio solicitou, ainda, a intervenção de Raul Henry para que seja solucionada com urgência a problemática da água dos Projetos Irrigados de Petrolina, de forma a reduzir a incidência de doenças transmitidas através do líquido. (foto/divulgação)

Com baixo nível do Lago de Sobradinho, produtores de Juazeiro temem demissões nos projetos irrigados

reunião prefeitura juazeiroA crise hídrica que assola o país também tira o sono do Vale do São Francisco. Ontem (11), em Petrolina e Juazeiro, foram realizadas reuniões para discutir o problema e procurar soluções que aliviem os pequenos, médios e grandes produtores da região.

Em Juazeiro, participaram do evento, ocorrido no gabinete do prefeito Isaac carvalho, o superintendente da 6ª Regional da Codevasf, Alaor Grangeon, representantes dos distritos e projetos de irrigação da cidade (Maniçoba, Curaçá, Tourão, Mandacaru e Salitre), produtores, vereadores e secretários municipais.

Os produtores da região estão apreensivos e temem que o baixo nível do Lago de Sobradinho, que está com apenas 17% de sua capacidade, afete a produção e ocasione a dispensa de funcionários e até gere demissões futuras. Vale ressaltar que o Vale do São Francisco produz anualmente mais de um milhão de toneladas de frutas, gerando 240 mil empregos diretos no campo em 120 mil hectares irrigados.

O prefeito Isaac endossou a preocupação dos produtores e de imediato manifestou interesse em contribuir em todo o processo. “De imediato já entrei em contato com o presidente da Codevasf, Elmo Vaz, para que ele agende uma reunião aqui no Vale onde participarão todos os produtores, prefeitos, deputados da Bahia e de Pernambuco, além dos superintendentes da Codevasf. A ideia é entregar um documento com todas as propostas e formarmos uma grande e fortalecida frente para chegarmos ao Ministro da Integração Nacional”, informou. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br