Professor Gilmar enaltece Lula enquanto Ronaldo Silva deixa plenário

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recentemente foi alvo de uma dura troca de farpas entre os vereadores Cristina Costa (PT) e Ronaldo Silva (PSDB), voltou a ser mencionado na Casa Plínio Amorim. Só que desta vez quem exaltou Lula foi o companheiro de bancada de Cristina, Professor Gilmar Santos (PT).

Em seu discurso, o vereador destacou não apenas a contribuição do ex-presidente ao País, como chegou a dizer que Lula é “o líder político mais importante da América Latina”. Se foi ou não para evitar um novo embate, o fato é que Ronaldo Silva preferiu não ficar para ver o discurso e se retirou do plenário. (Foto/arquivo Blog)

Beijo gay apresentado em reportagem de TV vira polêmica na Casa Plínio Amorim

Um beijo romântico entre dois homens, exibido ontem (12) pela TV Grande Rio, numa reportagem alusiva ao Dia dos Namorados, deu o que falar na Casa Plínio Amorim. Indignado, o vereador Elias Jardim (PHS) – um dos que integram a bancada evangélica – protagonizou a polêmica durante a sessão plenária na manhã desta terça (13). (mais…)

Brasileiros saem às ruas para pedir saída de Temer e ‘Diretas Já’; Em Petrolina, vereador incentiva população a fazer o mesmo

Milhares de brasileiros saíram às ruas no dia de ontem (18) para pedir a saída do presidente da República, Michel Temer (PMDB), após as graves denúncias feitas pelo dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, o qual revelou uma escuta telefônica de Temer. No áudio divulgado pela Polícia Federal (PF), o peemedebista incentiva Batista a ‘comprar o silêncio’ do ex-deputado Eduardo Cunha, por meio de pagamentos mensais. Na Casa Plínio Amorim, o assunto também rendeu.

Integrante da bancada do PT no Legislativo de Petrolina, o vereador Professor Gilmar Santos incentivou a população a se manifestar mais uma vez contra o atual governo, se mobilizando pelas ruas da cidade. (Foto/reprodução)

Vereador cobra instalação de reservatório na AME do Ouro Preto; prefeitura já resolveu problema

É fruto de uma indicação do vereador Professor Gilmar Santos (PT), da bancada de oposição, a cobrança para que a Prefeitura de Petrolina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, instale uma caixa d’água destinada à AME do bairro Ouro Preto, zona oeste. O serviço se faz necessário para que o equipamento possa funcionar adequadamente.

Segundo Professor Gilmar, a unidade atende também a população de bairros como Jardim Maravilha e Vale do Grande Rio, mas não está atendendo porque falta o reservatório – que, conforme população local, aguarda desde janeiro.

“Recebemos algumas reclamações de pacientes da região. Todos nos informaram que estavam sem o os atendimentos da unidade, simplesmente porque o espaço necessita apenas que alguém faça essa instalação. Por isso encaminhamos essa demanda à secretária Magnilde Albuquerque”, comentou.

A falta d’água, apurou o vereador em relatos da comunidade, inviabiliza o funcionamento de 10 consultórios instalados na AME do bairro, que oferecem serviços odontológicos e exames preventivos ginecológicos, serviços que deixaram de ser oferecidos aguardando a colocação da caixa d´água. Em contato com a assessoria de comunicação da secretaria municipal de Saúde, o Blog foi informado que o problema foi resolvido nesta manhã de quarta-feira, 19. O órgão informou ainda que apenas os serviços odontológicos não estavam sendo feitos.

Projeto que sugere leitura da Bíblia em escolas de Petrolina continua rendendo polêmica

O projeto do vereador Elias Jardim (PP), aprovado na sessão da Câmara Municipal de Petrolina da última terça-feira (28) e que sugere a leitura da Bíblia em escolas do município, vem desde então gerando polêmica, debates e dúvidas entre os que defendem o estado laico como reza a Constituição Federal e o que avaliam que o PL não é inconstitucional, por apenas sugerir a leitura bíblica, não obrigar.

Por defenderem a questão constitucional, os vereadores do PT, Professor Gilmar Santos e Cristina Costa, se abstiveram da votação, e vêm sendo criticados e na Câmara, especialmente os que formam a bancada evangélica na Casa Plínio Amorim, como os vereadores Pastor Alex de Jesus (PSL), Osinaldo Souza (PTB) e Ruy Wandeley (PEN) que subscreveram a proposta de Jardim, não têm poupado os colegas petistas. (mais…)

Vereador Professor Gilmar Santos lança plenária popular ‘Coletivo na Rua’

Como parte do Mandato Coletivo, como denomina sua atuação na Câmara de Petrolina, o vereador professor Gilmar Santos (PT) promoveu no sábado, 18, a I Plenária Popular “Coletivo Na Rua”. A ação reuniu lideranças comunitárias e moradores engajados na luta por melhoria na qualidade de vida da população dos bairros Terra do Sul, Mandacaru, Santa Luzia, São Jorge, José e Maria e comunidades adjacentes.

O encontro aconteceu em frente à Igreja do bairro, ao lado de um terreno em que a comunidade sonha que sejam construídas uma quadra poliesportiva e uma escola pública. Atualmente, o terreno é objeto de disputa com a paróquia do bairro, que já usufrui de uma parte significativa da área, conforme os moradores.

O local foi escolhido  simbolicamente por se tratar de um espaço que congrega a luta e o sonho de lideranças comunitárias para a melhoria do bairro. Os depoimentos dos mais de 50 presentes expressavam, por um lado, a surpresa em ver um político indo à comunidade depois das eleições para ouvir e debater com o povo, e por outro lado, muita disposição das lideranças e dos comunitários em participar das discussões sobre políticas públicas de modo mais amplo, planejado e sistemático.

O morador do Santa Luzia, Francisco Luiz citou a importância de se ter maior participação popular no desenvolvimento e efetivação do Plano Diretor da cidade. Já Pedro Japão, presidente da Associação dos Moradores do Bairro Mandacaru, sugeriu que seria importante haver uma sessão da Câmara na comunidade.

“As sugestões serão encaminhadas aos colegas na Câmara de Vereadores a fim de garantir, de modo cada vez mais profundo, o diálogo entre o legislativo com o povo e por sua vez, que o resultado desse diálogo possa ser ouvido e atendido pelo o prefeito Miguel Coelho”, assegurou Gilmar. Conforme o petista, ele chegou ao Legislativo Municipal para diminuir o caminho entre as comunidades, suas demandas e assim, através do mandado, colocar em prática essas reivindicações.

“São muitas as demandas naquela região e acredito que em muitas partes de nossa cidade. Vamos levantar essas reivindicações e encaminhar também através de indicações para as secretarias e demais órgãos envolvidos. Depois iremos cobrar a execução, com a fiscalização que temos que fazer como representante de um mandato coletivo na Câmara”, disse o Professor Gilmar.

Menos mimimi e mais trabalho

Publicada por este Blog na última segunda-feira (20), a matéria intitulada “Bancada de situação na Casa Plínio Amorim leva ‘bola nas costas’ e vota contra o governo sem perceber” ganhou repercussão na Câmara de Petrolina e o vereador Gilmar Santos (PT), na última sessão ordinária da Casa, classificou a postagem como sendo uma “violência à postura de todos os vereadores. Um acinte”. Como o vereador usou a tribuna da Câmara para comentar, deixei para publicar minha resposta hoje (23).

A matéria, em nenhum momento, diz que é certo ou errado como os vereadores votaram. Nós achamos mesmo e defendemos muito, aqui, que a Câmara não pode ser a filial da prefeitura. Deve ser, efetivamente, um Poder fiscalizador. Defendemos, ainda, todas as “cartas na mesa”, todos os atos abertos e todas as ações cristalinas –  mister de um serviço público honrado e de um Legislativo atuante. E, de fato, acreditamos que muitos vereadores vivem pedindo emprego a prefeito e negociando alianças por todo o país – vereadores de todos os partidos –  inclusive o partido do vereador que contesta nossa matéria.

A nota do Blog se baseou no voto unânime, sem, sequer, os vereadores saberem no que votavam. Este Blog não defendeu qualquer voto que vá de encontro aos princípios éticos e morais. Mas o professor Gilmar, de quem se esperava uma postura madura, um mandato diferente, inteligente e inovador, já provou que é mais um, quando parte para a espetacularização, o proselitismo,  afastando-se do debate sério e inteligente que se esperava dele.

O próprio partido do professore Gilmar está no centro dos escândalos de corrupção deste país, sendo acusado de um sem fim de atos nada republicanos. O estranho é não se ter visto ou ouvido desse “cristão novo” do Legislativo qualquer palavra de censura ou desculpa pelos atos absurdos até aqui provados e comprovados que já levou muitos “companheiros” do partido dele para a cadeia. Estaríamos confrontando mais um daqueles que pregam “nós somos os certinhos e todos os outros são a elite burguesa e desonesta”?

Talvez, o professor esteja acostumado a uma plateia que o ouvia  sem o poder de argumentar ou o discernimento de questionar sua fala e suas atitudes. Ou espera encontrar aqui uma imprensa que trabalhe em “manada” e desprovida das condições para o debate a altura.

Da próxima vez que o vereador desejar fazer media com os colegas, poderia encontrar um tema mais consistente, amparado em bases mais robustas e honestas. No mais, é afirmar que estaremos aqui, noticiando e opinando, como rege o nosso editorial, sem compromisso de agradar político de nenhuma esfera.

Nosso compromisso não é com nenhum grupo político ou com vereador que faz “beicinho” e “mimimi”. Temos compromisso apenas com a nossa enorme legião de leitores que abrem o nosso Blog todos os dias e esperam um jornalismo tão verdadeiro quanto contundente. É isso aí. (foto/reprodução CMP)

Aborrecido por decisão da Mesa Diretora de encerrar sessão após acusações de Ronaldo a PT, Gilmar cutuca: “É no mínimo covardia não querer dialogar”

A polêmica decisão da Mesa Diretora da Casa Plínio Amorim, que deu por encerrada a sessão plenária desta quinta-feira (16), no momento em que a representante do PT, Cristina Costa, preparava-se para rebater as acusações de “partido corrupto” proferidas pelo seu colega Ronaldo Silva (PSDB), também não foi bem digerida pelo companheiro de legenda de Cristina, Professor Gilmar Santos.

É no mínimo covardia não querer dialogar ou debater. Isso aqui é um espaço público”, desabafou.

Integrantes da oposição na Casa Plínio Amorim garantem que CPI do Nova Semente não passou por eles

O polêmico pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Casa Plínio amorim, proposto pelo vereador Ronaldo Cancão (PTB) para investigar supostas irregularidades na condução do Programa Nova Semente em Petrolina, gerou controvérsia na primeira sessão plenária do ano, realizada na manhã desta quinta-feira (2). Dois dos integrantes da oposição, Professor Gilmar Santos (PT) e o líder da bancada Paulo Valgueiro (PMDB), garantem que o documento sobre o assunto não passou por eles.

De acordo com o Professor Gilmar, a oposição sequer foi convidada para esse debate. “Fomos surpreendidos pela bancada governista”, declarou o petista. Gilmar deixou claro, contudo, que nem ele nem seus colegas de bancada terão dificuldades em respaldar a CPI, desde que as suspeitas de irregularidades sejam confirmadas.

O vereador disse que a dúvida é saber se a proposta é de qualificar ou inviabilizar o Nova Semente, diante das medidas tomadas recentemente pelo prefeito Miguel Coelho (PSB). “Já temos um prejuízo com a demissão de sementeiras, com as crianças que vão ficar sem acompanhamento, e de repente você tem uma CPI sendo apresentada no ‘calor’, sem uma análise mais crítica”, alfinetou.

Paulo Valgueiro foi mais além. Segundo o vereador, os governistas “tentam mudar o foco” ao falar em CPI porque estão vendo a repercussão negativa junto aos petrolinenses do novo modelo de Nova Semente apresentado pela atual gestão.

“Cabide de empregos”

Valgueiro rebateu os comentários de que o programa idealizado pelo ex-prefeito Julio Lossio (PMDB), seu aliado, seja um cabide de empregos”. Aliados de Miguel, e o próprio prefeito, justificam que o antecessor inaugurou unidades do Nova Semente no apagar das luzes, sem haver necessidade. Valgueiro justifica que o programa é exitoso justamente porque arregimentou mão de obra para cuidar das crianças, melhorando indicadores educacionais (Ideb) e sociais em Petrolina. Valgueiro disse que o papel de investigar o programa não é só do Ministério Público ou da Polícia Judiciária, é também do Legislativo. “Mas é preciso ver se realmente há algo errado com o Nova Semente”, ponderou.

O aumento de salários e a falta de coerência

Embora o ano esteja apenas começando, as sessões da Câmara de Vereadores de Petrolina, mesmo que extraordinárias, já registram embates duros. A legislatura é nova, mas a acidez nos remete a um passado muito próximo.

Na oposição os vereadores Paulo Valgueiro (PMDB), Cristina Costa e professor Gilmar (ambos PT) já deram o tom: vão marcar em cima. E eles estão certíssimos.

Foram eleitos pela oposição e precisam mesmo fiscalizar o governo e as ações do prefeito Miguel Coelho (PSB). Aliás, fiscalizar e elaborar leis é papel de todo legislador, mas é preciso responsabilidade e coerência.

Cristina Costa e Paulo Valgueiro criticaram duramente o aumento dos salários do prefeito e dos secretários. A própria Cristina enviou nota pública dizendo que não concordou e nem votou no aumento dos salários dos vereadores.

Mas não se viu uma linha dos dois vereadores abrindo mão do próprio salário. Sim, mesmo quem não votou no aumento pode, sim, abrir mão desse ajuste. Espera-se do legislador e de toda autoridade política fiscalização, crítica, oposição ou qualquer item inerente a sua natureza política, mas se espera também que pratique o que cobra: coerência. De outra forma é apenas falácia, discurso e proselitismo político. Apenas isso.

Vozes isoladas, vereadores da oposição justificam voto contrário a reforma administrativa de Miguel Coelho

Vozes isoladas na segunda votação da reforma administrativa enviada pelo prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, a qual foi aprovada por ampla maioria na sessão extraordinária da última quinta-feira (19), os vereadores Cristina Costa e Professor Gilmar Santos (ambos do PT), além de Paulo Valgueiro (PMDB), reforçaram o porquê de terem votado contra os sete projetos de lei do Executivo.

Numa nota à imprensa assinada pelos três, os vereadores justificam, em linhas gerais, que o discurso do prefeito quanto a diminuir os gastos públicos vai de encontro ao que ele fez, na prática.

Confiram a íntegra da nota:

Em atenção à sociedade petrolinense, a Vereadora Cristina Costa (PT) e os Vereadores Gilmar Santos (PT) e Paulo Valgueiro (PMDB) apresentam a síntese dos motivos que os levaram a votar contrariamente aos sete Projetos de Lei de autoria do Poder Executivo, apreciados na Sessão Extraordinária ocorrida nesta quinta-feira, 19 de janeiro.

Acerca do PL 002/2017, que dispõe sobre a organização básica da administração direta, cabe ressaltar uma melhora significativa em seu teor e redação, quando comparado ao PL 001/2017, que deu início à Reforma Administrativa. Todavia, este segundo projeto também possui inconsistências que poderão acarretar males futuros à Administração Municipal.

O Projeto de Lei mencionado, nos termos de seu próprio artigo 4º, alíneas “a” e “b”, diz que o modelo de gestão adotado buscará ter “seu desempenho administrativo, financeiro e institucional avaliados permanentemente” a partir das diretrizes da “economicidade dos recursos” e da “racionalização dos custos”, mas não é isso o que se observa no conjunto do Projeto. Embora tenha extinguido vários cargos, dando a impressão equivocada de redução de gastos, o Executivo criou muitos outros, fato que irá impactar de sobremaneira a folha de pagamento municipal.

Faltou ao projeto em questão, clareza na distribuição dos cargos que irão fazer parte de cada órgão. O Poder Executivo cria as Assessorias Técnicas e não discrimina se será assessoria técnica I, II ou III. Da mesma forma, cria as Secretarias Executivas estipulando apenas o seu número total, sem discriminar quantas serão criadas em cada secretaria da estrutura municipal.

O PL não apresenta inovações na busca da valorização da carreira dos servidores. Inversamente a isso, supervaloriza cargos comissionados do primeiro escalão do Governo, em detrimento de cargos de complexas atribuições, como é o caso do cargo Gestor do Programa Nova Semente, que terá como uma das funções gerir 180 unidades da Nova Semente com a contrapartida de uma representação desvalorizada.

No que se refere à distribuição das competências, algumas delas empobreceram a atuação das Secretarias, a exemplo das competências destinadas à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, que não contemplou no seu rol nenhuma competência em relação ao Meio Ambiente.

Sobre o PL 003/2017, que dispõe sobre a organização básica da agência Municipal do Empreendedor – AGE, reduzem-se drasticamente seus cargos, que a partir da sanção do projeto funcionará apenas com 4 cargos, ato que afetará a efetiva prestação dos serviços nesta agência.

Na oportunidade faz-se importante ressaltar que os Vereadores acima mencionados, que compõem a bancada da oposição na Casa Plínio Amorim, têm feito uma oposição com coerência e responsabilidade e tem total interesse em qualificar o debate, trazer melhorias para a cidade e buscar de forma harmoniosa interagir e contribuir com o Poder Municipal.

Cristina Costa (PT)/Vereadora

Professor Gilmar Santos (PT)/Vereador

Paulo Valgueiro (PMDB)/Vereador

Incidente polêmico entre Manoel da Acosap e Cristina Costa vira discurso de Professor Gilmar e Ronaldo Silva

Os resquícios da recente discussão entre os vereadores Manoel da Acosap (PTB) e Cristina Costa (PT) numa emissora de rádio de Petrolina, que acabaram na Delegacia de Polícia, ainda tiveram desdobramentos na sessão extraordinária de ontem (19) na Casa Plínio Amorim. Os protagonistas, desta vez, foram Professor Gilmar Santos (PT/foto) e Ronaldo Silva (PSDB). Quem reavivou a polêmica foi o petista. Apesar de a sessão extraordinária ter servido apenas para analisar a reforma administrativa enviada pelo Executivo Municipal, Professor Gilmar abriu espaço no seu discurso para mais uma vez se solidarizar com Cristina e repudiar a postura de Manoel.

Ronaldo Silva não gostou e lembrou da atitude do petista no ato de diplomação dos eleitos, em dezembro do ano passado, quando Gilmar deixou de cumprimentar o deputado federal Guilherme Coelho (PSDB), o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e o ministro Fernando Filho. O petista rebateu. Disse que sua manifestação “foi pacífica e dentro de princípios democráticos”.

Após a sessão, os dois voltaram a divergir. Mesmo demonstrando todo o respeito pelo seu colega de Legislativo, Ronaldo Silva disse que Gilmar quer passar a impressão de “paladino da moralidade” ao trazer um episódio já superado – de Cristina e Manoel –, do qual disse que não ia se envolver. Mas o petista, segundo o vereador, também teria cometido “uma violência” ao deixar de cumprimentar, no ato de diplomação, autoridades constituídas de Petrolina. “Ele é uma pessoa decente, é um professor, e está mostrando aqui que é uma pessoa educada. Mas naquele momento ele não foi. Se eu, do PSDB, fosse protestar deixando de cumprimentar, não cumprimentaria ninguém do PT, que foi o partido que surrupiou o país”, desabafou.

Para Gilmar, no entanto, seu colega “confundiu” uma agressão física (de Manoel contra Cristina) com um protesto político pacífico (na diplomação dos eleitos). Sobre a declaração de ser “paladino da moralidade”, o petista preferiu não polemizar. Disse apenas que o papel de cada vereador é discutir temas de interesse da população, e não de transformar a Casa em palco de baixarias ou de discursos que incitem ódio. “Esses discursos acabam sendo apelativos, acabam sendo muito mais uma oportunidade de se aparecer do que propriamente aprofundar o debate público, são os que enfraquecem o papel do Legislativo. A gente vai ter, sempre que possível, a oportunidade de colocar para nossos pares o respeito que a gente tem por eles, mas ao mesmo tempo exigir deles uma postura de defender o debate público”, finalizou.

Em nota, Professor Gilmar Santos critica “atitude machista” de Manoel da Acosap contra Cristina Costa

Vereador estreante na Casa Plínio Amorim, o Professor Gilmar Santos (PT) emitiu, por meio de sua assessoria, uma nota de repúdio ao que considerou “uma atitude machista” do seu futuro colega de Legislativo, Manoel da Acosap (PTB), após este ter se desentendido com a petista durante um debate realizado na manhã de hoje (6) pela Rádio Jornal Petrolina.

Confiram a íntegra da nota:

Mais que lamentável a agressão do vereador Manoel da Ascosap (PTB) à vereadora Cristina Costa (PT) é reflexo de uma cultura política machista, patriarcal e fundada no discurso de ódio, onde mais uma vez se agride o corpo de uma mulher para se agredir a democracia e as liberdades de expressão e de opinião.

Tempo tenebrosos, tempos em que valores conservadores são tão cheios de convicções que se tornam fascistas, agressores.  É urgente que mudemos os nossos valores e que sejamos intolerantes com a intolerância, com a falta de respeito, com a fala que quer se impor pela violência. Um agressor não tem a mínima condição de representar uma sociedade que se buscar melhor, mais justa e mais humana. O machismo não agride e mata só mulheres, o machismo agride a dignidade humana.

Professor Gilmar Santos/Vereador  do PT de Petrolina

Bancada do PT de Petrolina na Câmara de Vereadores mostra seu cartão de visitas

Há quem diga que a presidente municipal do PT, Cristina Costa (foto), e seu colega, Professor Gilmar Santos – os dois representantes da legenda na Casa Plínio Amorim para a próxima legislatura (2017/20) – já mostraram seu cartão de visitas.

Apenas Cristina e Gilmar votaram contra a chapa encabeçada por Osório Siqueira (PSB), que foi reconduzido na noite de ontem (1) para mais um biênio (2017/18) à frente da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. O tom dado pelos petistas é de que concordarão com o que acharem que devem concordar, mesmo respeitando a decisão da maioria dos seus colegas de Legislativo.

Após polêmica da diplomação, Professor Gilmar garante que manterá diálogo “em prol de políticas para os mais carentes”

gilmar-santosBaixada a poeira em relação ao seu polêmico gesto de não cumprimentar os líderes políticos da Família Coelho no ato de diplomação dos eleitos de Petrolina, realizado no auditório do Senac, há nove dias, o Professor Gilmar Santos – que representará o PT na Casa Plínio Amorim, ao lado de Cristina Costa – parece já ter virado essa página.

Ao Blog ele assegurou que vai buscar o diálogo junto aos seus pares na Casa, aos movimentos sociais e também ao Executivo Municipal em prol da bandeira que seu partido levantou com os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff: políticas públicas voltadas a melhorar a qualidade de vida dos mais carentes.

Gilmar reforçou que sua atitude na diplomação foi “um ato político que faz parte da democracia”. Isso não quer dizer, segundo ele, que na Câmara de Vereadores será contrário a tudo. “O que for importante para a população, nós vamos sair em defesa. O que não for interessante, iremos dialogar, argumentar”, ressaltou.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br